Discussão: 'Liber Oz' e sua Interpretação.

Filhodosol mais de 9 anos

...........93.................................................

Caríssimos,

No 'Liber Oz', de Aleister Crowley, existem informações que me 'incomodam', pois 'aparentemente' se trata de posição contrária à Verdadeira Vontade dos demais, portanto, apresenta-se como ato de magia negra, uma vez que se desvia da Verdadeira Vontade de quem age de acordo com o que está preceituado.

Que afirmações são estas? Principalmente as presentes em seu ítem 5, a saber:

"O Homem tem direito de matar esses que quereriam contrariar estes direitos. "os escravos hão de servir'. AL II 58.

Obviamente que toda tradição thelêmica está muito além da filosofia satanista, porém, se esses preceitos forem lidos na sua 'literalidade' encontramos em 'Liber Oz' um típico fundamento do Satanismo.

Como devemos 'ler' os preceitos contidos em 'Liber Oz', que inusitadamente tem como subtítulo Declaração dos Direitos do Homem?

Se a exegese for literal, ou gramatical, deve-se reconhecer que no mínimo Thelema tem estreita relação com o Satanismo.

Acredito que deva ter uma explicação muito esclarecedora... qual seria a maneira correta para se interpretar essas partes do L.O.?

Tg_cardoso mais de 9 anos

Caro amigo,

93

No 'Liber Oz', de Aleister Crowley, existem informações que me 'incomodam', pois 'aparentemente' se trata de posição contrária à Verdadeira Vontade dos demais, portanto, apresenta-se como ato de magia negra, uma vez que se desvia da Verdadeira Vontade de quem age de acordo com o que está preceituado.

A magia *negra *ou goécia é a forma de magia, um sistema mágico, convencionalmente conhecidas como "más", mas a Magia Negra é uma prática de integração com nosso arquétipo Sombra.

'aparentemente' se trata de posição contrária à Verdadeira Vontade dos demais

Lembre-se Liber Oz não está impondo nada e sim é um livro que dita os direitos do homem "deverás fazer a tua Vontade e nenhum outro lhe dirá não"

"os escravos servirão." AL ii 58

Essa frase diz respeito aos conformistas e passivos. Ou seja, são aquelas pessoas que só pensam nelas mesmas, havendo um sentido de egoísmo em tudo que fazem. Que pensam em trabalhar para ganhar “apenas” o seu sustento. São pessoas que não se interessam em evoluir e nem em aprender nada. Geralmente tem medo de saber “verdades” e com isso abrirem os olhos e gerar “responsabilidade”, ou então realmente não estão preparadas para aprender nada. Jamais deixarão nada de produtivo para humanidade. Um aprendizado oculto poderia resultar num choque com suas crenças. As pessoas nem sempre estão prontas para isso, pois precisam de um deus que as julgue, conduza, castigue, proteja. Buscam receber presentes e dádivas divinas a todo instante, para isso não medem esforços em fazer toda a sorte de promessas absolutamente sem nenhum sentido. Fazem como os três macaquinhos, tampando os próprios olhos, ouvidos e bocas. São os “covardes da vida”, os omissos, os preguiçosos, os comodistas.

Esses servirão....

Amor é a lei,93/93

Fraternalmente:

THIAGO CARDOSO

Filhodosol mais de 9 anos

.............93........................

Prezado,

Quando falo em Magia Negra não estou me referindo ao Satanismo, essa colocação sobre o Satanismo vem depois.

Estou me referindo a um posicionamento do próprio Aleister Crowley no sentido de que toda ação que não for pela busca da compreensão da Verdadeira Vontade é MAGIA NEGRA.

Não me recordo em qual livro está essa ideia de A. Crowley, porém, certifico-te que a li faz poucos dias.

Existe um preceito thelêmico que diz que 'podemos fazer tudo exceto impedir ou obstacularizar a Verdadeira Vontade de outro Espírito, logo, NEM TUDO NOS É PERMITIDO!

Os escravos são os omissos, acomodados, retardados mentais, 'pobres', excluídos...?

Meu caro, respeito seu ponto de vista mas discordo inteiramente. Para ser thelemita não é necessário se dispir da compaixão e da generosidade.

Sejamos duros com os injustos e benevolentes com aqueles que precisam da nossa ajuda, pois possivelmente eles estão aquém do nosso grau evolutivo! ... e já estivemos naquela condição e possivelmente bons espíritos foram generosos e compassivos conosco!

Lorkshem mais de 9 anos

Tambem tive essa dúvida quando li o Liber Oz e realmente pareceu confuso e "contraditório" ao Livro da Lei.

Mas na verdade, como a primeira resposta disse, ele não entra em contradição com o Liber CCXX (mesmo tambem não concordando com o ponto de vista de quem respondeu).

Acredito que o verbo "Matar" talvez tenha alguma relação com "transformar".

Observação, é só um ponto de vista pessoal, para maiores informações, consultar os inscritos thelemicos! [;)]

Tibuda mais de 9 anos

Posso estar enganado, mas eu enxergo "o direito de matar quem se opõe à vontade" é uma condenação à tirania, à ditadura e ao totalitarismo... Quanto aos "escravos hão de servir" não sei direito. Talvez se refira a quem nem mesmo queira realizar sua vontade, e se submete aos outros em detrimento de sua própria vontade, às vezes sem ao menos saber qual sua vontade.

Quanto ao "NEM TUDO NOS É PERMITIDO", é claro que nem tudo é permitido. A única coisa que nos é permitido fazer é realizar nossa Verdadeira Vontade. O Livro da Lei diz que "tu não tens direito a não ser fazer tua vontade" (I, 42). A vontade não é sair fazendo o que der na telha não. Assim o que temos que fazer é descobrir nossa vontade para poder realizá-la plenamente.

Tibuda mais de 9 anos

Tambem tive essa dúvida quando li o Liber Oz e realmente pareceu confuso e "contraditório" ao Livro da Lei.

Mas na verdade, como a primeira resposta disse, ele não entra em contradição com o Liber CCXX (mesmo tambem não concordando com o ponto de vista de quem respondeu).

Acredito que o verbo "Matar" talvez tenha alguma relação com "transformar".

Observação, é só um ponto de vista pessoal, para maiores informações, consultar os inscritos thelemicos! [;)]

Eu concordo! "Morrer" tem tudo a ver com "transformar"! É a fórmula do IAO!

Dyulax mais de 9 anos

Ainda não li, mas parece ser interessante.

Lorkshem mais de 9 anos

O "polêmico" Liber Oz, faz alusão a "matar" nosso aspecto fraco, e não a matar os fracos necessariamente...

Segundo o escritor da monografia ele fala em aspecto psicologico e não físico.