Discussão: Dúvidas sobre como iniciar

Noframe quase 2 anos

Olá, pessoas. Sou novo aqui no fórum e na questão de ocultismo também e gostaria, se possivel, que algumas dúvidas fossem respondidas.

Eu sou judeu, me interesso muito por kaballah, ocultismo, thelema, zohar, mas não sei o que é o que e nem por onde começar. Achei esse fórum por acaso, procurando sobre Æon. Vi um tópico sobre duvidas em iniciação do usuario lothar_neil, que me sanou várias dúvidas, principalmente a respeito de livros. Mas com mais informações, me vieram mais dúvidas, outros usuários falaram sobre praticas de magia negra, magia branca, magia ritualistica. Qual a diferença dessas magias? e como que podem ser definidas? Ex: goetia - magia negra, x - magia branca, y - magia ritualistica

E alguma dica por onde eu posso começar? Não sou muito fã de coisas que atrapalhem a vida dos outros, gostaria de algo para ter uma experiencia boa, algo para poder ter um espirito/conhecimento mais elevado.

Desde já, obrigado!

Aluvaia quase 2 anos

Olá!

Então... vamos às suas dúvidas da maneira mais prática que eu consigo:

Um conceito clássico sobre Magia é “a ciência e a arte de causar mudanças na realidade em conformidade com a Vontade”. Sobre magia negra e magia branca muito se comenta e não existe um consenso. O senso comum costuma dizer que magia negra é aquela magia que almeja finalidades egoísticas e tenta violar o livre-arbítrio e a Vontade do outro (como se isso fosse possível); ao passo que magia branca seria invariavelmente de cunho altruísta e tal... Pra mim isso é besteira.

Outro conceito de magia negra seria toda e qualquer magia que não tivesse o intuito de conduzir o homem à Divina Comunhão com seu Sagrado Anjo Guardião (cuja discussão sobre a Natureza também dá muito pano pra manga).

Particularmente prefiro pensar que magia não tem cor, ela é um conjunto de técnicas que podem ter as mais diversas serventias. Gosto da analogia com a eletricidade, que serve para aquecer seu jantar no micro-ondas tanto quanto para fritar os caras na cadeira elétrica, e nem por isso a primeira é “eletricidade branca” e a outra “eletricidade negra”.

Mesmo os conceito de “bem” e “mal” são absolutamente discutíveis e nesse mundo do mágico essa relativização é imperativa.

Magia ritualística é toda magia que dependa de um ritual. Normalmente os primeiros passo dentro do mágico são cercados de cerimonial e ritualística, eles são bastante úteis para incorporar alguns conceitos... mais ou menos como decorar a tabuada quando criança. Depois há quem dispense gradativamente alguns cerimoniais.

Goétia é um assunto complicado. Basicamente trata-se de uma técnica para o intercurso com demônios, invocá-los e colocá-los para servir você. Existe toda uma discussão a respeito da Natureza dessas “criaturas” e da conveniência (e riscos) desse tipo de operação. Reza a lenda que não deveria ser tentada sem que a primeira Grande Consecução tivesse sido alcançada. Claro que nem todo mundo segue as recomendações. Demônios podem ser úteis e não apenas para causar prejuízos, de toda forma não se deve confiar neles, ao menos eu não confio.

Por onde comecar? Bom, eu perguntaria a mim mesmo o que estou Bucando. A magia tem muitas finalidades mas a Alta Magia tem apenas uma.

Enfim, acho que por hora já é uma prévia. Também acho que deu pra notar que quase tudo é muito discutível e nem todo mundo vai concordar com qualquer coisa; cada cabeça, uma sentença. Mas se ainda tiver dúvidas, não se acanhe em perguntar.

Noframe quase 2 anos

Muito obrigado pela resposta, deu para dar uma esclarecida geral! - Gostei da analogia com a eletricidade haha.

Agora é só ler as indicações de livros que tem no outro tópico e mandar ver =D.

Só mais uma coisa, há muita diferença entre magia e alta magia?

Alucard quase 2 anos

Mas com mais informações, me vieram mais dúvidas, outros usuários falaram sobre praticas de magia negra, magia branca, magia ritualistica. Qual a diferença dessas magias? e como que podem ser definidas? Ex: goetia - magia negra, x - magia branca, y - magia ritualistica

Magia é uma ferramenta como outra qualquer, embora seja de uma natureza ímpar é claro. Uma faca por exemplo pode ser usada para cortar alimentos ou para matar alguém. O que torna a magia branca ou negra é o fim de quem a utiliza. Magia negra é aquela que atenta contra o livre-arbítrio e integridade alheios. Magia branca é a magia que não é usada para esses fins mas pelo contrário, para auxiliar as pessoas e toda a humanidade. As diferenças entre essas especificações têm a ver com a particularidade e método com os quais são praticadas.

E alguma dica por onde eu posso começar? Não sou muito fã de coisas que atrapalhem a vida dos outros, gostaria de algo para ter uma experiencia boa, algo para poder ter um espirito/conhecimento mais elevado.

Comece estudando. Aqui um tópico recente aonde eu e outros usuários recomendamos alguns livros: https://www.hadnu.org/discussoes/639-duvidas-sobre-iniciacao

Só mais uma coisa, há muita diferença entre magia e alta magia?

Alta magia seria magia branca ao meu ver.

Aluvaia quase 2 anos

Pois é, como lhe disse antes, quase tudo que tange ao mágico é passível de discussão e discordâncias, não havendo muito consenso, haja vista o post do nosso colega de fórum Alucard que cita que magia branca e magia negra são exatamente o que eu lhe disse que alguns acreditam que é, e que eu discordo. Da mesma forma, ele define “magia branca” como sendo “alta magia”, é isso é uma opinião muitíssimo comum nesse meio, e dela eu também discordo.

Não ligue, é assim mesmo, Alucard e eu discordamos em muitos pontos de vista e isso já aconteceu aqui no fórum em muitas ocasiões, e isso não tem nada de errado, ao contrário, ajuda a oxigenar o conhecimento de ambos (ou pelo menos ao meu). Entenda, nenhum de nós dois está errado, já que não é uma disputa, não somos oponentes tentando definir quem tem razão, somos sim Buscadores, cada qual com seu jeito de ver as coisas e concebendo o Universo segundo suas próprias concepções da Verdade (e sabendo que elas são parciais e passíveis de falhas). Já argumentamos exaustivamente algumas vezes um com o outro sobre conceitos até bem basilares... foi inútil. rsrsrsrsrs

Dito isto, cabe apenas dizer que, segundo a minha opinião, magia é um conjunto de técnicas (diferentes umas das outras, inclusive) que tem como intuito dobrar a realidade segundo a Vontade, já que esta quando corretamente direcionada é capaz de operar “milagres”. Ela pode ter as mais diferentes aplicações e finalidades, servindo para tantas coisas quantas você possa sonhar.

Já a Alta Magia tem uma grande finalidade, e essa é a comunhão do homem com o Divino e sua dissolução Nele. Isso se dá em alguns passos ou processos, é gradativo, mas é o que deveria almejar aquele que se dedica a essa Busca. Eis o motivo pelo qual alguns consideram como um ato de magia negra todo ato mágico que não conduza ao Conhecimento e Conversação com o Sagrado Anjo Guardião, já que este é o primeiro passo dessa Comunhão.

Nesses termos, de maneira ideal e utópica, a Alta Magia não deveria se diferenciar em objetivo, nem do misticismo, nem de quaisquer religiões, posto que ambos deveriam ser pontes entre o homem e Deus (seja lá o que se venha a compreender por esse termo). Diferenciando-se apenas em seus meios e não em sua finalidade.

Felipecalado quase 2 anos

Eu penso a alta magia como um eterno estudo bem formal a respeito do iluminismo científico levando em conta todos os aspectos e não deixando escapar nenhum detalhe, tipo os doutos da magia. E a magia comum me vem a mente qualquer tipo de ritual, invocação, reza que estão mais pautadas no conhecimento de causa passado de boca a boca, um negocio mais popular tipo ums católicos com um pézinho na umbanda e talz

Felipecalado quase 2 anos

Quanto a negra e branca eu já tive tantas opiniões diferentes, hoje eu to conjecturando que exista dois caminhos pra se unir com Deus (embora eu não entenda essa união), o caminho da luz e o caminho da não luz ou sombra, embora sombra seja só ausência de luz ou será que a luz é a ausência de sombra? Enfim to nessa linha de raciocínio, bem provavel que venha a mudar daqui a alguns livros lidos

Felipecalado quase 2 anos

A magia cerimonial eu penso como uma ferramenta ou mais precisamente um hábito que é usado pra exercer a Vontade em determinado objetivo, mas penso eu que depois de uma Vontade bem afiada e treinada ela pode se deixar de lado, embora a pompa da cerimônia seja de uma beleza estética sem precedentes. Também acho que é um bom modo de organizar uma egrégora ou direcionar uma Vontade coletiva em algum objetivo

Noframe quase 2 anos

Muito obrigado a todos!

Desculpem a demora para responder, estava sem net -.-

Alucard quase 2 anos

Em primeiro lugar, deixo claro que sou apenas um neófito. Minha visão de Adepto é daquele que está adiantado no caminho, já tendo passado pelas iniciações maiores e candidato à Ascensão. Por isso, sou um humilde buscador.

Dito isso, sempre é bom participar de discussões aonde temos pessoas como o aluvaia. Como ele disse, já discordamos aqui no fórum mais de uma vez mas isso sempre foi feito de maneira cordial. Apenas algumas ponderações sobre o que foi escrito acima:

Entenda, nenhum de nós dois está errado, já que não é uma disputa, não somos oponentes tentando definir quem tem razão, somos sim Buscadores, cada qual com seu jeito de ver as coisas e concebendo o Universo segundo suas próprias concepções da Verdade (e sabendo que elas são parciais e passíveis de falhas).

Concordo. Eu vejo a verdade como infinita e por isso seres encarnados como nós só podem entender racionalmente partes dessa verdade. Além disso, eu vejo cada pessoa como um universo em si. Por isso a verdade pode ser subjetiva, por mais que eu veja leis sob as quais todos os seres estão submetidos.

Dito isto, cabe apenas dizer que, segundo a minha opinião, magia é um conjunto de técnicas (diferentes umas das outras, inclusive) que tem como intuito dobrar a realidade segundo a Vontade, já que esta quando corretamente direcionada é capaz de operar “milagres”. Ela pode ter as mais diferentes aplicações e finalidades, servindo para tantas coisas quantas você possa sonhar.

Eu não discordo dessa visão. Eu concordo com ela. As denominações branca e negra são justamente usadas para definir a direção ou orientação da aplicação dessas técnicas. Sei que pareço estar sendo repetitivo, mas para sair um pouco dessa "definição clássica", eu diria que a magia negra carrega em si como consequência o acúmulo de karma (não me recordo se você crê no karma) e a densificação dos campos energéticos do mago. Essas seriam consequências reais que estão além de definições teóricas mas que demonstram que ambos as coisas andam lado a lado: violação do livre-arbítrio e integridade alheios e as consequências espirituais disso.

Já a Alta Magia tem uma grande finalidade, e essa é a comunhão do homem com o Divino e sua dissolução Nele. Isso se dá em alguns passos ou processos, é gradativo, mas é o que deveria almejar aquele que se dedica a essa Busca. Eis o motivo pelo qual alguns consideram como um ato de magia negra todo ato mágico que não conduza ao Conhecimento e Conversação com o Sagrado Anjo Guardião, já que este é o primeiro passo dessa Comunhão.

Eu vejo justamente nisso a real definição de magia branca: aquilo que nós leva à reforma íntima e a busca por valores espirituais elevados com o intuito de elevarmos nossas vibrações até os mundos superiores e nos deixar mais próximos da ascese.

Quanto a negra e branca eu já tive tantas opiniões diferentes, hoje eu to conjecturando que exista dois caminhos pra se unir com Deus (embora eu não entenda essa união), o caminho da luz e o caminho da não luz ou sombra, embora sombra seja só ausência de luz ou será que a luz é a ausência de sombra?

Também vejo assim. Tudo que existe é o Criador. A Criação (que incluo todas as coisas, inclusive os seres) é o Criador se experimentando em infinitas partes de si mesmo. Existem duas formas de serví-lo: serviço aos outros e serviço a si. Serviço aos outros é a busca pela reintegração na unidade divina e serviço a si a busca pela separação dessa unidade. Isso tem sido chamado de bem e mal por éons, mas ambos são maneiras de servir ao Criador. A diferença entre esses caminhos é que o caminho do serviço a si naturalmente leva a entropia ou desintegração por causa da separação explícita nessa escolha, pois não existe realmente separação, Tudo é Um, Tudo é o Infinito Criador.

Noframe quase 2 anos

Então utilizando magia negra para atrapalhar a vida dos outros, logicamente irá atrair um karma maior e mais pesado, seguindo a lei do principio do ritmo e o de causa e efeito, tudo que vai volta e toda causa tem seu efeito?

Magia branca seria mais tranquila no caso, mais voltado para a filantropia.

Foi o que até então, eu posso entender sobre tais assuntos.

Magia do Chaos entra em alguma dessas linhas? ou é separada?

Alucard quase 2 anos

Então utilizando magia negra para atrapalhar a vida dos outros, logicamente irá atrair um karma maior e mais pesado, seguindo a lei do principio do ritmo e o de causa e efeito, tudo que vai volta e toda causa tem seu efeito?

Exatamente. Na filosofia hermética o karma é explicado pelo princípio da causa e efeito: *“Toda a Causa tem seu Efeito, todo o Efeito tem sua Causa; tudo acontece de acordo com a Lei; o Acaso é simplesmente um nome dado a uma Lei não reconhecida; há muitos planos de causalidade, porém nada escapa à Lei”. *

Magia do Chaos entra em alguma dessas linhas? ou é separada?

É um tipo de magia que pode ser usado tanto para o bem quanto para o mal.

Aluvaia quase 2 anos

Antes de falar de magia do Chaos, gotaria de deixar uma palavra rápida sobre minha própria concepção de Karma...

Acredito firmemente que o conceito de Karma não pode ser adequadamente compreendido dissociado do conceito de Dharma, posto que o primeiro é um produto da desarmonia da nossa vida em relação ao segundo.

Dharma é um conceito que podemos traduzir como “Caminho”, e uma das suas definições é “o Caminho da Reta Ação desapegada do fruto (dela mesma)" e, uma vez que sobre a Vontade se menciona que “(...) a Vontade pura, desembaraçada de propósito, livre de ânsia de resultados, é todavia perfeita”, creio que não seja nenhuma forçação de barra deduzir que ambos podem ser entendidos como a mesma coisa.

Assim sendo, o Karma seria um mecanismo cego de ação retaliadora que é disparado quando agimos em desconformidade com o Dharma no intuito de nos colocar novamente no Caminho, ou se preferirem os thelemitas, para nos colocar outra vez alinhados à Verdadeira Vontade.

Ambas as definições de Dharma e V. V. citados acima são genéricas e se aplicam à humanidade inteira, estamos, pois, falando de características da ação ou da vontade, mas não das suas respectivas natureza ou propósito, de maneira que cabe a nós descobrimos qual nosso Dharma, qual nossa Verdadeira Vontade. Uma vez que isso seja descoberto estamos livres para seguir nosso Caminho.

Cabe salientar que Verdadeira Vontade é chamada de “Verdadeira” não é à toa, senão a gente chamava ela só de “vontade”. É fácil saber quando estamos andando pela trilha errada, é o Karma que avisa, então, quando a vida estiver te batendo muito, quando você achar que está fazendo “tudo certo” e chegando aos resultados errados, convém desconfiar.

Aluvaia quase 2 anos

Pronto, agora sim... : )

Magia do Chaos é a casa de máquinas da magia, é a magia despida, ou melhor dizendo, a magia travestida daquilo que você quiser. O magista do Chaos não tem bases muito fixas, aliás, muitas vezes, não tem base alguma porque não acredita nelas, não está ancorado em crenças outras além da crença de que a própria crença é apenas mais uma ferramenta de consecução.

Trata-se de um conjunto de práticas aparentemente simples, mas não simplistas. Mais difícil do que acreditar ou não acreditar é acreditar não acreditando, ou acreditar naquilo que você sabe que não existe, mas que mesmo assim funciona, ou ainda, acreditar que tudo aquilo em que você for capaz de colocar fé o suficiente acaba por existir de um jeito ou de outro ou, pelo menos, a realidade se comporta como se existisse.

Aff... prolixo, eu sei. Mas é difícil explicar o complexo de maneira concisa.

A Magia do Chaos pode ser usada como um meio para fins de comunhão com o Divino, mas não apenas, e na maior parte das vezes o que se vê é que ela é usada para finalidades bastante mais práticas e cotidianas.

É o que existe de mais heterodoxo em magia, e uma vez que não existam muitas regras, dá margens para quem não gosta de rituais fechados e prefere fazer as coisas do seu jeito. Vale qualquer coisa, desde que funcione. Enquanto técnica é excelente e pode produzir resultados inequívocos, mas quem está começando pode ficar meio perdido pois carece de diretrizes e fundamentações teóricas mais profundas. Magia do Chaos costuma ser 99% prática.

Com relação a fazer o que você acha que é o "bem" ou o "mal" para os outros, novamente afirmo que é, em primeiro lugar, uma questão de "achismo", já que não podemos ter certeza se interferir na vida do outro é o que se deve fazer, para o bem ou para o mal, muitas vezes o melhor é não fazer coisa alguma e deixar a vida seguir o seu curso, até porque, quando você se intromete, você fica responsável; e em segundo lugar, quem quer fazer o bem ou o mal, não precisa, necessariamente, de magia, se deseja ajudar o próximo tem muitos jeitos de fazer isso sem precisar recorrer a exediente mágicos; se quiser prejudicar, também é bem fácil. Às vezes tentamos sofisticar o prazer e só dificultamos as coisas.