Discussão: Caos e Sigilação

Filhodelilith quase 2 anos

Caros amigos, venho pesquisando e estudando bastante sobre sigilaçao e caoísmo, estava lendo alguns tópicos por aqui e decidi criar o meu.

Mes passado fiz minhas primeiras experiencias com alguns sigilos, desenhei-os no espelho para cada vez que me olhar, absorve-lo subconscientemente, outro coloquei em um porta retrato sobre a TV e a sintonizei em estática observando-a até entrar em um estado estado de transe, também realizei a mentalizaçao do sigilo durante o orgasmo e, hoje pela manha decidi espalhá-los por lugares estratégicos de minha casa, como no banheiro, próximo ao chuveiro, na porta da geladeira, próximo à cama, de modo que quando acordar, tomar banho ou for preparar algo para comer, os capte com a visao periférica.

Gostaria de saber se há algum problema em criar várias cópias de um mesmo sigilo, seja desenhado em papel, em arte digital, impresso ou até mesmo graffitado. Venho brincando com a criatividade ao criar novas maneiras de lançar esses sigilos, recentemente li em algum lugar que espalhar os sigilos em lugares distintos da cidade ajuda a os carregar mais rápido, essa ideia me atraiu,alguém já tentou tal método e obteve algum resultado?

Como trabalho na área da arte venho pensando bastante em inserir sigilos em obras, como livros, capas de álbuns, videoclipes ou outros materiais aos quais um número indetermidado de pessoas tenham contato visualizando o sigilo, isso poderia gerar algum problema?

Ah, já ia esquecendo... haveria algum efeito colateral acerca do uso abusivo da sigilaçao?

P.S. Desculpem-me pela má pontuaçao do texto, meu teclado está com problemas.

Aluvaia quase 2 anos

Vamos lá, então. Por partes… Post longo, galera.

Mes passado fiz minhas primeiras experiencias com alguns sigilos, desenhei-os no espelho para cada vez que me olhar, absorve-lo subconscientemente, outro coloquei em um porta retrato sobre a TV e a sintonizei em estática observando-a até entrar em um estado estado de transe, também realizei a mentalizaçao do sigilo durante o orgasmo e, hoje pela manha decidi espalhá-los por lugares estratégicos de minha casa, como no banheiro, próximo ao chuveiro, na porta da geladeira, próximo à cama, de modo que quando acordar, tomar banho ou for preparar algo para comer, os capte com a visao periférica.

Como funciona o sigilo?

A técnica se baseia em uma vez sintetizado e criptografado um desejo, ele seja lançado para dentro do inconsciente (que é quem faz as coisas acontecerem).

Como fazer isso?

Driblando o censor psíquico – que disseca e mantém no nível racional tudo o que tomamos consciência – por meio de um processo chamado gnose, que consiste numa espécie de descontinuidade da consciência, um momento muito particular de dissociação íntima em que os laços se afrouxam e você se perde na poeira, se aproximando de uma estado momentâneo de não-você. É como um curto circuito temporário, pode ser ocasionado por um choque, por um trauma, por uma grande emoção ou um forte êxtase, e costuma ser seguido de uma sensação estranha de não se saber exatamente o que está acontecendo, às vezes você demora até para saber quem é você… enfim, é algo confuso e não ordinariamente alcançado.

Existe outro estado ao qual, eventualmente, o pessoal chama de “estado de gnose”, e este é um estado de concentração profunda, não se tratando da mesma coisa que o primeiro, sendo este inclusive o inverso do primeiro. Ele se presta para exercícios de visualização, concentração e foco, sendo extremamente importante para todo tipo de prática mágica, e sendo imprescindível o seu domínio no momento de visualizar um sigilo; entretanto, para lançá-lo, você deve fazer uso da primeira técnica.

Gostaria de saber se há algum problema em criar várias cópias de um mesmo sigilo, seja desenhado em papel, em arte digital, impresso ou até mesmo graffitado. Venho brincando com a criatividade ao criar novas maneiras de lançar esses sigilos, recentemente li em algum lugar que espalhar os sigilos em lugares distintos da cidade ajuda a os carregar mais rápido, essa ideia me atraiu,alguém já tentou tal método e obteve algum resultado?

Tive essa mesma dúvida anos atrás e fui aconselhado a não lançar um mesmo sigilo mais de uma vez já que o esquecimento dele, ainda que apenas momentaneamente, é um passo fundamental para a sua realização. Lançá-lo e voltar a lançá-lo é anular o primeiro procedimento, assim como enfraquecer as chances de sucesso do segundo.

Entretanto, não existe só um jeito de se fazer as coisas quando se fala de sigilos. Um outro jeito, bem mais demorado, mas menos difícil, é pela insistência. Você dá vida a um sigilo transformando-o num servidor. Projete-o, programe-o, sigile-o, visualize-o, e alimente-o periodicamente até que ele tenha cumprido sua função.

Projete-o para uma meta específica segundo a sua Vontade (e arque com as consequências);
Programe-o para existir pelo tempo necessário para que cumpra seu propósito e para se comportar conforme a natureza que você lhe der;
Sigile-o usando-se dos meios que conhece e lhe agradam;
Visualize-o tornando-se perito nas práticas indicadas;
Alimente-o com algo, pois tudo o que está vivo precisa comer.

E respeite-o, ele é seu aliado e não seu escravo.

De toda forma, é sempre importante que se tente descobrir maneiras novas de se fazer as coisas e acho muito legal que você esteja buscando por inovção nas práticas.

Como trabalho na área da arte venho pensando bastante em inserir sigilos em obras, como livros, capas de álbuns, videoclipes ou outros materiais aos quais um número indetermidado de pessoas tenham contato visualizando o sigilo, isso poderia gerar algum problema?

Problemas, creio que não. Só não sei se realmente ajuda a carregá-los. Mas não tenho certeza, isso não chega a ser uma ciência exata, entende?! rsrsrsrs

Grandes marcas usam megasigilos, por exemplo, mas esses sigilos só terão alguma valia se houver uma associação com a sua origem, quero dizer, se você estiver andando na rua e ver as letras distorcidas da Coca-Cola, você só vai fortalecer o megasigilo se souber o que aquilo quer dizer, caso contrário será como olhar para uma pixação qualquer.

Ah, já ia esquecendo… haveria algum efeito colateral acerca do uso abusivo da sigilaçao?

Não que eu saiba... mas eu também não sou autoridade no assunto, sou só um curioso.

Espero ter auxiliado. : )

Filhodelilith quase 2 anos

Obrigado pelos comentários, Aluvaia, foi de grande esclarecimento, apesar de nao haver muita coesao (aparente) no caos, o que vive gerando dúvidas, nao que isso seja algo ruim, pelo contrário, isso motiva a pesquisa, o questionamento e aprendizado.

Lançá-lo e voltar a lançá-lo é anular o primeiro procedimento, assim como enfraquecer as chances de sucesso do segundo.

Esse foi meu principal erro inicial, quanto mais o lançava acreditava estar dando mais força ao sigilo quando na verdade estava em um ciclo vicioso de carregar e descarregar, entao o guardei em meu diário deixando-o lá sem esperanças e, duas semana depois nao é que literalmente logo pela manha o desejo bate em minha porta?!

Projete-o, programe-o, sigile-o, visualize-o, e alimente-o periodicamente até que ele tenha cumprido sua função.

Qual seria a melhor maneira (ao seu ver, óbvio) para alimentar um sigilo? Pelo que aprendi, se deve esquecer o intento, nao o sigilo, portanto gosto bastante de desenhá-lo em momentos enfadonhos e, como falei. o espalhar pela casa de modo a me encontrar o encarando sem perceber quando estiver matutando sobre a vida e até mesmo visualizá-lo antes de dormir.

Problemas, creio que não. Só não sei se realmente ajuda a carregá-los. Mas não tenho certeza, isso não chega a ser uma ciência exata, entende?! rsrsrsrs

Esse fim de semana tentarei incluir um sigilo com um intento relacionado ao projeto em que o irei inserir, afinal a única maneira de comprovar é testando né, rs.

Mais uma vez agradeço, espero nao estar abusando de sua boa vontade
(como se pudesse fazer isso, né, rsrs).

Aluvaia quase 2 anos

Pelo que aprendi, se deve esquecer o intento, nao o sigilo, portanto gosto bastante de desenhá-lo em momentos enfadonhos e, como falei. o espalhar pela casa de modo a me encontrar o encarando sem perceber quando estiver matutando sobre a vida e até mesmo visualizá-lo antes de dormir.

Tanto intento quanto sigilo deveriam ser esquecidos, ao menos num primeiro momento. Na verdade, o momento de lançamento do sigilo deve ser um blackout controlado. Lembrar do desejo é colocar tudo a perder, e ficar "ruminando" o desenho é um risco desenecessário de voltar a associá-los.

Alguns operadores queimam o sigilo, outros o enterram, outros o lançam ao vento, podendo o destino estar de acordo com a natureza do desejo; alguns fazem isso imediatamente após lançá-lo, outros quando o efeito deste se manifesta... enfim, cada um tem sua metodologia.

Eu, particularmente, na maior parte das vezes, até por uma questão de praticidade, me livro do sigilo imediatamente queimando-o, como se desse um voto de confiança ao Universo, e também numa simbolização da descartabilidade da magia e do desapego para com os resultados.

Qual seria a melhor maneira (ao seu ver, óbvio) para alimentar um sigilo?

Sigilos são “carregados”; o que se alimenta são servidores. Você pode alimentá-los de muitas, muitas maneiras, inclusive de acordo com a natureza do servidor. Operadores com grande capacidade mágica conseguem canalizar de uma vez só grandes quantidades de energia, mas nem todos conseguem fazer isso assim tão facilmente.

Uma maneira de se alimentar servidores é por intermédio da sua própria emoção (sempre relacionada à natureza dele), outra forma é mediante algumas coisas materiais, eu tentaria com coisas que simbolizam algo.

Vamos aos exemplos:

Um servidor para a prosperidade pode ser recompensado com moedas, como se você estivesse lhe dando a sua parte por uma tarefa bem desempenhada.

Um servidor para atrair clientes pode ser recompensado com mel, já que essa é uma substância que tem essa função na natureza.

Um servidor para trazer inspiração artística pode ser recompensado com algo belo, como flores, por exemplo.

Para trabalhos que exijam uma força um tanto mais selvagem, energia sexual pode ser utilizada.

Eu gosto de falar com eles, dar nomes, associar com objetos pessoais e amuletos, gosto de ter dia e hora para alimentá-los. Uma coisa que dá pra fazer é observar as horas planetárias e associar dia e hora de acordo com a natureza e função do servidor no momento de alimentá-los.

Mais uma vez agradeço, espero nao estar abusando de sua boa vontade (como se pudesse fazer isso, né, rsrs).

Sem problemas, hoje aqui é feriado por causa da Revolução e eu estou meio de bobeira mesmo, na verdade estou estudando pra uma prova de psicopatologia que vai rolar amanhã... mas a verdade é que eu gosto beeeeem mais de magia. : D