Discussão: Thelema na mídia - Série Strange Angel

Psiminder 3 meses

Faça o que queres, será tudo da lei.

Os irmãos tiveram oportunidade de assistir a série Strange Angel? da BBC. Relata a história de Jack Parsons, desde lá do íncio, antes de fazer parte da O.T.O.

Depois pesquisei sobre ele, uma figura muito controvesa, com a vida repleta de passagens muito interessantes.

Fica aqui a indicação.

Aluvaia 3 meses

ALERTA DE SPOILER

Estou assistindo, ando lá pelo nono episódio, acho.

A primeira vez que tive contato com a história de Frater Belarion foi num dos livos do Grant (O Renascer da Magia) que tem um capítulo no qual cita Jack e suas desventuras mágicas. Fiquei bastante impressionado pela história, especialmente por causa do desfecho, é claro.

Anos mais tarde tive a oportunidade de ler a respeito de Marjorie Cameron, Mulher Escarlate de Parsons. Um livro muito interessante de ler e que tem uma boa parte dele relatando o relacionamento dos dois desde quando se conheceram até a morte prematura de Jack.

Pra quem não conhece o trabalho de Frater Belarion - O Anticristo, deixo um link para "O Livro de Babalon" por ele recebido: http://www.ocultura.org.br/index.php/Livro_de_Babalon

No que tange ao seriado confesso que é um pouco constrangedor em alguns momentos. Devo dizer que o comportamento do "tehelmita" que recruta Jack não me representa rsrsrsrsrsrs... Também gostaria de ver uma ator mais expressivo no papel principal, mas, seja como for, acho ineressante ver essa incrível história sendo retratada na T.V., o esforço é válido, creio.

Dyulax 3 meses

Eu assisti a primeira temporada e li o livro que inspirou a série.

Eu achei a série bem divertida. Foi legal ficar tentando identificar qual personagem era qual pessoa da vida real.

Já esperava que eles fossem distorcer o que é Thelema e a O.T.O. (afinal, eles precisam de audiência, e é isso o que o povo quer ver!), então isso não me incomodou muito. Pra falar a verdade, acho que pegaram até leve. Parece que na Loja Ágape da vida real o foco era a "recreação" e o trabalho da OTO e da EGC eram secundários...

Dyulax 3 meses

Psiminder, deixa eu ser o chatonildo que vai te dizer isso:

Faça o que queres, será tudo da lei.

Existe uma regra não-escrita de etiqueta entre thelemitas de sempre escrever as citações do Livro da Lei e outros Livros Sagrados de Thelema de maneira precisa. Não estou dizendo que essa tradução é certa ou errada, mas me refiro ao "lei" com L minúsculo. O Livro da Lei é uma publicação em Classe A:

A Classe “A” é composta por livros os quais não se pode alterar sequer o estilo de uma letra, ou seja, eles representam a expressão de um Adepto inteiramente além da crítica até mesmo do Chefe Visível da Organização.

Além disso, está escrito no próprio Livro da Lei:

"Não mudes nem mesmo o estilo de uma letra; pois vê! tu, ó profeta, não verás todos estes mistérios escondidos aí."

"A pontuação como quiseres; as letras? não as mudes em estilo ou valor!"

(Embora esteja escrito "a pontuação como quiseres", não faz mal tentar seguir o original também.)

Assim a sua frase ficaria assim:

Faça o que queres será tudo da Lei.

Essas são algumas outras traduções:

Faze o que tu queres há de ser tudo da Lei (Marcelo Ramos Motta)

Faze o que tu queres deverá ser o todo da Lei (Jonatas Lacerda)

Faz o que tu queres há de ser o todo da Lei (Marcelo Santos)

P.S. Eu também ouvi este mesmo mimimi quando estava começando. Fico feliz de passar adiante... rs

Psiminder 3 meses

Faça o que queres será tudo da Lei.

Obrigado Dyalux, vou aprendedo e ajustando, embora desajustado.

Andei procurando o livro que deu origem a série pela internet, mas parece que só há o original em inglês, sem tradução. Acho que vou desenferrujar meu inglês de traduzir músicas, talvez dê para o gasto.

Aluvaia.

Desculpe a total ignorância, mas deixe-me perguntar: Sobre Babalon, é um arquétipo mais ligado as tradições orientais (Isis, Kali) ou as tradições judaico-cristãs? Em relação ao Livro de Babalon, devo considerar seu conteúdo com originado da própria dinvidade vinculada a esse arquétipo?

93, 93/93

Aluvaia 3 meses

Acho que convém dizer que Babalon não é um arquétipo, mas uma Divindade. Qual a diferença? O primeiro precede o segundo. Seja como for, esta é uma Divindade thelêmica originária do mesmo arquétipo que outras tantas divindades, Kali entre elas. Particularmente não gosto de associar Babalon à mitologia judaico-cristã porque, muito embora ela seja descrita e nomeada de maneira inspirada nessas tradições, eu a compreendo muito mais rica tanto em simbologia quanto em significado e significância. Ela, assim como a Besta, não creio que sejam figuras de compreensão óbvia.

Com relação ao Livro de Babalon, considere-o como queira. Acredito que não deveria fazer diferença "quem disse", mas sim "o que foi dito", e qualquer coisa que fuja disso estará nos colocando em uma falácia, argumentum ad verecundiam... ou seja, se a mensagem proveio de Belarion (ou de algo nele) ou se prevêm diretamente de Babalon, importa é se faz sentido, se diz alguma coisa, se inspira ou evoca algo em você ou em mim, caso contrário não serve de nada não importa de onde tenha saído.

Psiminder 3 meses

Uau.

Respondeu perfeitamente.

Obrigado.

93, 93/93.