Discussão: Projeção Astral e Recordação de Vidas Passadas

Fraterha3ls 3 meses

Faça o queres será tudo da Lei.

Olá, poderiam me indicar algo a respeito dos temas em questão?
Tanto a nível teórico, quanto prático se possível.

Em teoria, estudo desde pequeno. Em prática, apenas algumas experiências ou flashs, mas nada consciente.

Sou "Terapeuta Holistico" e uma das terapias que trabalho é a TVP (Terapia de Regressão a Vidas Passadas). Os conhecimentos que tenho a respeito são os que obtive nos cursos e livros, porem nada dentro dos conceitos de Thelema. Para a Ciência, por exemplo, quando eu auxilio alguem a "desarquivar" uma vida passada, na realidade, a pessoa apenas criou aquela experiência e sua mente por meio de hipnose. Fica a dúvida, quando uso de hipnose holistica na TVP, o paciente realmente recorda de sua vida passada, ou seja, desarquiva, ou apenas criou em sua mente como diz a ciência?

Eu certamente creio muito profundamente na recordação e como já mencionei, já tive alguns flashs através de sonhos e visões. Porém não consigo através de Auto-Hipnose, tanto a Regressão, quanto a projeção.

Desde já, agradeço a atenção e gentileza de responder.
Att,. Baptist. M.

93,93/93

Aluvaia 3 meses

Uma das coisas que mais gosto em Thelema é o fato de se tratar muito mais de uma diretriz do que de uma doutrina, portanto fica complicado tirarmos conclusões a partir dos "conceitos de Thelema" sobre temas assim específicos. Seja como for, é dito que seu objetivo é o da Religião pela via metodológica da Ciência, não à toa sendo chamada de Iluminismo Científico, assim sendo, particularmente fico eu com o posicionamento que, como muito bem citado por você, é adotado pela ciência no que tange ao assunto.

O Inconsciente Humano é surpreendentemente inventivo, vasto, desconhecido, multiforme e, até onde minha crença alcança, passível de ter fronteiras permeáveis.

Claro que sou excessão nesse nosso universo mágico/místico/ocultista, e mais claro ainda que as pessoas tem o direito de crer naquilo que acharem mais razoável, e além de tudo eu posso estar redondamente equivocado, mas apesar de tudo isso, penso que algum rigor científico é necessário quando se trata de assunto tão alicerçador de outras crenças.

De toda forma, acho que a ilusão é só mais uma das formas que a realidade adota, de maneira que pergunto até onde importa se é realidade ou ilusão o que a regressão trás, pois de toda forma, ainda que sejam lembranças genuínas, serão ilusão, pois lembranças não passam de memória (real ou inventada) de uma realidade que já não existe. Assim sendo, se a pessoa "lembra" e sente como se real fosse, pra ela é real, não? Se essas "lembranças" fazem bem ou mal, aí são outros quinhentos... acho que depende da experiência e do experimentador, mas também não é disso que trata o tópico.

Enfim, dado o resumo da ópera, segue o baile... Tenho certeza de que haverão opiniões divergentes, sempre muito bem vindas.

Fraterha3ls 3 meses

Aluvaia, muito estou satisfeito com a sua resposta e sou grato por isso. E em questão de projeção Astral, algo que possa me indicar? E ainda, sobre uma outra possivel maneira de regressão?

Aluvaia 3 meses

Brother, eu não me atreveria a te dar qualquer indicação sobre regressão, não apenas por eu ser absolutamente leigo (e não acreditar na veracidade da mesma enquanto tal), mas também por ter entendido que você trabalha com isso, ou seja, quem sou eu pra ensinar o padre nosso ao vigário... Quando muito pude ser capaz de expressar minha opinião a respeito.

No que tange à projeção astral, pois é, devo dizer que discordo da mecânica pela qual se acredite que ela ocorra. Eu sei, parece que eu sou o cara mais "do contra" do mundo, mas tenho algumas opiniões que divergem da maioria. Vamos ver se eu consigo lhe explicar rapidamente sem ser muuuuuito chato, longo e doloroso...

O que convencionou-se chamar de "projeção astral", na minha opinião, não é um processo que ocorra de dentro pra fora, mas sim no sentido oposto, ou seja, de fora pra dentro, assemelhando-se mais a um mergulho no próprio inconsciente, cujo qual, como já mencionei, creio tenha fronteiras permeáveis e tão mais difusas quanto mais profundamente se mergulhe, chegando ao ponto de uma mistura num grande "inconsciente coletivo".

Uma vez que se mergulhe profundamente o suficiente, pode-se acessar toda sorte de coisas, tais quais, memórias, pensamentos, sentimentos, atavismos e tudo o mais que homem enquanto espécie foi capaz de plasmar nesse incosnciente comum. Daí surgem as "memórias" da regressão, daí surgem as experiências da "projeção" no astral, daí surgem as precognições, e aí é que se dão os logros mágicos. É como se estivéssemos ligados uns aos outros pelo cerne, e tudo o que alguém viu, pensou, sentiu e viveu pudesse ser acessado por outro alguém. Claro que sintonizar outro alguém em específico seria uma proeza, e claro que entra também muito das fantasias do próprio incosciente individual de cada um; quanto mais raso o mergulho, tanto mais individual é a experiência.

Outra vez repito que trata-se de uma opinião minha e que diverge muito do que muita gente sempre acreditou, assim sendo, nada mais natural que gere resistência e crítica. Não tento convencer ninguém, apenas hoje tenho dúvidas saudáveis onde um dia houve algumas certezas estéreis.

Sei que não lhe forneci as indicações que esperava, me perdoe por isso, mas acho que dei a entender os motivos.

Qualquer dúvida, estamos aí, é sempre uma satisfação...

Desativado2060 3 meses

Bom dia prezados,

Venho aqui para expor algumas observações a respeito do conceito de projeção astral. O próprio termo já nos adianta que seria algo diferente de viagem astral. Até onde eu saiba, o termo se refere a projetar no mundo externo um corpo mental como veiculo para a conciencia, e sair voando por ai observando as coisas em tempo real. Isso é completamente diferente de viagem astral. A projeção astral me parece algo bem fantasioso e que qualquer criança adoraria que isso fosse real, mas até agora nada foi provado. Entretanto, eu cheguei a uma conclusão de que, existem algumas circunstancias que favorecem um certo fenomeno muito curioso. Esse fenomeno pode ser repetido pelas pessoas que se encontram dispostas a reproduzir as condições que o favorecem. Pratiquei por um tempo consideravel, devidamente registrando os experimentos, a pratica proposta no liber E, chamada de clarevidencia física. E minha conclusão é de que: é possível obter informações sobre o meio ambiente sem utilizar os 5 sentidos.

Desativado2060 3 meses

Isso é algo muito interessante para a ciencia. Enfim, pode parecer fora do assunto inicial, mas isso pode nos dar a ideia de como seria possivel um fenomeno proximo á projeção astral ser real. Na verdade a única coisa que parece distanciar um fênomeno do outro (clarevidencia fisica de projeção astral) é a ideia de que seria necessário um corpo mental voador para obter tais informações a respeito do meio ambiente. Dessa maneira, Aluvaia e o prezadissimo fundador do tópico, vocês já se deram de cara com alguma evidencia de clarevidencia fisica? Eu achei esse fenomeno muito interessante. No liber E não é dada informações detalhadas a respeito das condições que favorecem o fenomeno, mas após cerca de 2 anos e meio de prática, eu consegui identificar algumas. Acho que é um assunto que vale a pena ser examinado.

Desativado2060 3 meses

Foi observado por mim que as informações do meio ambiente se apresentam à conciencia através de uma espécie de imaginação involuntaria no fenomeno de clarevidencia. Então eu pensei: será que, a ideia do fenomeno chamado de projeção astral não surgiu de pessoas que experimentaram o fenomeno de clarevidencia fisica? Dessa maneira o ato de imaginar um corpo e imaginar a conciencia sendo transferida para ele seria apenas algo que ocorrece no campo da imaginação tornando de alguma forma propicio o fenomeno de clarevidencia (ou como distração ou como concentração). Isso não passa de especulação. Mas o que eu quero dizer é que, a ideia de projetar um corpo mental voador no ambiente é fantasiosa, mas tentando fazer isso, talvez algum desses investigadores tenham tropeçado no fenomeno chamado de clarevidencia; interpretado como projeção astral e, sem entender exatamente como o fenomeno ocorre, terem associado o resultado ao fato de previamente terem imaginado um corpo mental no ambiente.

Desativado2060 3 meses

O que os senhores acham? Adoraria compartilhar ideias a respeito do assunto com pessoas competentes.

Aluvaia 3 meses

Tá, se eu achar uma pessoa competente eu digo que você quer falar com ela... Enquanto isso vou dando meus palpites. : )

Acho que a sua ideia é muito rzoável e adequada. Sim, acredito possível colhermos informação sobre o ambiente sem a utilização dos cinco sentidos, e minha insistência é apenas no fato de ser um processo de internalização da consciência ao invés de uma externalização da mesma.

Convido os amigos para analisarmos rapidamente alguns fenômenos interessantes:

a) Quando em estado hipnose profunda, um pessoa sugestionada e conduzida corretamente pode fornecer informações sobre algo ou alguém de maneira remota. Mas como isso se dá? Por uma projeção da consciência? Ou por uma capacidade de sintonia que as pessoas tem com os ambientes e entre si?

b) É possível uma comunicação direta de mente para mente (telepatia). Mas isso ocorre por intermédio de uma onda de pensamento que é tão forte que rompe a barreira encefálica, atravessa o crânio, vence a resistência do ar e consegue penetrar no outro cerebro? Ou é mais razoável pensar que isso ocorre tomando um caminho interno, por meio daquilo em nós que nos mantêm ligados uns aos outros, muito embora não estejamos cientes disso o tempo inteiro?

c) Quando sonhamos, temos a nítida e até, muitas vezes, assustadora impressão de estarmos projetados e interagindo num ambiente qualquer, mesmo quando o sonho é maluco, pois nosso juízo crítico costuma estar desligado. E ao acordarmos, principalmente quando o sonho não foge ao verossímil, não é nada incomum que tenha-se a impressão de se "ter estado lá sem deixar de ter estado aqui". Mas teríamos estado lá? E quando eu sonho que minha mãe é um pirulito e meu pai uma caixa d'agua? Aí não é projeção?

O sonho, o transe, a fantasia, a imaginação, a visualização... são todos estados de maior ou menos grau de imersão no incosciente, processo que nada mais é do que a experiência astral que tanto se deseja. O nosso inconsciente é porta para o incosciente coletivo, e como ja mencionado, quanto mais profundamente se mergulha, tanto menos individuais serão as águas. O quão confiáveis serão essas águas é conversa pra outro post, mas que este mundo interno coletivo é o que se vem chamando de "astral", é a ideia que eu defendo.

E todo fenômeno psíquico, seja qual for, a telepatia, a clarividência física, a precognição, tudo passa pelo inconsciente e de o quão profundamente se é capaz de se deixar imergir nesse desconhecido.

O que é uma lástima porque legal demais seria poder voar. Uma vez um camarada a quem eu considero muito e que manja muito mais dessas coisas do que eu me disse que também não acreditava que projeção astral servisse para espiar a vizinha tomando banho... e aquilo me deu uma tristeza, porque acho que no fundinho eu ainda tinha alguma esperança. aHaHAhaHahaHahaHAhah

Desativado2060 3 meses

Eu entendi o que você quis dizer. No caso das cartas faz mais sentido ainda, já que elas fazem parte de nós e do inconciente coletivo. E eu acho tudo isso muito interessante. É razoavel supor que o universo é o inconciente. Não sei exatamente como encaixar essa afirmação na definição da palavra já que a palavra inconciente parece significar "as coisas as quais ignoramos".

Desativado2060 3 meses

Seria possível então através desses "canais de influencia ou informação" obter informações sobre objetos "inanimados"? Essa sim é uma questão interessante para a ciencia em minha opinião. Telepatia e previsões de acontecimentos relacionado a assuntos humanos são coisas que eu já me acostumei com a ideia. Mas obter informações a respeito de uma carta que está em sua frente talvez possa significar que os objetos estão ligados também a esse canal de informação interior. O que está dentro controla o que está fora. Se os objetos fazem parte do universo (inconciente), poderiamos dizer que podemos ter acesso a informações dele por fora (cheiro, formato, aparencia fisica, sabor, etc) e por dentro: sem o auxilio dos 5 sentidos eu poderia através de uma introspecção obter informações ocultas e até mesmo fisicas relacionadas àquele objeto. Alguns ocultistas fazem apologia a esse tipo de pensamento, mas por enquanto só considero uma curiosa possibilidade.

Desativado2060 3 meses

E com relação a conciencia, nós nem sequer sabemos onde ela fica no tempo e espaço. Pode até fazer sentido supor que ela está em algum lugar do corpo mas isso não passa de especulação. A posição dela com relação a tempo e espaço não parece ser tão definida.

Fraterha3ls 3 meses

Caro Aluvaia,

"Brother, eu não me atreveria a te dar qualquer indicação sobre regressão, não apenas por eu ser absolutamente leigo (e não acreditar na veracidade da mesma enquanto tal), mas também por ter entendido que você trabalha com isso, ou seja, quem sou eu pra ensinar o padre nosso ao vigário... Quando muito pude ser capaz de expressar minha opinião a respeito."

Sou grato por sua resposta e muito compreendo acerca da forma que aborda. Entretanto quero esclarecer aqui que o "motivo" de minha busca é pelo simples fato de "desacreditar" ou ainda "levantar hipótese e questionamentos" a respeito do que faço.
Se eu tiver que explicar em detalhes o que faço e como faço, saberia como é de praxe. Mas isso não implica dizer que é realmente real de fato.

Dadas as experiências e a profundidade das mesmas, por momentos cheguei então a questionar o que seria real e o que seria ilusório e posso agora então compreender (dentre minhas verdades absorvidas por intermédio da experiência segundo as instruções presentes em Líber E vel Exercitiorum) que existem experiências criadas pela mente e existem as experiências de TVP (Terapia de Regressão a Vidas Passadas), cabe ao Terapeuta conseguir distinguir o real do ilusório e conduzir o mais assertivamente possível o que está em terapia acerca dos conhecimentos obtidos.

*Apenas uma observação acerca do meu ponto de vista. Talvez um novo, ou um velho, nada se sabe acerca do que se tem.

Att,. Frater Baptist.

Fraterha3ls 3 meses

Prezado Oath, saudações.

Faze o que tu queres há de ser tudo da Lei.

A respeito de sua questão:
“Isso é algo muito interessante para a ciência. Enfim, pode parecer fora do assunto inicial, mas isso pode nos dar a idéia de como seria possível um fenômeno próximo á projeção astral ser real. Na verdade a única coisa que parece distanciar um fenômeno do outro (clarividência física de projeção astral) é a idéia de que seria necessário um corpo mental voador para obter tais informações a respeito do meio ambiente. Dessa maneira, Aluvaia e o pesadíssimo fundador do tópico, vocês já se deram de cara com alguma evidencia de clarividência física? Eu achei esse fenômeno muito interessante. No líber E não são dadas informações detalhadas a respeito das condições que favorecem o fenômeno, mas após cerca de dois anos e meio de prática, eu consegui identificar algumas. Acho que é um assunto que vale a pena ser examinado.”

Muito me interessa o assunto sobre "Clarividência".
Saindo um pouco do assunto, mas não muito distante, acho muito interessantes “esses acontecimentos” que ocorrem ao “estudarmos um pouco mais profundamente” os líbers.
Quando iniciei, lia e lia e nada compreendia, até que depois de quatro anos após a minha primeira tentativa, comecei a compreender uma fagulha e depois disso, tudo que tenho estudado aprendido e praticado, se apresenta diante de mim todos os dias. É incrível.
Tal qual esse Líber mencionado por ti. Eu acabara de reler-lo ontem mais uma vez, em busca de compreender algo mais e logo no dia seguinte vejo aqui sua questão sobre “Clarividência Física”.

Entretanto, voltando ao assunto principal, sempre lidei com vários aspectos da Clarividência desde minha infância(intuições, sonhos, visões ou simplesmente me ocorria de dizer algo e isso se tornava em real nos dias que se sucederam), tal qual, no dias atuais, me parece algo comum e normal, como sendo um dos primeiros “dons” ou “poderes” que podemos desenvolver muito fácil e assertivamente.

É claro o fato de que, ao seguir os procedimentos propostos pelos métodos do iluminismo científico você certamente obterá os resultados e poderá os observar conforme sua evolução.
Creio eu que a Clarividência parte ao iniciar pelo desenvolvimento da Intuição. Nos presentes exercícios em Líber E podemos perceber muito claramente a desenvoltura disso. Grande foi a minha surpresa quando o li pela primeira vez, pois, em minha adolescência (e até hoje), gostava muito de mágica e uma de minhas mágicas preferidas era “Adivinhar cartas”.
Existem varias e variadas maneiras, práticas, exercícios e talvez até rituais para desenvolver a Intuição e quaisquer tipos de Clarividência. Porem a grande dica é: “Escute o seu coração”. Ele certamente lhe diz toda a verdade.
Então, espero ter respondido: “vocês já se deram de cara com alguma evidencia de clarividência física?”. Resumindo, eu vivo essas evidências todos os dias desde que “me entendo por gente”.

O Amor é a Lei Amor sob Vontade
93,93/93

Att,. Frater Baptist

Aluvaia 3 meses

Oath

Mas obter informações a respeito de uma carta que está em sua frente talvez possa significar que os objetos estão ligados também a esse canal de informação interior. O que está dentro controla o que está fora. Se os objetos fazem parte do universo (inconciente), poderiamos dizer que podemos ter acesso a informações dele por fora (cheiro, formato, aparencia fisica, sabor, etc) e por dentro: sem o auxilio dos 5 sentidos eu poderia através de uma introspecção obter informações ocultas e até mesmo fisicas relacionadas àquele objeto. Alguns ocultistas fazem apologia a esse tipo de pensamento, mas por enquanto só considero uma curiosa possibilidade.

Nesse caso estaremos abordando uma questão muitíssimo mais delicada e de difícil investigação, estaremos adentrando à abstração da abstração, tentanto definir o que é a Realidade e no que ela se ancora. A questão é se existe ou não uma realidade objetiva além do observador, ou seja, se o Universo investigável está condicionado à consciência coletiva humana, se inexiste uma conexão causal entre eles, ou qualquer meio termo entre uma afirmativa e outra. Não existe uma resposta fácil.

Há quem diga que o Universo é Mente. Eu penso que exista algo na coletividade humana que também é Mente. Agora se ambos são a mesma Mente, ou se a totalidade de um é restrita (ou abrangida) pela totalidade do outro, aí não me atreveria a responder definitivamente. Há também questões semânticas, como o sentido que damos ao termo "Universo", pois convenhamos que existe um abismo quando um fala em "espaço sideral manifesto", e o outro está se referindo a tudo o que existe, já existiu e existirá (ideias, sentimentos, sensações, informação...) , assim como ao que não existe, o que nunca existiu, o que não existe mais, o que nunca existirá; e ainda pra ajudar (a atrapalhar) temos a física quântica, infinitos mundos, multi-verso e o caralhA4.

Seja como for, pra não tirar muito o pé do chão, eu arriscaria dizer que essa capacidade humana de "advinhação" se dá invariavelmente sobre coisas que são de conhecimento geral. Penso que seja relativamente mais fácil advinhar algo quando alguém presente sabe conscientemente a resposta do que está sendo proposto; tornado-se mais difícil quando alguém que o saiba não está presente; muito mais difícil quando a resposta está apenas impressa no inconsciente coletivo, e impossível de o fazer, senão pela via probabilística, caso seja informação aleatória, randômica ou ininvestigável.

Por exemplo:
Digamos que eu estetivesse à sua frente e, puxando para mim uma carta de um baralho bastante usado, pedisse que você a advinhasse. Você terá chances muito maiores se eu olhar para a carta e imprimir naquele campo atencional entre nós o fato de se tratar de uma rainha de copas.
As chances diminiurão se eu estiver olhando para a carta por videoconferência, diminuirão mais se for você quem a estiver olhando por videoconferência, diminuirão ainda mais se ninguém estiver olhando que carta é, e se tornarão apenas questão de probabilidade numérica (1/52) se, além de tudo isso, o baralho for novo, já que objetos tem "memória" e num baralho antigo a rainha de copas "sabe" que é uma rainha de copas já que isso já foi "dito" à ela muitas e muitas vezes.

Cabe dizer que esse tipo de advinhação, mesmo a de melhores condições ambientais, não costuma ser nada fácil pra um ser humano médio. Acredito que a ciência desconsidere esse tipo de prática por se entender que a média de acertos não é excepcional na esmagadora maioria dos testados. Os fenômenos psíquicos e parapsicológicos não constumam poder ser reproduzidos em laboratório por se tratarem de eventos expontâneos e inconscientes.

É razoavel supor que o universo é o inconciente. Não sei exatamente como encaixar essa afirmação na definição da palavra já que a palavra inconciente parece significar "as coisas as quais ignoramos".

"Inconsciente" não significa apenas o que ignoramos, mas aquilo que não tem consciência de si mesmo. Às vezes imagino como se a consciência fosse meio que limitadora de uma série de processos, ou como se a consciência fosse uma propriedade tão complexa e nem sempre assim tão necessário que só fosse dada a existir em estruturas/processos onde é indispensável.

E com relação a conciencia, nós nem sequer sabemos onde ela fica no tempo e espaço. Pode até fazer sentido supor que ela está em algum lugar do corpo mas isso não passa de especulação. A posição dela com relação a tempo e espaço não parece ser tão definida.

A consciência está, em maior ou menor grau, no corpo todo, e estende-se para além dele, ainda que de maneira inconsciente. Afirmação estranha, eu sei, mas é como se funcionasse como um radar, que só demonstra que está ali quando capta alguma coisa. Os cinco sentidos são extensões da consciência, mas existem outros.

No tempo e espaço, a consciência se encontra num eterno agora. Ela até pode se projetar numa memória ou num sonho com algo que deseja que seja o futuro, mas de maneira geral, está no agora e não consegue sair dele senão pela via do inconsciente... e aí já não é mais consciência, ao menos, não de todo.

Frater Baptist

Entretanto quero esclarecer aqui que o "motivo" de minha busca é pelo simples fato de "desacreditar" ou ainda "levantar hipótese e questionamentos" a respeito do que faço. (...) Mas isso não implica dizer que é realmente real de fato. (...) Dadas as experiências e a profundidade das mesmas, por momentos cheguei então a questionar o que seria real e o que seria ilusório e posso agora então compreender (...) cabe ao Terapeuta conseguir distinguir o real do ilusório e conduzir o mais assertivamente possível o que está em terapia acerca dos conhecimentos obtidos.

Noto nas suas palavras algo que creio fundamental para que o Buscador sincero comece sua trilha em busca da sua própria Verdade: noto a dúvida. Aquele que já sabe tudo, não precisa aprender mais nada. Duvidar é sempre uma atitude saudável, oxigena a crença, permeia a descoberta, mantém vigilante contra o auto-engano.

Por serem questões de difícil investigação, eu não saberia dizer se você encontrará as respostas que deseja, mas ousaria pensar que não se arrependerá da Busca e que, eventualmente, poderá tropeçar em respostas para questões tão interessantes quanto.

Fraterha3ls 3 meses

Aluvaia,
Gratidão!

Desativado2060 3 meses

Fraterbaptist,

Parabéns pelo seu talento e nível avançado nos dons magicos;

Aluvaia,

Interessantes ideias! Interessantissimas!

Desativado2060 3 meses

"diminuirão ainda mais se ninguém estiver olhando que carta é"
Exatamente o meu caso. O baralho apenas foi usado por mim. Durante pouco mais de dois anos.

Prezado baptist, pouco me interessa suas experiencias que não foram devidamente examinadas metodologicamente. Eu falei como um cientista meterialista. Eu levantei a questão da clarevidencia fisica, para atentar à ideia da obtenção de informações a respeito do ambiente inanimado, que é sim uma questão de valor cientifico. Eu não poderia ser mais educado do que fui rs Na verdade seu ponto de vista poco me interessa. Eu citei você por pura educação. Eu falei aquelas coisas por que conheço ponto de vista do Aluvaia com relação a projeção astral. Eu queria um feed back dele com relação a obter informações de objetos inanimados. O ponto de vista do Aluvaia para esse tipo de questão costuma me oferecer boas informações para minhas pesquisas.

Desativado2060 3 meses

Mas já que ser humilde não funciona, vamos tentar da outra maneira:

"Quando iniciei, lia e lia e nada compreendia, até que depois de quatro anos após a minha primeira tentativa, comecei a compreender uma fagulha e depois disso"

Sério? Eu entrei na Astrum Argentvm quando era adolecente, e achei o material muito divertido e didatico. Na verdade, antes de conhecer ocultismo pelo nome de "ocultismo" eu já entendia muito sobre o assunto e tinha termos equivalentes para muitas coisas que possuem um termo especifico para designa-las dentro do ocultismo. Eu apenas me interessei a usar o sistema da A.'. A.'. por ela ter como objetivo a consecussão do SAG, operação a qual eu já estudava a muito tempo antes de ler esses materiais.

Desativado2060 3 meses

"Porem a grande dica é: “Escute o seu coração”. Ele certamente lhe diz toda a verdade." Seu coração pode dar informação a respeito do ambiente inanimado? Como deve ser que isso funciona? É algo que pode ser útil no mundo vulgar rs Entende? Essa é a questão. Não estou interessado em espiritualidade ao levantar essas questões.

Desativado2060 3 meses

"ocorria de dizer algo e isso se tornava em real nos dias que se sucederam"

Isso é completamente diferente. Eu me referi a "ver" sem os olhos um objeto inanimado que ninguém está vendo. Eu prefiro nem chamar isso de clarevidencia fisica, para não invocar na mente desses bruxinhos harry potters suas experiencias de auto iluzão. Eu prefiro me referir a isso como "fenômeno curioso que pode ser reproduzido sob certas condições".

Desativado2060 3 meses

Se realmente é possivel existir uma ligação mental entre seres humanos e objetos; ou se os objetos se ligam a um mesmo algo que nós nos ligamos também a ponto de podermos obter informações a respeito de objetos a distancia em tempo real essa é uma questão muito curiosa. A ideia de projeção astral está estritamente ligada com essa possibilidade.

Desativado2060 3 meses

"como sendo um dos primeiros “dons” ou “poderes” que podemos desenvolver muito fácil e assertivamente."

Eu não me interesso na facilidade, mas em como funciona. Como funciona esse fenomeno (não seus dejavus, to falando de ver objetos inanimados sem os olhos). Meu interesse é na parte materialista mesmo, se é que me entende.

Desativado2060 3 meses

Eu estou interessado na possibilidade de assistir um objeto inanimado em tempo real, sem usar os olhos. Nem meus olhos nem os de outrem (através de possivel telepatia).