Discussão: Imagin-ação.

Narkissos aproximadamente 1 mês

Saudações a todos, 93!

Gostaria de ajudar pessoas enfermas, que estão passando por Ataques Astrais. Estou começando a compreender e assimilar as técnicas descritas por Marcelo Ramos Motta em "Ataque e defesa astral" mas ainda não sei se estou pronto, ou se com a minha capacidade mental é possível dissipar uma corrente hostil. Venho neste tópico pedir sugestões de literaturas, e perguntar, estou realmente pronto? consigo imaginar um circulo de fogo desenhado pelos dedos, mas como vou saber se a intensidade da minha imaginação provoca efeitos desejáveis no plano sutil? Graças a deus já conquistei um pouco da habilidade de fazer alguém se sentir melhor apenas com uma conversa sincera e racional, mas reconheço que isto não é o suficiente, ainda mais se houver algo agindo no Etérico. Minha vontade agora é ajudar uma amiga que diz ser tomada por uma tristeza irracional que acompanha um desejo suicida aparentemente massante, ela diz que uma das coisas que incomodam é o fato de dormir no quarto do avô, que havia se suicidado por depressão, imagino que isto tenha alguma ligação com oque ela esta sentindo. Oque vocês recomendam para este caso em especifico? Por favor, membros experientes, respeitosamente peço de coração por vossa ajuda, ainda sou novo mas meu desejo é ir aos céus, ou morrer no mar Egeu.

Com amor, Ikáros.

Aluvaia aproximadamente 1 mês

93!

Bom, permita que eu comece fazendo uma pequena ressalva a respeito desse livro “do Motta”, já que não sei até onde você está familiarizado com o que corre à boca pequena no oculto, mas devo lhe dizer que este trata-se de um plágio desavergonhado de uma obra chamada “Autodefesa Psíquica” da Dion Fortune; não sei se todo ele (não lembro se acabei de ler), mas uma graaaaande parte dele com certeza.

Enfim, dito isto… agora me permita uma dose de algum pragmatismo:

Se você quer auxiliar uma pessoa depressiva e com tendências suicidas, não é de magia que você precisa, esqueça o astral, o etérico, o caralhA4; busque por um psiquiatra! Medicação, psicoterapia e muito, muito apoio familiar e de toda a rede de amigos que essa pessoa puder dispor, é o que ela precisa.

Ok, ela dormir no quarto do avô que se suicidou por depressão não ajuda, concordo plenamente. Pronto, já identificamos um estressor… Então, pelamordedeus, alguém tira essa menina de lá!

Ideação suicida é, muitas vezes, caso pra internação. Se precisar internar, interne! Não é vergonha! Prefira sua amiga internada numa instituição, onde será cuidada e medicada, do que morta! Esses lugares hoje em dia não são mais como eram antigamente. Faça isso e terá resolvido 80% do problema.

Depois, passado isso, se ela for uma pessoa que acredita nessas coisas, ensine pra ela o que você sabe sobre as técnicas de defesa, deixe que ela faça o que tem de ser feito. Não se leva ninguém pela mão senão até a porta de entrada. Cada um deve ser responsável por manter a si mesmo seguro, e lhe garanto que ela é tão capaz quanto você ou eu, ou até mais...

93,93/93

Narkissos aproximadamente 1 mês

Aluvaia, com respeito,

Oque tu diz certamente pode parecer o certo, mas na medida do meu entendimento, não concordo. O tratamento que as pessoas recebem nas instituições pelo pouco que sei não é saúdavel, e muitas vezes a pessoa sai de lá pior do que saiu. As medicações que são utilizadas e fornecidas pela industria lucraceutica são veneno. Compreendo perfeitamente seu ponto de vista, respeito-o mas não concordo, inclusive acho que qualquer budista de instagram desses por ai é capaz de ajudar melhor uma pessoa enferma do que estas clinicas demoniacas. Segue minha pergunta, água com sal ou com sabão?

Pax

Aluvaia aproximadamente 1 mês

Entendo…

Bom, sou estudante da área da saúde e já tive a oportunidade de fazer estágio em um lugar de tratamento psiquiátrico que tratava desde esquizofrênicos agudos até dependes químicos, por isso o conselho, mas compreendo suas preocupações, realmente o que ficou no imaginário popular sobre esses lugares ainda é a visão do manicômio como sendo um “depósito de gente”, mas isso não é mais assim, pelo menos, não nos lugares que visitei e convivi.

A indústria farmacêutica é uma mercenária, nisso tem razão, entretanto isso não invalida a eficácia dos remédios. Não são veneno, são substâncias que devem ser administradas com consciência por profissionais que tem conhecimento e prática pra tanto. Deve saber tão bem quanto eu que a diferença entre o remédio e o veneno está na dose; até água em demasia faz mal. Remédios salvam e consertam vidas, pode acreditar. Tem efeitos colaterais? Sim, tem (como tudo na vida), mas pesa-se se estes são preferíveis à doença e, se pender a balança, ministra-se-os.

inclusive acho que qualquer budista de instagram desses por ai é capaz de ajudar melhor uma pessoa enferma do que estas clinicas demoniacas.

Putz… é, discordo! rsrsrsrsrs

Enfim, foi só uma dica. Torço para que dê tudo certo.

Com relação à sua pergunta: Se quiser um banho, com sabão; com sal se quiser salmoura.

Abraço!

Narkissos 26 dias

Li o auto-defesa psíquica de Dion Fortune, realmente Marcello Ramos utilizou muitas partes no livro dele, não entendo o porque disso...
Perdão se fui exaltado em minha resposta, ultimamente ando lendo muita coisa negativa sobre a industria farmacêutica e tive más experiencias na família com clinicas psiquiátricas, mas realmente devem existir muitas exceções. Quanto a questão inicial, você não acredita que um tratamento com plantas medicinais, placebo ( se este for realmente o termo certo ) , e uma pitada de espiritualismo, bem apresentado e com amor, não geram efeitos mais benéficos, talvez menos destrutivos, em menor tempo? É bom saber que você é estudante da área, sua opinião conta muito.

Estava lendo isto agora a pouco, da uma olhada e me diz oque tu acha amigo;

"Com o objetivo de observar os efeitos calmantes da ioga e sua atuação no SNS, pesquisadores do departamento de psiquiatria do All India Institute of Medical Sciences, em Nova Déli, liderados por G. Sahasi, em 1989, compararam efeitos da ioga aos do ansiolítico diazepam. Ao fim de três meses de pesquisa, os autores descobriram que o grupo que praticou ioga tinha pontuação significativamente menor em escalas de ansiedade, reduzindo os sintomas. Tais resultados não foram encontrados no grupo que havia tomado o medicamento. Em outro estudo que durou nove anos, liderado pelo pesquisador N. S. Vahia, do departamento de psicologia médica da Seth G.S. Medical College e do K.E.M. Hospital em Mumbai, na Índia, em 1973, os pesquisadores observaram a eficácia de técnicas da ioga e de medicamentos ansiolíticos, separadamente, na redução da ansiedade. Os autores concluíram que o grupo praticante da técnica apresentou menor índice de ansiedade na escala de Taylor; em alguns casos, os efeitos da técnica foram mais eficientes na redução dos sintomas que a clordiazepóxido (ansiolítico) e a amitriptilina (antidepressivo)."

-https://www.psicologiahailtonyagiu.psc.br/materias/esclarecendo/391-respiracao-e-cerebro

Aluvaia 25 dias

Li o auto-defesa psíquica de Dion Fortune, realmente Marcello Ramos utilizou muitas partes no livro dele, não entendo o porque disso...

Também até hoje me pergunto as motivações do Motta, acho que ele pensou que nunca ninguém iria saber quem era Dion Fortune no Brasil, ou sei lá… Enfim, na minha opinião, é uma mancha na reputação que não se consegue limpar facilmente. Sei que ele tem entusiastas por aí e não quero causar polêmica, mas que ficou feio, ficou.

Perdão se fui exaltado em minha resposta

Tranquilo, não senti exaltação, senti apenas uma resistência, e nesses casos minha política é sempre não encher muito o saco, já que resistir à opinião do próximo é um direito que assiste a todos nós. rsrsrsrs

Sinto muito pelas suas más experiências com a questão das clínicas, o adoecimento psíquico é sempre algo muito triste de se ver e se viver. Não sei onde as pessoas as quais se refere foram tratadas, e nem quando isso ocorreu, mas devo mencionar que as coisas tem melhorado desde a aprovação da lei antimanicomial, a qual prevê um tempo máximo de internação para pessoas com esse tipo de padecimento, justamente para que instituições psiquiátricas percam essa característica asilar e funcionem mais como hospitais que prestem quase um pronto socorro. Gostaria de dizer ainda que o compromisso do profissional da saúde deveria ser justamente a promoção da saúde, e que tem que ser muito filho da puta pra se estudar anos e anos para tratar diariamente com gente sofrendo e não se ter um mínimo de empatia para com o sofrimento alheio (não que não exista gente assim, mas prefiro acreditar que são exceção).

Vou concordar com você mais uma vez sobre o desconforto com a indústria farmacêutica e não vou nem entrar no mérito de o quão pouco altruísta ela é em seus meios, entretanto, dados os fins a que se propõe, prefiro que exista do que não exista. Sei que é uma indústria que investe milhões para faturar bilhões, que privilegia o bem estar de quem pode pagar em detrimento de quem não pode, que comercializam substâncias que ajeitam uma coisa e desorganizam outras tantas (inclusive pra vender outros medicamentos que organizam o que aqueles desorganizaram)… mas ainda assim, repito, prefiro que haja a opção do medicamento, do que fingir que o chazinho da vovó é panaceia.

Quanto a questão inicial, você não acredita que um tratamento com plantas medicinais, placebo ( se este for realmente o termo certo ) , e uma pitada de espiritualismo, bem apresentado e com amor, não geram efeitos mais benéficos, talvez menos destrutivos, em menor tempo?

Acredito que depende. Acho que em alguns casos pode funcionar, no entanto, o que você nos descreveu no primeiro post foi uma situação de uma pessoa tomada de “uma tristeza irracional que acompanha um desejo suicida”, ou seja, uma situação de emergência. Todo e qualquer tipo de ideação suicida deve ser considerada como muito, muito grave e deve ser prevenida custe o que custar, porque uma vez cruzada a linha, mesmo que não haja logro na tentativa, significa que certas travas morais, psíquicas e sentimentais não existem mais como existiam antes, e as chances de reincidência são muito altas. Entende porque eu não trataria esse tipo de coisa com homeopatia?

Com relação à Ioga, é inegável que seja sempre benéfica. Não sei se em pacientes ocidentais apresentaria os mesmos resultados mas, de qualquer forma, Ioga, exercícios respiratórios e prática moderada de atividades físicas só fazem bem. Se substituiriam adequadamente um ansiolítico em um paciente ocidental, repito que não posso afirmar, até pelo ritmo de vida que levamos, pelos hábitos que cultivamos, pelas crenças que temos, pela nossa própria constituição física, enfim…

Convém dizer que ansiolíticos, principalmente os benzodiazepínicos, são paliativos para tratamento de curto prazo, normalmente usados para aliviar os sintomas da ansiedade que podem acompanhar os sintomas depressivos durante o tempo em que os antidepressivos demoram pra fazer efeito (normalmente algumas semanas), devendo ter suspenso seu uso tão brevemente quanto possível dado seu tem potencial aditivo. É aquilo que falávamos sobre o diferencial entre remédio e veneno: a dose, a periodicidade do uso e, a balança prejuízo versus benefício.

Narkissos 24 dias

Hola!
Compreendo oque quer dizer, o caso da minha amiga não é tão grave pois ela está cercada de pessoas com atitudes positivas em relação a isso, esse é um dos motivos de eu ter achado estranho esse tipo de desordem que entristece-a... Você não considera a possibilidade de haver algum tipo de ataque psíquico voluntario sobre ela? Se sim como posso identificar e interagir com isso?

"é uma mancha na reputação que não se consegue limpar facilmente. " - concordo, mas se ele alcançou mesmo os graus que parece, talvez possa ser algo positivo de algum ponto de vista, não que eu seja entusiasta dele, até prefiro muito mais a brilhantíssima Dion Fortune...

Aluvaia 23 dias

Eu sempre considero todas as possibilidades físicas antes de começar a considerar as “extrafísicas”, e depressão, até onde entendo, é uma doença, uma desordem física, da bioquímica cerebral, e que pode acometer a qualquer um de nós. Eis a importância da opinião de um médico, exame de tireoide, administração de medicamentos... Sinto dizer, mas se esperava por respostas fantásticas, esbarrou no camarada mais cético do cenário, pois sou praticamente o padre Quevedo do oculto, se me permite a comparação mais que presunçosa. rsrsrs

Costumo pensar que para que um ataque psíquico voluntário se efetue são necessárias, pelo menos, quatro coisas: Conhecimento, técnica, motivação e índole. E pra que seja efetivo, uma quinta coisa, a vulnerabilidade do atacado.

Sem conhecimento não acontece, pois o pretenso atacante nem saberá que isso existe;
Sem técnica não acontece, pois ainda que se saiba que existe, não se saberia como proceder;
Sem motivação também não ocorre, pois ninguém está aí pra gastar energia sem motivo, ainda que soubesse como fazê-lo, e tivesse o devido treinamento (o que não é essa barbada toda);
E mesmo que haja todo resto, só alguém com uma determinada propensão de temperamento teria a índole necessária para fazer acontecer.

Consegue perceber o quão difícil é encontrar todos esses predicados em uma só pessoa? E teria de dar o azar de alguém assim cruzar o caminho da sua amiga e dispor-se a isso com relação a ela. Pergunte-se: que motivo seria tão relevante a ponto de fazer alguém empreender um ataque contra essa pessoa em específico? E quem seria “capaz” disso, em toda a conotação do termo "capacidade".

E ainda um último condicionante, contar com o fato de ela estar vulnerável, o que é, diga-se de passagem, fator preponderante (não sou eu quem o está dizendo, é a próprio Dione Fortune, já que gosta dela). Não à toa lhe disse no meu primeiro post, que a ensinasse a se defender, caso ela acredite nesse tipo de coisa… se não acreditar, até melhor, é fator protetivo. Demônio xintoísta não ataca índio da amazônia, já que um não sabe que o outro existe, e vice-versa.

Entenda, longe de mim ser alheio aos fatos, gosto de manter os olhos e a mente aberta, caso contrário não estaria eu envolvido com a magia e esse trololó todo, entretanto, insisto em ser muuuuuuito cauteloso quanto a afirmar a veracidade dos vultos que o pessoal começa a enxergar quando adentra o ocultismo. “Imagin-ação” é fundamental em magia, mas está na mesma sephirah da ilusão; convém discernimento.

Como identificar um ataque psíquico? Difícil dizer. Minha pouca experiência me diz pra ficar atento ao que é vivo na casa. As plantas seriam as primeiras a começar a morrer, depois os animais (principalmente pássaros). Enfatizo que uma samambaia seca no quintal, ou um periquito que morreu de susto, não são, por si só, indicativos de ataque. Sejamos razoáveis.

No caso de “demônios” pode haver uma espécie de assinatura, não que necessariamente você seja capaz de identificá-la, no caso o atacante sim deveria ser capaz de fazê-lo… mas enfim, já falei demais também, não quero que sinta-se incentivado a ver chifre em cabeça de cavalo. Entendo que se preocupe e acho isso louvável, mas pode ser, e na esmagadora maioria dos casos é, muito mais simples do que a gente pensa.

"é uma mancha na reputação que não se consegue limpar facilmente. " - concordo, mas se ele alcançou mesmo os graus que parece, talvez possa ser algo positivo de algum ponto de vista, não que eu seja entusiasta dele, até prefiro muito mais a brilhantíssima Dion Fortune...

Você está certo. Não serei eu quem julgará os motivos do Motta, até porque ele está morto e não pode se defender. O que está feito, está feito.

Aluvaia 23 dias

Ah, sim, você perguntou como lidar com isso, caso seja um ataque...

Banimentos são paliativos, não iriam durar muito, a não ser que ela mesma os fizesse de maneira regular (e direito!). Eficaz mesmo seria fazer sua amiga "aumentar a vibração", por assim dizer. Evitar brigas, drogas e álcool. Ela deveria divertir-se, comer bem, sentir prazer, se distrair, dar risadas, desfrutar da presença de pessoas agradáveis e que a queiram bem, trabalhar com algo que goste, manter a mente ocupada com algo produtivo... essas coisas. É praticamente impossível lograr exito em um ataque contra alguém que está se dobrando de rir olhando uma comédia na T.V., por exemplo (outra parafraseando àquela senhora ocultista já citada).

Narkissos 23 dias

Caríssimo Aluvaia, meu espirito, mente, self ou qualquer coisa que seja, agradece sua paciência e bondade ao mostrar-me tão habilmente tudo que dizes. Gratidão. Se for da sua vontade, por favor continuemos, que na minha ignorância possa eu saborear mais e mais do néctar que sua experiencia derrama por estas letras em fonte Arial.

" “Imagin-ação” é fundamental em magia, mas está na mesma sephirah da ilusão; convém discernimento. " - Desta perspectiva; imaginação e visualização são a mesma coisa? pois pelo que li, é importante desenvolver a capacidade de criar e manter imagens mentais de acordo com nossa vontade, a ilusão portanto me parece involuntária e ocorreria em momentos de descontrole, não? seria interessante se pudesse me esclarecer este ponto, pois em minhas meditações fico empacado, quando a imagem escolhida começa de fato a virar "sonho lucido" me escapa as rédeas e quando consigo acalmar a fera ela já me levou pra um mar de caos aleatório, e geralmente não sobra sequer a memoria do que se passou naqueles instantes... Sinto que cochilei em Asana.

"E ainda um último condicionante, contar com o fato de ela estar vulnerável, o que é, diga-se de passagem, fator preponderante (não sou eu quem o está dizendo, é a próprio Dione Fortune, já que gosta dela). Não à toa lhe disse no meu primeiro post, que a ensinasse a se defender, caso ela acredite nesse tipo de coisa… se não acreditar, até melhor, é fator protetivo. Demônio xintoísta não ataca índio da amazônia, já que um não sabe que o outro existe, e vice-versa." - Eu acredito, de fato,que a vulnerabilidade está colocando-a sobre influencia dessas forças depressoras, você recomendou aumentar a vibração dela, já que usou esse termo me permita perguntar uma outra coisa. Algumas vezes as circunstancias que interpreto sugerem um súbito aumento de vibração no meu corpo, como quando nos inspiramos subitamente, como se eu apertasse acidentalmente o botão que gera energia, digo pois é clara a influencia dessa força em Malkuth. conheço um provável Adepto de louvável grau rosa cruz, e a energia dele é massiva, quando me aproximo é como se fosse ser esmagado por um êxtase invisível que provém das atitudes do mesmo durante a conversação ( ps: conversas aleatórias ) e quando ele dá aula na sala, é nítido que todos são afetados por um animo, um entusiasmo energizado notoriamente adverso ao tédio que geralmente é experimentado com todos os outros docentes. Já tentei de muitas formas mapear qual o caminho para essa força, mas só consigo de fato "ativa-la" quando utilizo fármacos estimulantes/perturbadores. Não digo que é uma ilusão, pois o efeito da minha comunicação é igualmente notório quando aplico-o a qualquer um dos meus semelhantes que andam por este planeta, talvez pela prática meditativa, com certeza não é qualquer um que usa uma droga e sai por ai pregando em êxtase, apesar de ser algo que eu, particularmente, experimento maior parte das vezes, provavelmente a liberação de bioquímicos ligados ao sentimento de compaixão me façam agir assim, de forma coerente e intensa. Não tenho certeza quanto ao meu domínio de Asana e Pranayama, mas estas técnicas, quando ás prático, geram resultados, mas nada comparado com este entusiasmo súbito, e repentino que Chico César apelidou "Estado de poesia".

"No caso de “demônios” pode haver uma espécie de assinatura, não que necessariamente você seja capaz de identificá-la, no caso o atacante sim deveria ser capaz de fazê-lo… mas enfim, já falei demais também, não quero que sinta-se incentivado a ver chifre em cabeça de cavalo. Entendo que se preocupe e acho isso louvável, mas pode ser, e na esmagadora maioria dos casos é, muito mais simples do que a gente pensa." Onde você recomenda que eu leia mais detalhadamente sobre estas assinaturas?? Termo muito interessante, seria oque Dion Fortune fala sobre Quiploth em Cabala Mistica?

"aumentar a vibração" - Manter constantemente uma alta vibração causa a perca ou ganho de energia? após algum tempo esse aumento é perdido? ou tende a se tornar mais intenso, cada vez mais?

"É praticamente impossível lograr exito em um ataque contra alguém que está se dobrando de rir olhando uma comédia na T.V., por exemplo (outra parafraseando àquela senhora ocultista já citada)." Disso que estou falando, no estado energizado que citei na pergunta acima, me pego dobrando de rir olhando pra uma parede, ou até mesmo pro chão, como se toda realidade fosse uma grande brincadeira, é difícil segurar a risada, sério, imagino que você saiba do que tô falando, queria poder invocar essa risada sincera, essa gargalhada estremecedora sempre que parecer ser conveniente, e as práticas apesar de muito terem me ajudado ainda não me fizeram alcançar essa liberdade... Fora que já experimentei trancar um Asana e respirar com mantra nesse estado, a melhor descrição provavelmente seria: Maravilhas atrás de maravilhas, tão bom que chega ser insuportável, e o corpo dominado com grande facilidade.

Certamente dentro de mim reside todas as respostas, sei disso, sinto isso, mas ainda é bela a tinta de tua caneta.

Narkissos 23 dias

"Para viver em estado de poesia
Me entranharia nestes sertões de você
Para deixar a vida que eu vivia
De cigania antes de te conhecer
De enganos livres que eu tinha porque queria
Por não saber que mais dia menos dia
Eu todo me encantaria pelo todo do teu ser

Pra misturar meia noite meio dia
E enfim saber que cantaria a cantoria
Que há tanto tempo queria
A canção do bem querer

É belo vês o amor sem anestesia
Dói de bom, arde de doce
Queima, acalma
Mata, cria
Chega tem vez que a pessoa que enamora
Se pega e chora do que ontem mesmo ria
Chega tem hora que ri de dentro pra fora
Não fica nem vai embora
É o estado de poesia. "

Aluvaia 22 dias

Desta perspectiva; imaginação e visualização são a mesma coisa?

Na verdade, visualização é um pouco mais do que a mera imaginação. A imaginação é solta, podendo ser até desenfreada; a visualização deve ser organizada e estar sob o controle da vontade.

a ilusão portanto me parece involuntária e ocorreria em momentos de descontrole, não?

A ilusão não é nem voluntária e nem involuntária, a ilusão é independente desses condicionantes. Ela não aparece ou desaparece, ela pode ou não ser percebida, mas ela está em todo o lugar o tempo inteiro. Dominar e esfera da ilusão é aprender a pular um muro que continuará ali. Minha advertência quando menciono a ilusão é referente ao auto engano, ou seja, à tendência que temos de fantasmagorizar as coisas, de tentar encontrar causas extraordinárias para efeitos ordinários. “Às vezes um charuto é só um charuto”, já dizia Freud, mamando perversamente um enorme e roliço objeto fálico. rsrsrsrsrsrs

Seria interessante se pudesse me esclarecer este ponto, pois em minhas meditações fico empacado, quando a imagem escolhida começa de fato a virar "sonho lucido" me escapa as rédeas e quando consigo acalmar a fera ela já me levou pra um mar de caos aleatório, e geralmente não sobra sequer a memoria do que se passou naqueles instantes... Sinto que cochilei em Asana.

Pois é, isso não é incomum, digo a tendência ao devaneio, já me aconteceu e acho que acontece com todo mundo em algum momento, no entanto a rédea deve ser mantida sempre o mais firmemente possível, deixar a mente vagar é contraindicado.

já que usou esse termo me permita perguntar uma outra coisa. Algumas vezes as circunstancias que interpreto sugerem um súbito aumento de vibração no meu corpo, como quando nos inspiramos subitamente, como se eu apertasse acidentalmente o botão que gera energia, digo pois é clara a influencia dessa força em Malkuth. conheço um provável Adepto de louvável grau rosa cruz, e a energia dele é massiva, quando me aproximo é como se fosse ser esmagado por um êxtase invisível que provém das atitudes do mesmo durante a conversação ( ps: conversas aleatórias ) e quando ele dá aula na sala, é nítido que todos são afetados por um animo, um entusiasmo energizado notoriamente adverso ao tédio que geralmente é experimentado com todos os outros docentes. Já tentei de muitas formas mapear qual o caminho para essa força, mas só consigo de fato "ativa-la" quando utilizo fármacos estimulantes/perturbadores. Não digo que é uma ilusão, pois o efeito da minha comunicação é igualmente notório quando aplico-o a qualquer um dos meus semelhantes que andam por este planeta, talvez pela prática meditativa, com certeza não é qualquer um que usa uma droga e sai por ai pregando em êxtase, apesar de ser algo que eu, particularmente, experimento maior parte das vezes, provavelmente a liberação de bioquímicos ligados ao sentimento de compaixão me façam agir assim, de forma coerente e intensa. Não tenho certeza quanto ao meu domínio de Asana e Pranayama, mas estas técnicas, quando ás prático, geram resultados, mas nada comparado com este entusiasmo súbito, e repentino que Chico César apelidou "Estado de poesia".

Perdão, não entendi qual a pergunta... na verdade, não achei a pergunta.

Onde você recomenda que eu leia mais detalhadamente sobre estas assinaturas??

Na verdade, não recomendo. rsrsrsrsrs
Se tivesse que recomendar alguma coisa, recomendaria que tentasse descobrir sua Verdadeira Vontade, Conhecimento e Conversação com seu SAG... essas coisas. Saber sobre demônios é o tipo de coisa que não se recomenda pra ninguém.

Termo muito interessante, seria oque Dion Fortune fala sobre Quiploth em Cabala Mistica?

Não tem relação com qliphot, está mais relacionado com a Goecia. Não é exatamente uma coisa que eu li em algum lugar, está mais pra algo que eu vi acontecer. Também não quero generalizar, não tenho essa experiência toda, e nem a desejo, mas sei que quando alguém se propõe a designar um demônio para atacar outro alguém, espera-se que ele escolha este intermediário por algumas das suas características, de maneira que, a partir destas, ele saberá reconhecer que o recado está dado. É algo sutil, está além da mera observação, e eu me sinto um esquizotérico falando dessas “coisas” intangíveis, mas não acho meios de me fazer entender melhor com relação a isso.

Manter constantemente uma alta vibração causa a perca ou ganho de energia?

Nem uma coisa e nem outra, é mais uma questão de humores do que de empregos energéticos, baseia-se na maneira com que uma pessoa passa a encarar a vida. É compreensível que não se esteja bem o tempo inteiro, entretanto, quanto mais tempo se estiver bem ou, ao menos, se dispuser a isso, tanto melhor será sua saúde mental e sua disposição física. E isso não é novidade nenhuma, todo mundo sabe, a grande questão é colocar isso em prática.

após algum tempo esse aumento é perdido? ou tende a se tornar mais intenso, cada vez mais?

Depende. Algumas pessoas entram num ritmo e se condicionam, outras saem do ritmo e relaxam. É mais ou menos como fazer exercícios, alguns adoram, outros detestam; enquanto uns aderem à nova rotina e nunca mais largam, chegando a sentir um prazer imenso não apenas no resultado, mas no processo todo, outros não perseveram por mais de dois ou três dias, seja por preguiça, falta de força de vontade, por falta de motivação, ainda que compreendam intelectualmente a importância desse processo para a manutenção da saúde.

Ser feliz é uma escolha, independentemente de alegrias ou reveses. Amar a vida não é diferente de amar uma pessoa; às vezes podemos ficar putos com quem amamos, mas nem por isso deixamos de amá-los, e com a vida ocorre o mesmo, ela pode ainda não estar do jeito que você queria que estivesse, e provavelmente jamais será perfeita, mas é a única que você tem e você é único na história do Universo inteiro. Não ser feliz é um desperdício tremendo tempo e energia, falo por experiência, já fui muito infeliz, aliás, fui criado numa família em que o niilismo e o desespero existencial andavam de mãos dadas, e pensar em felicidade era quase como um insulto ao mal estar alheio; hoje posso dizer que sou imensamente feliz comigo e com a minha vida… e sinceramente, após ter provado de tudo, eu prefiro a felicidade.

Certamente dentro de mim reside todas as respostas, sei disso, sinto isso, mas ainda é bela a tinta de tua caneta.

Que bom que gosta da tinta, da caneta, do que ela pinta; espero que aprecie o colorido, pois de tesouro, me basta o arco-íris, dispenso o pote de ouro… ; )

Narkissos 20 dias

Entendo, grato pelos comentários.

Nelsonricardo 20 dias

Certamente dentro de mim reside todas as respostas, sei disso, sinto isso, mas ainda é bela a tinta de tua caneta.

Que bom que gosta da tinta, da caneta, do que ela pinta

Eita, rolou um clima hein? Quer tirar tinta da caneta do amiguinho?

Narkissos 20 dias

Claro mona, a caneta é um simbolo oculto pro neca odara! mas faz a kátia cega seu ocó porque é segredo viu!!
93!

Aluvaia 19 dias

HahaHAhaHahAHAhaHahAhaHaHahaHAhaHahAHAhaHahAhaHa

Mas que absurdo!!! Quanta bobagem...

HahaHAhaHahAHAhaHahAhaHaHahaHAh