Ordo XI

IVª / A:
Liber Linea
Imagum Dei

“Tudo isso enquanto Adonai perfurava o meu ser com sua espada que tem quatro lâminas; a lâmina do raio, a lâmina da Torre, a lâmina da serpente, a lâmina do Falo.” (LXV V:14)

“Da Coroa até o Abismo, assim isto segue único e ereto. Também a esfera ilimitada cintilará com o brilho disto.” (LXV V:26)

Fique na postura do homem morto. Imagine-Se na forma de uma Torre: cante o “mantra”: “AKA DUA...”

Na forma do Phallus faça o mesmo.

Também na forma da Serpente.

Finalmente, sob a forma do Relâmpago.

A visualização deveria ser feita com a máxima persuasão e determinação ao assumir essas “formas” unindo-te com essas energias.

Então, imagine-se infundido por todas essas “formas”, cante o “mantra” (interiormente). Finalmente todas as formas e energias se unem com o Ponto no topo de sua Cabeça, e concentram-se nessa Luz (cantando “Aka dua...” Então: “Faze o que tu queres há de ser tudo da Lei”.

Nota: o L.I.D. é uma “versão” do exercício do Pilar do Meio e é aconselhável que o exercício do Pilar do Meio “tradicional” seja realizado antes do L.I.D. A numeração de L.I.D. é 44.Quatro Formas-Deus são atribuídas às sephiroth da Árvore da Vida:

(A.) – Torre – Malkuth

(D.) – Phallus – Yesod

(N.) – Serpente – Tiphareth

(I.) – Relâmpago – Daath

É claro que Kether não tem uma “forma”; é um Ponto. As formas têm a natureza dos elementos antigos.

A segunda fase de “preparação” para a realização do L.I.D. é um exercício do Pilar do Meio Thelêmico, que deve ser executado de uma forma parecida como o tradicional, mas as fórmulas “vibratórias” estão alinhadas com A Corrente 93:

Kether – LAShTAL

Daath – THELEMA

Tiphareth – VIAOV

Yesod – AGAPE

Malkuth: MUAUM

Assim Você está transgredindo do “tradicional” ao Thelêmico, e passando à unidade individual com a Linha de Luz, que é uma Imagem de Deus.

“Assim também é o final do livro, e o Senhor Adonai está ao redor deste em todos os lados como um Raio, e uma Torre, e uma Serpente, e um Falo, e no centro deste ele é como a Mulher que lançou o leite das estrelas dos seus mamilos; sim, o leite das estrelas dos seus mamilos.” (LXV V:65)


Traduzido por Frater S.R.