Ordo XI

VIII° / A:
Liber Invocatorum

Para esta oitava sequência nós apresentamos duas invocações – de Pan e de Hoor-Paar-Kraat – que foram usadas por nós. No entanto, nós aconselhamos, se for Sua vontade, criar as Suas próprias invocações (de Pan ou de Hoor-Paar-Kraat) e obter a Sua experiência específica através disso. O objetivo é Invocar o Deus Altíssimo por qualquer meio “razoável”.

Invocação de Pan

Preparação:

Purifique e organize o Templo à vontade, e segundo a inspiração de como arranjar o altar de acordo com o trabalho. 
O Rubi Estrela ou o Ritual de Reguli pode ser executado. Queime bastante incenso.
Em pé, voltado para o leste, feche seus olhos (esteja nu, ou pelo menos com os pés descalços). Após se aquietar por algum momento, ponha a mão esquerda no coração e a direita no abdômen (isso simboliza a tendência dos praticantes de seguir o seu caminho de seu coração), e depois recite a Invocação a fim de penetrar em sua essência e que ela inunde a sua mente.

Eu invoco a Pan – Deus Todo-Poderoso!
Eu invoco a Pan – Deus Pastoril!
Eu invoco a Pan – Deus Ilimitado!
Eu invoco a Pan – Deus da floresta!
Invoco a Pan, Pan, Pan!

Grande Deus Pan
Espaço sem limites
Da escuridão da noite e da luz do dia!

Grande Deus Pan
Céu azul
Terra sem limites
Mar sem fim
Fogo imortal!

Grande Deus Pan
Cujos acordes melódicos celebram toda a vida
Deus com a face da luz
Senhor inigualado pelo mundo!

Grande Deus Pan
De cujos chifres e Harmonia tudo nasceu
Que cria a tudo
Que sustenta e destrói tudo!

Eu invoco a Pan – Deus Todo-Poderoso!
Eu invoco a Pan – Deus Pastoril!
Eu invoco a Pan – Deus Ilimitado!
Eu invoco a Pan – Deus da floresta!
Invoco a Pan, Pan, Pan!

Eu invoco a Pan – Deus da Sabedoria!
Eu invoco a Pan – Deus da Luz!
Eu invoco a Pan – Deus da Liberdade!
Eu invoco a Pan – Deus do Amor!
Invoco a Pan, Pan, Pan! ”

Io Io Io IAO! Sabao Kirie, Abrasax Kirie, Meitras Kirie, Fale!

Io PAN! Io PAN, PAN!

Io Ishiron, Io Atanaton, Io Abroton! IO IAO!

Haire Fale, Haire Panfage, Haire Pangenetor !

Agios! Agios! Agios! IAO! “

Termine a invocação como quiser. Agora entre em meditação. Consagre pão e vinho e consuma os sacramentos.

Invocação de
Hoor-Paar-Kraat

Os arranjos à vontade. Antes de cada verso vibre o Nome de Deus Hoor-Paar-Kraat.


Depois de cada verso diga: “Armado com o fogo Você salta para fora do ventre da Mãe das Estrelas, habitando em Seu Silêncio!” em seguida, dê o sinal de silêncio assumindo a forma do Deus.

O Senhor do Silêncio! HOOR-PAAR-KRAAT!


0 – Ó tu nascido na lótus! Desvelando a Luz e expondo o desejo inocente. Eu Vos invoco!


1 – No centro da Ilusão do Magus por sua palavra AGAPE. Eu Vos invoco!


2 – Você eu invoco do trono de Artêmis, a caçadora, atrás de sua capa brilhante!


3 – Com movimento espiral eu venho à sua emanação espiral sétupla, celebrada no corpo pela exposição do amor de Nuit!


4 – A partir do balanço da pedra cúbica ígnea, a Ti eu invoco, que surge a partir da concha das águias!


5 – Eu Vos invoco, ó Tu filho, com o pentagrama dos iniciadores em meu peito!


6 – Sob o dossel da palavra 418 eu Vos invoco! Sob a armadura dourada espero Sua chegada!


7 – Eu Vos chamo para fora da floresta com lanças que marcaram a abertura de um véu púrpura!


8 – Venha para mim equilibrado, de uma pena azul imutável de Maat!


9 – Eu sou Sua lâmpada, o sublime escolhido! Vem dos campos férteis do silêncio, Você, perfeição do antigo!


10 – De ponto central vivo eu Vos chamo, com uma palma levantada entre os relâmpagos!


11 – Pela Taça de Babalon eu Vos invoco, da ilusão do poder, ó beleza da Besta!


12 – Eu Vos convoco para fora das ondas negras de Mem, pela Ankh e pela serpente enrolados ao redor de meus pés!


13 – Da casa da morte, Amenti, eu Te invoco, derrama a sua luz sobre meu Caminho!


14 – Manifeste a Sua inocência em mim, tu anjo dos deuses, ascenda rapidamente como flechas saltando longe, una-te a mim no caldeirão sagrado!


15 – Com uma fala no silêncio, eu Vos invoco! Ó, Você! Abra o Olho da Verdade!


16 – Vós, criança coroada com doze raios de glória, eu Vos trago a minha semente, guia-me para a coroa, para o brilho branco do Nada!


17 – Você eu invoco, meu centro sagrado, meu coração & minha língua! Ó Tu criança estrelada coroada com uma serpente cuja sabedoria é o mundo em iluminação!


18 – Você Vem do centro do Sol, da Rosa Cruz Dourada e do Coração escarlate!


19 – Vós eu invoco pela lua saindo de equilíbrio dentre as torres! Ó tu voz de criança do sol da meia-noite!


20 – Que a face da terra e o Êon sejam a sua Manifestação, ó tu filho da glória do silêncio
e poder Divinos!


21 – Da ilusão da matéria na grande Noite de Pan, do centro de NOX, como a Isis regozijante – eu chamo VOCÊ!


Traduzido por Frater S.R.