Copyright © 2013 by Haron Press.
52f4f2db8e237 self made magician cover

Capítulo IV

Jñāna e Bhakti Yoga
Practicus e Philosophus
Fórmula de IAO

Esta parte é dedicada ao Jñāna e ao Bhakti Yoga. Fizemos um passeio pelo Oriente nas últimas duas horas; vamos usar o que aprendemos e voltar para o Ocidente, unindo os dois opostos. Estes dois tipos de Yoga são na verdade o trabalho do Practicus e do Philosophus. O caminho brilhante da Mente e de Mercúrio e o caminho ardente do Amor e de Vênus. Essas duas direções estão claramente contidas nestas duas instruções: invoque com frequência e inflama-te em oração. Considerem isso.

Todas as práticas que vocês já fizeram e ainda farão podem ser categorizadas a grosso modo por esses dois princípios. Invoque com frequência – como mote do Practicus e inflama-te como o mote do Philosophus.

Em um deles, há uma ênfase na repetição, o que tem a ver com a mente, onde tentamos quebrar a mente por infinitos ensaios. Se estabelecida corretamente, a mente é regulada para trabalhar em um certo modo de frequência, e nosso método é parar as suas oscilações. Mas não pelo silêncio, mas por acelerar as oscilações, até que o “fio” ou uma mente que oscila simplesmente rompa. O silêncio não é conseguido pela supressão do som, mas pela destruição do dispositivo oscilatório. O Mantra Yoga é um exemplo perfeito deste princípio. Nós vamos voltar ao Mantra Yoga quando falarmos sobre métodos de Trance.

Mercúrio é na verdade uma projecção de Chokmah. Por quê? Se vocês olharem bem, ambos os Magos têm asas. Mas o Mago inferior, Mercúrio, tem asas nas sandálias. O Magus, no entanto, tem asas na cabeça. Qual é a explicação disso? Quando eu lhes disse que a mente é como um fio, em termos de Thelema isso significa que cada um de nós vibra em uma determinada frequência do nome do nosso Anjo Guardião. Nesta frequência, uma vez que o som é transmitido através do ar – ou pelo Ruach – que é o plano mais abrangente da Árvore da Vida, a única maneira pela qual você pode voar, é claro, é se você tiver asas. Então, o Mercúrio e o Magus têm asas nas sandálias e no capacete, respectivamente. Mas qual é a diferença entre eles? Mercúrio voa sob a vibração da Palavra de outra pessoa – como todos nós, que somos influenciados pela Palavra do Æon. Em contraste, o próprio Magus proclama a Palavra do Æon, ele não segue outros. Ambos são, na verdade, projeções de Tiphareth, porque sem o Sol não haveria Adeptos o suficiente para seguir a Vontade daquele que fala a Palavra de Æon. Há muitos Adeptos, mas poucos Magi. Pensem sobre isso.

O Magus proclama a Palavra, e os Adeptos aceitam essa Palavra como a Verdade, e voam sob a vibração dessa Palavra. Eles não andam, mas voam – porque suas ações estão em Ruach. Esta é uma ideia difícil e que demanda muito para contemplação. Eu não conheço nenhum de vocês pessoalmente, mas eu gostaria de parabenizar cada um de vocês pelo seu nível de conhecimento e capacidade de compreender o assunto. Estamos falando aqui sobre dois métodos – um método da mente e um método do coração. Um é mais curto, mas mais perigoso, que é inflama-te em oração. O segundo é mais seguro, mas mais lento, que é invoque com frequência. Nenhum de vocês têm perfeitamente equilibrado seu lado direito e esquerdo do corpo. Assim como ninguém pode usar as duas mãos com a mesma habilidade. Em um sentido espiritual, alguns de vocês são destros, outros são canhotos. Alguns têm inclinação natural para Bhakti; outros estão inclinados a Jñana Yoga.

O que isso tem a ver com a Argentum Astrum? Lembrem-se, só há duas maneiras de se tornar um mestre. Especializado em artes que são fáceis para você ou o trabalho permanente sobre as coisas que são difíceis para você. Quando você trabalha com o seu Superior, ambos devem considerar técnicas com as quais você se sinta confortável e outras com as quais você se sinta inseguro. Ninguém deve impedi-los de lidar com temas mais avançados, mas no que diz respeito à Argentum Astrum, a perfeição em todos os aspectos e disciplinas é absolutamente necessária. Como foi declarado muito bem em nossas notas: “Eles tomaram a única atitude apropriada; treinar aspirantes na teoria e prática de tudo da Magia e Misticismo, para que cada homem possa ser perito no manuseio de todas as armas conhecidas, e portanto livre para escolher e usar aqueles que sua própria experiência e instinto ditarem como devidas quando ele ensaia o Grande Experimento”. De alguma forma, é realmente mais seguro do que o caminho mais lento, o caminho do gradualismo – que é a essência da Argentum Astrum. Basicamente, todos os trabalhos com Mercúrio, que são extremamente práticos e principalmente mentais, dentre outras coisas, representam a sua primeira deflexão do Pilar do Meio da Árvore da Vida. Seu primeiro passo para um extremo.

Naturalmente, este afastamento não é negativo e nem ruim, ele é igualmente o seu destino e sua intenção. O desligamento da Ordem não é aconselhável para um Aspirante enquanto ele repousar sobre os Caminhos e Consecuções laterais, mas isso pode ser feito enquanto ele permanece sobre o Caminho do Meio, como um Neófito ou Adeptus Minor, por exemplo. A questão permanece, se o Adepto poderia ou quereria retirar-se do Caminho? Isso só se reserva ao Magister Templi. Talvez nem mesmo a ele.

Assim como desviamos para Hod, vamos precisar de duas vezes mais força para saltar para Netzach. E há uma grande angústia nisso.

Pergunta: O mesmo ocorre com todos os Graus e desvios da Árvore da Vida, ou só com o Practicus?

Resposta: Eu não sei o que está acima de Adeptus Major. Mas, como temos apenas 10 Sephiroth disponíveis, presumo que o mesmo modelo está presente em todos os lugares.

Pergunta: Isso é parte dos outros graus da Argentum Astrum?

Resposta: Eu não sei.

Do ponto de vista de Yesod, Mercúrio e Vênus, como os Graus de Practicus e Philosophus, estão igualmente distantes. Mas uma vez que você entre no reino do Practicus e faça seu Juramento, o seu caminho para Philosophus será duas vezes maior do que de Yesod para Hod. Já que você não pode voltar ao Caminho do Meio, você deve avançar para o outro extremo. Todos os caminhos horizontais têm tentações muito específicas. Também perceba que a soma de todos os Caminhos horizontais é de 93. Ao falar sobre o comprimento de um Caminho, eu realmente penso sobre a qualidade da tentação, não apenas sobre o tempo necessário para os exercícios ou qualquer outro rótulo quantitativo. Este Caminho é uma das coisas mais terríveis que um Aspirante experimentou até então.

Alguém sabe me dizer o nome deste caminho?

Resposta: “A Torre”.

O planeta correspondente?

Resposta: “Marte”.

Na verdade, o Practicus é atraído por Marte como Geburah acima dele – pela Sephira – mas que também está na frente dele, como um convite de Marte, mas desta vez na forma do Caminho da “Torre”. Seu caminho é tão difícil, que ele entende este poder como pura força destrutiva – a destruição das “Torres” – que foi representada no Arcano.

Crowley afirmou que esta experiência não é tão horrível. O belo Caminho da Seta e da letra Samekh é o que equilibra e dirige o Caminho da Torre. Nos lados esquerdo e direito da Torre estão as essências da Água e do Fogo, da mesma forma o Caminho da Seta sintetiza o Sol e a Lua. Pensem sobre essas coisas. Por mais que vocês sofram neste Caminho, o caminho para o Sol será fácil. Esta parte da Árvore da Vida é estabelecida sobre opostos. Pensem sobre o seguinte: o centro de Ruach é Tiphareth, como o Sol, mas diretamente abaixo dele está Yesod, como a Lua, e este é um par de opostos. O segundo par se encontra abaixo, na forma do primeiro Caminho horizontal, em cujos extremos encontramos as Sephiroth Hod e Netzach, como a Taça e a Baqueta. Finalmente, o terceiro par de opostos é expresso por Geburah e Chesed sob a forma da Severidade e da Graça. À primeira vista, a esfera do Ruach não indica nada senão a harmonia e a unidade. Mas reconsiderem a maneira que vocês pensam, vocês realmente vêem a unidade de algum modo? Unidade é a natureza de qualquer parte ou aspecto em suas mentes? Como cabalistas, podemos concluir que a unidade de toda a Árvore da Vida reside em um só lugar? Onde?

Resposta: Tiphareth.

O oposto de tais ideias é um Método, não Consecução. As tentativas de definir o conceito de união dos opostos existem há séculos. Se isso foi bem sucedido eu não sei. Se é correto, eu diria que não. A união dos opostos é uma expressão desajeitada na nossa Arte, que só traz confusão desnecessária. Se existe um caminho para erradicar a escravidão, certamente seria destruir o conceito de Liberdade em primeiro lugar. Porque só um homem preso busca a liberdade. Um homem livre, no entanto, não aspira ao que ele já tem. Só um prisioneiro anseia por liberdade. Considerem este pensamento.

O primeiro princípio que apresentei para vocês foi a consecução do Conhecimento e Conversação do Sagrado Anjo Guardião, e despertar a Verdadeira Natureza. Não pensem que estas são duas expressões distintas, elas são apenas sinônimos para discernir melhor experiências específicas de diferentes planos, eu diria. Conhecimento e Conversação são a natureza da Grande Obra expressa no nível Macrocósmico, enquanto a Verdadeira Natureza é o mesmo processo através da quebra do véu de Paroket, para a realidade Microcósmica. Vamos definir isso com palavras simples e vai ser muito mais fácil de entender. No primeiro caso temos: esta Verdadeira Vontade aqui e no segundo aquele Sagrado Anjo Guardião . A Grande Obra é realizado sem desarranjo de onde está a Vontade ou onde está o Anjo. Em vez disso, a verdade está na resposta na Vontade de quem e no Anjo de quemQuem, não qual. Pensem nisso, que a verdade do Ser não é nada mais do que a autenticidade do mesmo Ser.

O primeiro caminho, ou o último, é o Caminho do “Universo”. Que planeta é atribuído a este Caminho?

Resposta: Saturno.

O Neófito não vê mais longe do que isso. Ele literalmente entende a morte num sentido físico e terrível. Ele literalmente entende que toda a vida no universo começou com o seu próprio nascimento, e terminará com a sua própria morte. O Caminho do Universo é a sua escada e sua projeção do Caminho que está por trás dele. Uma Flecha deve ser atirada. Não é por acaso que o elemento terra é atribuído ao Caminho do Universo, assim como a Sephira Binah e Saturno também são. Assim, o movimento do Neófito de Malkuth através do Universo e até Yesod é o verdadeiro nascimento de um Aspirante. Um grande número de Neófitos, inclusive eu, tiveram uma experiência de quase-morte durante este Grau. Como dissemos, o Neófito recebe reflexos do Sol como Tiphareth; mas também pode ter um reflexo de Binah sob a forma da morte experimentada pelo corpo. No Yoga, existe uma prática semelhante ao Liber HHH vel CCCXLI, passando pelo processo da sua morte – do falecimento ao enterro. Esta é uma prática muito importante. No entanto, ninguém passou por ela e voltou. Felizmente.

O conhecimento do que está por trás da morte está em Daath, seguido pelo grande oceano negro de Binah.

Tanto o Practicus quanto o Philosophus praticam Liber HHH, para que eles possam passar completamente pelo Caminho do Universo, no plano interno. Todo mundo vai passar por esse Caminho; só porque vocês nasceram, só porque vocês vão morrer. Eu sempre sugiro que todo Neófito estude os símbolos deste Caminho com muito cuidado. A compreensão deste Caminho é muito importante para o progresso do Neófito.

O que mais é importante em relação a estes dois Graus? A construção da Taça e da Baqueta.

Este é o seu primeiro Caminho horizontal, onde Marte representa o seu Falo. Eu preciso fazer um breve resumo da fórmula de INRI. Não vamos repetir a maneira chata de converter IAO em INRI. Existem duas formas de compreender a fórmula. Thelemitas identificam como sua versão do antigo e do novo æon. Tanto quanto eu estou preocupado, a fórmula INRI é muito melhor estabelecida na maneira antiga, na eterna lenda de Ísis e Osíris. Vou explicar o porquê. Crowley era muito apaixonado com o que ele estava ensinando e com o que ele acreditava ser verdadeiro. A Lei de Thelema. Indiscutivelmente, ele tinha uma tendência a transpor e traduzir para a língua de Thelema tudo o que ele descobria, como se antes de Thelema nada existisse. Pense sobre o que é ou não é do velho æon aqui. É uma boa prática sobre moralidade e ética dentro das nossas Artes. Princípios divinos têm uma definição no tempo ou espaço? Onde está o plano de onde exercem sua influência? Talvez algo seja do velho æon, mas a grande questão é o quê? Pensem por si sós.

INRI não é uma fórmula do velho æon. Alguém poderia me dizer o que é essa fórmula?

Resposta: morte e ressurreição. A morte espiritual e a ressurreição espiritual.

De fato. Quando Isis reviveu Osíris, ela conseguiu recolher todas as partes do corpo dele que foram espalhadas sobre a Terra, exceto uma. Qual? Ela não conseguiu encontrar seu falo.

Já que falamos sobre o falo e a essência da fórmula IAO – Osiris morto e Osíris erguido – então o que é que levanta? O falo. O orgasmo é, em certo sentido, uma alegoria sobre o morrer e a morte. O elemento da morte não se relaciona apenas à morte física, mas também ao desaparecimento no pico do orgasmo. Assim, a Baqueta torna-se uma Lança. A Lança é uma arma muito importante que não é encontrada explicitamente em nosso trabalho prático. É a famosa história sobre a Lança do Destino que perfurou Cristo. Dizem que muitos cientistas e governantes, inclusive Adolf Hitler, foram inspirados por esta arma.

À parte desta especulação histórica, vamos considerar essa ideia filosoficamente. Onde está o Cristo na Árvore da Vida? Quem ou o que matou Cristo? Só para colocar uma observação, eu não disse Jesus, mas Cristo. Cristo era um título, assim como Dominus Liminis. Naquela época, havia um monte de Cristos. Eu gentilmente peço que relembrem do documento intitulado: Cartas aos Probacionistas. Sua morte, quando olhamos para trás para a nossa história sobre o arcano do Universo, é na verdade a realização de Tiphareth.

Cristo não é Cristo até que ele morra na Cruz. Pensem nisso.

Portanto, a Lança é a condição para a ressurreição de Cristo. Nós falamos em metáforas, mas eu estou tentando desacreditar todas estas ideias e estimular o seu próprio pensamento. Se ele foi um personagem histórico ou não, eu acho que é totalmente irrelevante para nós. É um imperativo poético e espiritual: todo Cristo deve morrer na Cruz. O ponto é que, como a história tem mostrado, o cristianismo não foi uma seita pacífica de modo algum, mas sim um movimento militante dentro do Império Romano. Cristo, por suas palavras, veio para nos trazer uma espada, e não a paz. Pensem nisso.

Pergunta: Você acha que a história será interpretada de forma diferente em 2000 anos?

Resposta: Você pode interpretar a história de forma diferente agora, você não precisa de 2000 anos para isso. O que você precisa é de uma câmera, dez atores, um diretor e você pode ter uma causa para qualquer guerra existente na Terra.

Simples manipulação. Se isso está sendo feito na vida de hoje, você pode imaginar como era há 2000 anos? Quando os olhos eram arrancados e as mãos eram cortadas de quem não se comportava de acordo com os interesses do império ou do reino. A manipulação é um dos maiores talentos de um Adepto. É algo que ele inadvertidamente desenvolve. Ou, pelo menos, assim é percebido por aqueles abaixo dele, pelo povo de Malkuth, pelos Homens da Terra. Já que ele é um homem que persuade as outras pessoas a seguir o seu caminho. E eles vão acreditar nele, como se acreditassem em si mesmos, então esse seria um sinal de algum senso de Liberdade, esse seria um sinal de Adeptos, que seguem o seu próprio caminho, e não de outra pessoa.

Hoje, podemos facilmente dizer que Cristo, ou mesmo Crowley, manipulava as pessoas, já que nos escritos de Crowley podemos encontrar talvez 20% de fatos verdadeiros. Uma parte do resto é meia-verdade, a outra parte é mentira completa. Vocês devem descobrir por si mesmos o que é o quê.

A essência dessa história é que, assim como o Adeptus Minor recebe projeções de Binah, ele também recebe projeções de Chokmah. Os cabalistas representaram isso de um modo muito inteligente, pois há Caminhos tanto de Binah quanto de Chokmah até Tiphareth. O Adepto não tem a possibilidade de atingir cada Sephira por sua própria vontade. Pois o que foi revelado a ele como Adepto é que ele não tem como evitar. Tempo e espaço, como Binah e Chokmah, não podem afetar seu progresso. O Caminho da Torre é a destruição de todos os modelos que não correspondem à Verdade. Infelizmente, é a maioria das coisas em nossas vidas. Por conseguinte, ele é visto como um caminho negativo. Para aqueles que vêem de baixo.

Alguém tem alguma pergunta?

Pergunta: Você acha que Crowley manipulava os outros?

Resposta: Eu aposto que sim, sem hesitação. Se você ler todos os livros sagrados e outras publicações, você realmente vê algo mais do que Crowley falando através delas? Se você quer ver isso, bem, aí é outra questão, mas estou interessado em saber o quão confiante você está de que todos esses livros de fato foram escritos por uma inteligência superior? O Livro da Lei é uma excelente publicidade. Ele escreveu até mesmo os outros livros no mesmo estilo e forma. Veja O Livro da Lei; ainda assim é de Aiwass que era o Sagrado Anjo Guardião pessoal dele, não o meu. Então, por que este Livro da Lei deve ser meu ou seu, se não há nenhuma das minhas ou das suas Leis nele? Ponto. Crowley manipulava os outros pelo simples fato de que ele podia. E não há nada de errado nisso.

Eu só quero provocar o seu pensamento e as suas crenças. Eu não sou mais esperto do que vocês. Eu só tenho uma fonte de informações mais ampla do que vocês, nada mais. Este seminário é apenas uma troca de pontos de vista, em vez de convencê-los de algo. Seria muito injusto dizer o que você deve ou o que você não deve fazer.

Eu nunca me virei para Boleskine na minha vida, e eu aposto que meus resultados não são nem melhores e nem piores por causa disso. Eu estou tentando olhar e compreender não só Crowley, mas a época em que ele escreveu e trabalhou. Uma época que era muito conservadora, então tente descobrir onde estava o ato mágico dele, e onde estava o circo social e a publicidade. Suspeite de todos.

Crowley tem que ser entendido de acordo com o panorama geral, de acordo com o seu tempo e as pessoas que trabalharam e contribuíram nesse tempo, sobre as quais agora baseamos o nosso trabalho e o nosso sistema. Crowley era parte de um mosaico, embora seja um pedaço bastante grande, ele era apenas uma parte.

Vamos voltar ao nosso programa. O fato de que alguém escreveu Liber AL ou que ele foi recebido através de uma inteligência superior não diminui a beleza e o valor desse livro. Isto se aplica a todos os documentos. Como disse Maquiavel: o fim justifica os meios. Nós sabemos o que Crowley usou como meios, mas com todo o respeito, não podemos ter certeza de qual era seu fim. Então, eu acho que é melhor manter uma atitude saudável e cética. E duvidar de tudo. Certifique-se de todos os detalhes. Tudo está interligado.

Ok, devo salientar que a violação do limite de tempo é inevitável. Com este tipo de história, tanto com o tradutor e com este tema complexo, por favor, entendam a carga que os organizadores tiveram para este seminário. Obrigado pela sua atenção. Para ser honesto, fazia tempo que eu não tinha interlocutores tão sérios e uma chance de ficar cansado da minha própria voz. Espero que amanhã possamos continuar no mesmo ritmo, dado que amanhã vamos lidar com as partes mais interessantes e mais difíceis deste workshop.

Traduzido por Frater S.R.