Banner

Passo 5:
Concentração – Uso de Mantras

Neste momento o estudante deveria estar consideravelmente familiarizado com suas próprias sensações, sentimentos e pensamentos. As práticas até então estabelecidas devem ter criado um alto grau de sensibilidade a essas fases de si mesmo de modo que com o início dos exercícios de concentração, ele não estará sob nenhuma ilusão quanto ao que existe no reino interior. Uma vez que ele começa a praticar a concentração e a meditação, será como se todas as forças dentro de si mesmo se erguessem em revolta aberta contra essa disciplina. Memórias antigas e sentimentos infantis serão ativados pelo exercício e podem perturbá-lo a menos que ele tenha atingido um elevado grau de autoconsciência. É na aquisição dessa consciência que grande parte do valor dos exercícios anteriores reside.

Os exercícios anteriores devem ter resultado na aquisição de algum grau de paz e tranquilidade. Uma sensação de bem-estar e segurança interior surgirá de dentro. É na tranquilidade e calma agora desenvolvidas que é possível, por assim dizer, que a mente se abra e receba o influxo do Espírito Santo. Mas a prática é fundamental.

Deve ser mais fácil de estabelecer períodos mais frequentes e curtos de trabalho mental durante o dia, a fim de treinar a mente de forma mais eficaz para se concentrar. Esses períodos de silêncio, calma e reflexão interior, introspecção e concentração, prepararão o estudante para receber a Luz interior. Mesmo que a princípio nenhum progresso pareça acontecer, e nenhuma resposta for sentida, não se deve permitir que o desânimo amorteça o fervor e nem que provoque uma interrupção do esforço. No momento, o estudante não tem nenhum meio de medir seu progresso. Resultados imediatos não são, como regra, emergentes. Com intenção séria, todo o conceito de esperar que algo aconteça rapidamente será deixado de lado, com a ênfase sendo colocada sobre as vantagens de ensinar à mente uma disciplina importante e extremamente necessária.

No processo de adquirir essa faculdade de concentração, haverá uma série de efeitos colaterais que são da maior importância. O primeiro é o desenvolvimento da Vontade, e em segundo lugar, a faculdade da Imaginação ou de construção de imagens sofrerá uma grande melhoria. Ambas as faculdades provarão ser infinitamente valiosas no processo de crescimento e desenvolvimento interior. Alguns dos resultados dos exercícios a seguir dependerão do uso dessas faculdades interiores, as faculdades chamadas de soberanas, a Vontade e a Imaginação.

O estudante já terá descoberto que zoológico que ele tem dentro de si. As tentativas de observar as sensações do corpo no início deste trabalho, seguido por assistir o fluxo de pensamentos e ideias sem interferir com o seu movimento, terão mostrado a ele algo da natureza de seu mundo interior. Estes não podem ser ignorados, nem podem ser combatidos e suprimidos. A mera tentativa de fazer isso aumentará a sua intrusão e lhes dará poder que normalmente não têm. Mas conforme eles são observados e assistidos, eles tendem a diminuir em frequência e potência, e assim criam as condições adequadas para o desenvolvimento da concentração.

É essa conquista, que prepara o terreno para o início do trabalho de concentração e, mais tarde, de meditação. Para alcançar esse poder, alguns preliminares são úteis. É bom lembrar que, embora nosso objetivo final seja alcançar um estado de calma e tranquilidade interior, nunca devemos tentar forçar a mente à quietude, nunca tentar parar de pensar ou deliberadamente limpar nossos pensamentos. De qualquer modo, é uma meta impossível. Temos que aprender a ter paciência para conquistar qualquer sentimento de inquietação. Para adquirir esta paciência, há métodos que serão utilizados que facilitarão o nosso progresso para este fim.

A mente é uma criatura de hábitos. Uma autoridade como William James declarou que velhos hábitos inúteis só podem ser quebrados no desenvolvimento de novos e construtivos. A mente tem uma tendência natural de adotar hábitos. Você sabe como criamos o hábito de fazer as coisas, especialmente hábitos de fazer as coisas em um determinado momento do dia. Assim criamos o hábito de acordar em um determinado momento da manhã; tomar café da manhã, almoçar e jantar em determinados momentos, não porque estamos realmente com fome, mas porque desenvolvemos o hábito de comer nessas horas. Uma vez que o padrão seja definido, normalmente tendemos a acordar ou ir para a cama no mesmo horário. Com efeito, a prática de qualquer ato, a persistência de qualquer conjunto de ideias que ocorrem regularmente em um horário definido do dia, resultam em uma tendência muito forte para a recorrência dessas ideias, ou para a prática daquele ato no mesmo tempo todos os dias.

É este fato que nós usamos para nos auxiliar em nossa prática de concentração. Escolha um determinado momento do dia. Pratique sempre no mesmo horário, mesmo que seja apenas por dez minutos, mas sempre exatamente na mesma hora do dia, na mesma sala, e na mesma cadeira ou postura. Em pouco tempo, o hábito se estabelecerá como um reflexo condicionado e você achará muito mais fácil de concentrar a mente neste momento do que em qualquer outro. Na verdade, se você tentar pular a prática naquela hora, é provável que você experimente uma sensação de inquietação ou de ansiedade, que então irá forçá-lo a trabalhar.

Se você tem uma sala específica que pode ser reservada exclusivamente para as suas práticas, melhor. Queimar uma vareta de incenso ou acender uma vela pode ajudar provocando um estado de espírito devocional que pode criar disposição para trabalhar duro. No entanto, se não há espaço extra e se incenso não pode ser queimado ou uma vela acesa, não se desespere ou considere-os como obstáculos ou ache que está condenado. Eles são apenas conveniências e nada mais.

Outro dispositivo simples e tradicional para desacelerar o rápido movimento da mente é conhecido como mantra. À parte de mais considerações técnicas, um mantra é simplesmente uma palavra ou uma frase, geralmente de natureza religiosa, que se repete continuamente, seja de forma audível ou subvocal, até que seja absorvido pela própria mente. Nesse caso, a frase continua a se repetir automaticamente. Desta forma, um auxílio mecânico para a concentração é aperfeiçoado, que pode então ser usado para favorecer os objetivos pré-determinados.

Para aqueles com uma predileção pela oração e simbolismo cristão, o método descrito anteriormente deve provar-se o ideal. Para outros, cujos corações podem estar em outro lugar, deixe-me sugerir o seguinte mantra Hindu. Ele também tem oito sílabas, que podem ser divididas em duas linhas de quatro compassos cada:

Om Na Ma Ha
Shi Va Ya Om

Esta invocação deveria ser memorizada, o que é fácil, e então recitada mentalmente no tempo certo com a respiração. Ao inalar diga: Om Na Ma Ha e ao expirar: Shi Va Ya Om. Com apenas um pouco de esforço, o mantra se torna relativamente fácil de recitar, cronometrado pelo processo de respiração.

Uma vez que ele tenha se tornado relativamente automático, o estudante pode refletir mais sobre o que significam as frases, e com que paixão elas são ou podem ser dotadas. É essa força emocional que direciona a mente incisivamente à manutenção do mantra até que a concentração seja um fato sempre presente. A carga de emoção para a repetição mecânica da oração força a mente recalcitrante a se comportar, induzindo um profundo estado de concentração. Com alguma prática, a concentração pode ser ligada e desligada até que se torne uma faculdade que é tão prontamente disponível como é a corrente elétrica em uma casa moderna.

Mais uma vez deve ser repetido que, embora teoricamente um mês seja atribuído a este exercício em particular, pode ser necessário estender consideravelmente o período de tempo necessário para obter familiaridade e domínio sobre o método. Se necessitar de seis meses, então por todos os meios continue a trabalhar pacientemente no mantra, porque os objetivos que você tem em mente não se limitam apenas a um período de seis meses. Eles vão agir sobre e alterar todo o curso da sua vida futura. Portanto, não há razão para discutir sobre um mês ou doze meses, ou sobre apressar o processo. Todo o que importa é se esforçar pacientemente no santo trabalho que nesta fase é a aquisição de concentração.


Traduzido por Frater S.R.