Banner

Passo 6:
Desenvolvimento da Vontade

Na sua Introdução aos Yoga Sutras de Patanjali, William Q. Judge faz a afirmação de que os antigos sábios hindus conheciam o segredo do desenvolvimento da Vontade, e como aumentar a sua potência e eficácia. Este segredo das eras, o aprimoramento do poder da Vontade e da Sabedoria, nunca foi realmente perdido. A Vontade, para o estudante dos Mistérios, é o principal fator na produção de quaisquer mudanças espirituais as quais ele se propõe. Não é nem bom nem ruim em si; é apenas poder e vitaliza todas as coisas da mesma forma.

O segredo do desenvolvimento da Vontade é a criação de determinadas metas e se não forem seguidas, privar-se de algo que dá prazer. Que seja claramente entendido que não há nada bom nem mau aqui, neste processo. Privar-se, digamos, do café da manhã como punição por ter perdido o treino da manhã, não o torna virtuoso ou bom, nem deve resultar na sensação de que ter desistido de várias centenas de calorias de nutrição tem um ganho moral em uma perda de peso metabólico. Deve-se perceber desde o início que este método, que podemos chamar de uma espécie de ascetismo modificado, não é nem um vício nem virtude, nem bom nem ruim, assim como a Vontade em si é não tem cor, e não é nem boa e nem ruim em si.

Surgiu uma variedade de técnicas sobre essa proposição básica e alguns métodos extremamente eficientes têm evoluído nos últimos anos – métodos livres de todas as implicações desagradáveis ​​e tendências morais dos sistemas mais antigos.

Talvez o método mais eficaz de reforço da resposta condicionada seja aplicar um leve choque elétrico. Na maioria das lojas de mágica e de truques você será capaz de encontrar um pequeno gadget que dará um choque muito leve quando o dispositivo é puxado do recipiente que o envolve. O choque é leve, mas o valor da surpresa é considerável. Caso seja utilizado imediatamente após o voto quebrado ou ação proibida, a associação se fixará e uma vigilância constante por parte da Vontade será estabelecida. Por esta razão, é necessário que você carrega o gadget com você o tempo todo para que o choque possa ser dado imediatamente após uma violação ocorrer. Desta forma, a ação proibida e o choque elétrico se combinarão.

De acordo com este sistema, a técnica é organizada de modo a incluir todo o campo da ação, fala e pensamento humanos, e, portanto, é aplicável à constituição inteira do homem. Está de acordo com o conceito geral de disciplina que uma certa ação, palavra ou pensamento que se tornou habitual e involuntário deve ser negado ou anulado. Como por exemplo, jurar por um período provisório de tempo, digamos uma semana, a abster-se de cruzar as pernas sobre o joelho quando sentado, ou talvez não levantar a mão esquerda até a cabeça ou o rosto. A grande vantagem é que não há viés moral nessas sugestões. Não é virtuoso abster-se de cruzar as pernas ou não tocar o rosto com a mão esquerda. Desta forma, o estudante se livra da tendência de criar uma virtude tola em cima de sua disciplina.

É necessário também observar que não há nenhuma sugestão de aplicar o princípio ascético nesse esquema ao que é comumente chamado de um mau hábito, como fumar, beber ou falar palavrões. Fazê-lo seria convidar certos indivíduos com neuroses compulsivas a considerar sua abstinência como uma virtude a ser muito elogiada, em vez de perceber que a negação é simplesmente uma questão de conveniência e de treinamento, uma idiossincrasia pessoal à qual nem crédito e nem culpa devem atrelados. Uma atitude completamente impessoal de desapego deve ser mantida. A aplicação do regime é necessária para as ações, palavras e pensamentos aos quais seja completamente impossível atribuir um valor moral. Não é concebível que o aluno inteligente fará uma virtude religiosa do fato de que ele se abstém de cruzar os joelhos ou que na ocasião ele não tocar sua cabeça com a mão esquerda. Ele pode formular outras tarefas para este fim.

Agora, para cada violação deste voto de abstinência de certo curso de ação, determinada punição deve ser infligida. É desta disciplina que a Vontade deriva seu treino e sua força. Por exemplo, suponhamos que o estudante tenha decidido abster-se por um período de 48 horas de cruzar o joelho direito sobre a perna esquerda quando estiver sentado. Durante um momento de esquecimento, e haverá muitos, pode ser que o aluno realize o ato proibido. Essa violação deve ser punida imediatamente, de modo a criar uma impressão duradoura na mente, quer por um ato ou privando-se de algo que normalmente dá prazer.

Poder-se-ia ficar sem o lanche ou a sobremesa depois do jantar, ou no caso de um fumante, eliminar o cigarro ou cachimbo do meio da manhã. Eu acho que o choque elétrico é melhor. Dessa forma a ação proibida se associa com a dor ou uma privação de prazer e logo se reforça pela repetição em um reflexo condicionado. Isso logo deve operar automaticamente sem o estudante ter que dar qualquer atenção consciente à questão. Uma curiosa vigilância é estabelecida por parte da Vontade, um fluxo livre e inconsciente de atenção estando sempre presente e pronto para executar os desejos do estudante. Logo se descobre que quando numa conversa casual e num estado de total esquecimento do voto, qualquer tendência automática das pernas, por exemplo, de repetir sem pensar o hábito que há muito se acostumou, será imediatamente detectado pela Vontade muito antes de o ato proibido estar na metade de ser completado, e a tendência será interrompida em seu início.

A consequência é óbvia. Enquanto o tempo avança, o estudante realiza duas coisas separadas, ambas sendo os principais aspectos da Grande Obra. Uma vigilância perpétua aproximando-se de uma corrente muito poderosa de força de Vontade foi gerada. Isto, desde o início, tende a trazer as atividades múltiplas da psique humana sob o controle consciente da Vontade.

Um resultado ainda mais importante, do nosso ponto de vista atual, é que não só o estudante encontrar-se em posse de uma forte Vontade, como também a mente gradualmente foi posta sob controle. A perda do prazer é experimentado quase como se dor lhe fosse infligida, e todos nós retrocedemos por sua repetição. Então ao invés de sentir dor ou desprazer, um controle é exercido, o que resulta em um controle mais fácil da mente, facilitando o desenvolvimento da concentração.

Como uma observação, pode-se mencionar que o método descrito tem sua contraparte moderna no que é chamado de modificação de comportamento ou terapia de aversão. Baseia-se essencialmente na obra original de Pavlov, décadas atrás, com o reflexo condicionado. Tem sido usada com considerável sucesso, mesmo em questões tão prosaicas como o controle do peso e na erradicação do hábito de fumar. As modificações iniciadas pelo psicólogo Skinner têm um amplo uso atual, atingindo até mesmo em vários aspectos de nossas instituições penais e reabilitação de prisioneiros.

 


Traduzido por Frater S.R.