Banner

Notas Sobre a Publicação de Liber OZ

“Faze o que tu queres deverá ser o todo da Lei”

Na manhã do dia 21 de dezembro de 1941, duas semanas após o ataque a Pearl Harbor e durante o solstício de inverno, Crowley realizou o “Ato Mágico” de publicar formalmente Liber OZ. Ele registrou os nomes dos 11 primeiros destinatários, cada um sendo um líder em sua área. Estes foram: 1) Literatura – H.G. Wells, 2) Nobreza & Imprensa & Ar – Lord Edward Donegal, 3) Medicina – Ivor Back, 4) Arte – G.F. Kelly, 5) Exército – General Fuller, 6) Marinha – Sir R Keyes, 7) Agriculturae – FW Hylton, 8) Direito – Lord Maugham, 9) Igreja – Vicário de St. George, 10) Comércio – Todas as crianças, 11) BBC e Teatro – Esme Percy. Crowley registrou a hora exata em que enviou o primeiro pacote de 11 cópias: “9¾ AM”. Não foi a primeira vez que Crowley registrou a quem ele enviou as primeiras cópias de sua publicação mais recente. Na verdade, isso era algo comum – mas geralmente as primeiras cópias eram enviadas para membros da A∴A∴, membros da O.T.O. e associados próximos. No entanto, neste caso Crowley escolheu de propósito membros influentes da sociedade, esperou pelo momento mágico adequado e registrou a hora exata do envio. Ao distribuir o OZ desta maneira, Crowley estava plantando sementes do que ele esperava ser “uma maldita de uma grande Revolução”.

O Liber OZ, que Crowley inicialmente chamava de “Objetivos de Guerra” de Thelema, foi compilado ao longo de vários meses no final de 1941. Essa Proclamação dos direitos do Homem bebe quase que inteiramente de dois textos escritos anteriormente: Liber AL vel Legis e os rituais da Ordo Templi Orientis. Essa seria a última Proclamação para a Humanidade de Crowley, e pode-se dizer a melhor. É tão relevante hoje quanto era na Europa destruída pela guerra dos anos 40.

Existem duas versões da primeira edição do cartão de OZ. As duas foram impressas pela Apex Printing e são idênticas exceto pelo timbre, que em uma era a figura do Atu do Diabo e na outra o do Aeon. No total foram impressos 300 (50 do Diabo e 250 do Aeon). Era uma única folha de papel, impressa em ambos os lados, medindo 19,05 x 19,69 cm. Formalmente “Publicado pela O.T.O. na Abadia de Thelema, Rainbow Valley, Palomar Mountains, Califórnia.  E na Hanover Square, Londres, W.1. An lxv Sol em O° de Capricórnio”.  Ambas as versões são impressas em azul escuro dos dois lados.  Essas cartas também seriam a primeira publicação oficial de uma imagem do deck de Thoth.

Anexei as imagens digitalizadas (frente & verso) coloridas das duas versões da autêntica 1ª edição. Os mais astutos perceberão o erro na segunda linha onde a letra L da palavra “Law” (Lei) deveria estar em maiúsculo – infelizmente esse erro se repetiu em todas as edições do OZ publicadas por Crowley na Inglaterra. Subsequentemente, este mesmo erro aparece em muitas (se não na maioria) das edições modernas. Também gostaria de notar que na primeira linha da seção 2 a palavra “the” está repetida. No entanto, esse erro só se limita as primeiras edições inglesas e suas cópias.

Foto do texto original de Liber OZ

Primeira versão do verso de Liber OZ

Segunda versão do verso de Liber OZ

“Amor é a lei, amor sob vontade”


Traduzido por Frater Set Rah em 2017.