Banner

Editorial,
The Equinox Vol. I N° 6,
Setembro de 1911 e.v.

Vagarosamente, mas seguramente, o Equinox escala de cume a cume de prosperidade. Tal foi a resposta ao apelo do nosso número anterior que fomos capazes de executar a tarefa de traduzir as Instruções Oficiais da A∴A∴ para o francês, e, se isso continuar, seremos capazes de publicá-las em todas as línguas importantes do mundo nos próximos dois anos.

O seu fatigado Editor também foi capaz de passar o feriado mais longo e feliz de sua vida. Rio e floresta deram a ele tudo o que a natureza pode dar; e esta foi a menor parte de seu contentamento. Além disso, ele foi capaz de preparar, sob orientação sublime, doze Instruções Oficiais da A∴A∴, de concluir o grande Dicionário Cabalístico de Gematria, e começar o quase igualmente importante Dicionário Grego em linhas similares.

Ele teve tempo ocioso para produzir mais peças, esquetes, poemas e estórias neste último ano do que ele foi capaz em quaisquer cinco anos prévios de sua vida.

Por tudo isso sua gratidão é devida, e precisa ser expressada, à devoção auto-sacrificial de nosso comprometido sub-editor, o Sr. Victor J. I. Neuburg. Raramente em toda a história um exterior tão desagradável ocultou tais excepcionais qualidades  de coração e de cérebro, tal coragem indomável, tal inflexibilidade de vontade, tal lealdade e honestidade. Estamos felizes em saber que ele está prestes a aceitar um cargo bem pago na equipe do nosso jornal rival The Looking Glass, e aquele que canta tão musicalmente possa por sua vez fazer com que os outros cantem.

Como observamos acima, estamos fazendo com que vários extratos do Equinox sejam traduzidos para o francês.

Também estamos felizes em ouvir relatos tão bons quanto este de todos os ramos. O Norte e as Midlands já estão fazendo Londres observar seus louros; o Oeste superou todas as expectativas; América, África do Sul, Burma, Índia, Península Malaia, África Ocidental, todas prosperam. A Austrália recebeu uma importante adição à sua força; temos excelentes relatos da Colúmbia Britânica, do Paraguai e do Brasil. A França está sendo especialmente atendida no momento, mas a Holanda, Suíça e Alemanha não precisam de tal auxílio. O trabalho na Espanha ainda é dificultado por causa das condições políticas, e lamentamos ouvir pouco da Itália. O trabalho na Algéria e no Egito estão de algum modo arreados, mas esperamos que até o inverno veremos a tarefa fundamental cumprida adequadamente.

Enquanto vamos para as prensas da gráfica, estamos exultantes com os mais excelentes relatos de Cáucaso, onde o bom trabalho feito pelo Monsenhor Nelidoff  vinte anos atrás se concretizou maravilhosamente.

No que diz respeito ao progresso pessoal dos Probacionistas, nada poderia ser mais satisfatório. O processo de peneiração, sutil mas severo, iniciado por V.V.V.V.V., e conduzido tão cuidadosamente pelo Præmonstrator da A∴A∴ foi perfeitamente bem sucedido.

Todos os dias surgem relatos que exemplificam o fato de que as pessoas que não fazem as práticas, mas sim que fazem fofoca sobre a A∴A∴, se encontram misteriosamente de fora, sem uma palavra dita; e o fato correlativo de que as pessoas que fazem as práticas descobrem que resultados de fato acontecem.

Isso é muito surpreendente, até mesmo para nós; sob os velhos métodos empíricos e dogmáticos as pessoas poderiam trabalhar duro por anos, e não conseguir absolutamente nada; na experiência dos nossos três anos com a A∴A∴, não encontramos sequer uma pessoa para quem três meses de trabalho não tenham produzido pelo menos um resultado notável.

O que podemos adicionar senão isso: Benção e adoração à Besta, o Profeta da Amável Estrela!


Traduzido em janeiro de 2019 por Alan M. W. Quinot.