XXXIII – Visões de Quadrados sobre as Tabelas Enoquianas

Um capítulo de Os Pergaminhos Voadores

Visões realizadas projetando nos quadrados das Tábuas Enoquianas.

Banner

XXXIII
Visões de Quadrados Sobre as Tabelas Enoquianas

Uma Visão do Quadrado “n” do Ângulo Aéreo Menor da Tabela da Água

pela M.H Sor. Vigilate (Helen Mary Rand)

Tendo recitado a 4ª e 10ª Chamadas Enoquianas, e invocado os Nomes Angélicos da Tabela da Água, e do Ângulo do Ar, fui levada pelas ondas móveis e suaves de ar quente e úmido, através das quais eu pude ver o céu azul brilhante com nuvens branco acinzentado se movendo rapidamente. Ascendi no Ar até que eu me encontrei em uma vasta planície de areia, à minha direita um pouco de vegetação, à minha esquerda um grande rio com árvores e grama em suas margens. Uma brisa fresca soprava do rio em toda a planície, e parecia refrescar o verde após o calor do dia.

Chamei Ahephi à aparência e a forma gradualmente preencheu o lugar até que a cena desapareceu completamente. Testado pelas letras, cresceu imensamente maior, e parecia ter um nêmes listrado de amarelo e azul, envolto em branco, com largas faixas azuis em sua volta, e uma luz amarelo-esverdeada brilhando sobre ele. Eu dei os sinais de L.V.X. e pedi que mostrasse a Esfinge de seu poder. Isto surgiu gradualmente através da luz amarela por trás da Forma-Deus, de cabeça humana, um rosto muito bonito e brilhante, asas, nêmes amarelo e azul, garras de Águia estendidas na frente, e patas traseiras e cauda de leão, em uma posição reclinada.

Ao pedir pela ação da força do Quadrado, foi mostrada uma bolha de Água em que o Ar era continuamente derramando, e expandi-a até que ela explodisse e desaparecesse, a energia parecendo então passar para outras formas e passar sob o domínio de outro quadrado. Parecia uma ação transitória, mais um iniciador de novas condições do que um fim em si. Perguntei o seu efeito sobre a terra, e fui levado à cena que eu tinha deixado, e vi mais uma vez como a brisa úmida do rio dava nova vida à vegetação que havia murchado durante o dia. Pedindo pelo seu efeito sobre o mundo animal, foi-me mostrado um Cervo perto de um lago. A corrente de força passando sobre ele, parecia trazer o alvorecer da razão e o vislumbre da consciência, os primeiros sinais conscientes de um animal. Agindo sobre o homem, parecia afetar o cérebro, produzindo um movimento de ondulação vaga que impediu a fixidez do pensamento e a definição de ideia, a perda do poder de concentração.

Então eu pedi para ver os elementais do plano, e vi diversas figuras humanas de pequeno porte, belas, de expressão ativa no rosto, corpos sólidos se comparados à cabeça, asas grandes como libélulas, que eram iridescentes e pareciam refletir a coloração das coisas ao redor delas.

Dei os Sinais de 5=6 para a Esfinge e então chamei o Anjo do Quadrado. Eu vi acima do Deus a figura que eu atraí – as Asas sobre a Coroa eram azuis, a couraça de aço brilhante com o símbolo da Águia sobre o peito em ouro, a roupagem de baixo era de um verde amarelado, e os pés descalços.

Uma Visão do Quadrado “A” do Ângulo Aéreo Menor da Tabela da Água

pela M.H Sor. Vigilate

Depois de vibrar os nomes do Ângulo Aéreo da Água e ler a Chamada, eu parecia estar no Ar, subindo em uma corrente de pequenas gotas de água que eram lançadas para cima e em todas as direções, e eram de todas as cores do arco-íris, muito pequenas e iluminadas. Ao procurar a fonte, eu vi abaixo um enorme volume de Água caindo de uma grande altura, e esta atmosfera onde eu estava era o borrifo saindo dela. Chamei Ahephi à aparência , gradualmente obtive a forma de Deus, como antes, mas de pé acima de uma pirâmide composta pelos Elementos vivos. Os lados de Água do Quadrado eram como duas ondas de azul-esverdeado, sempre subindo e descendo e em todos os lados estavam em movimento contínuo, e davam a ideia de agitação intensa. Eu dei os Sinais de 5=6, o testei, e pedi que mostrasse a Esfinge. Esta apareceu em uma névoa amarelo-esverdeada atrás de Ahephi, em uma posição agachada, com os braços humanos esticados na frente. Uma coroa de prata com safiras sobre a cabeça de Leão. Eu saudei com os Sinais, que foram devolvidos. Eu pedi pela explicação da força do Quadrado, mas não pude obtê-la claramente. Parecia uma força sutil e sempre em movimento, que trabalhando imperceptivelmente traz a purificação e a limpeza com ela.

Os elementais que obtive eram algo como os do Quadrado de “n”, mas menores e em cores do Arco-Íris, e eles se moviam mais rapidamente.Eles carregavam taças nas mãos, em forma de lótus, nas quais eles capturavam gotas de água e lançavam-se no Ar com elas. Na Terra, seu trabalho parece ser a purificação do magnetismo. Eu não consegui obter nada mais claro, embora eu tenha tentado por um longo tempo.

Uma Visão do Quadrado “x” do Ângulo Aquoso Menor da Tabela do Fogo

pela M.H Sor. F.e.R. (Annie Horniman)

Levantei-me através da pirâmide com a Luz Branca, que escorria do Ápice, e vinha para o Céu, onde as mesmas cores são repetidas como no nascer do sol, etc. A pirâmide colossal e Amesheth sobre ela, uma figura mumificada em branco, as faixas de cores como a pirâmide e um rosto humano azul (o mesmo azul que eu vi em pinturas egípcias). Eu fiz os Sinais e chamei os Nomes e supliquei que me fosse permitido ver o Anjo. Ela apareceu com uma crescente lunar azul sobre sua cabeça, e cabelo castanho, que era muito longo. Sua túnica era azul claro com uma borda preta, e um pentagrama em vermelho no peito: suas asas também eram azuis, e assim também era a Taça em sua mão esquerda, em sua mão direita, ela segurava uma tocha vermelha. Em torno dela havia um diamante de yods vermelhos. Ela me disse que sua função era "a mudança e a purificação através do sofrimento, tal qual espiritualiza a natureza material". Eu disse a ela que seu rosto pálido e seus olhos azuis tinham uma expressão triste e terna conforme ela falava. Os inferiores eram semelhantes, mas menores, e nem todos eram alados. Os elementais eram como servas azuis, portando chamas, e suas vestes tinham bordas pretas. Alguns usavam capacetes alados e mantos azuis, placas peitorais vermelhas e espadas e armaduras para perna negras. Foi-me dito que só através do meu conhecimento de Amesheth tudo isso me foi mostrado.

Então eu vi a Esfinge. A cabeça era a de uma Águia azul, e assim eram as costas e as asas, a cauda e as patas traseiras eram negras e como um Touro e as patas dianteiras e o peito de um Leão vermelho. A criatura estava sobre um pedestal de mármore preto. Saudei-a e a chamei pelos Nomes para me dizer sua natureza e função, sua qualidade universal; ela disse: “É a mudança e o desenvolvimento, aparentemente não harmoniosos, mas tornando-se estáveis após os primeiros esforços”.

Nos Elementos (clima) inundações de chuva e raios refrescam a Terra. Os elementais e anjos estão descritos acima. O efeito geral do Quadrado sobre a Terra são os esforços parcialmente desequilibrados do universo material em direção à perfeição – esforços estes que estão todos voltados para o espírito e todos necessários – pois todos reunidos estão equilibrados. Nas Tabelas há um número igual de triângulos de cada elemento.

Neste Mundo o efeito é o das inundações de água misturando-se com vulcões submarinos e assim perturbando a Terra sob o Mar. A vida animal é representada por peixes que estão escondidos entre as rochas em climas quentes. Eu parecia vê-los, azuis com pintas pretas ou vermelhas. As plantas são os nenúfares, uma raiz na lama preta, as folhas descansando na superfície da água, adorando o Sol. Em relação aos minerais, vi uma grande opala azulada com luzes vermelhas brilhando dentro dela: estava em uma vasilha de mármore negro, e de todos os lados irradiava uma luz encantadora.

No homem o efeito do Quadrado é a inquietação, como as ondas do mar, conduzindo-no com entusiasmo a algum trabalho concluído. Parece que vi uma pessoa nervosa (muito tensa) com um rosto pálido, profundos olhos escuros e finas mãos brancas, fazendo um grande esforço, disposto a passar pelo fogo para alcançar seu objetivo, um sólido pedestal preto a partir do qual eu sabia que ele poderia começar a subir para o Superior. Mas nuvens quentes de vapor e muita água tentavam impedi-lo de até mesmo alcançar o fogo. A lição parece-me ser que a crítica severa, as dificuldades sociais e a hereditariedade devem todas ser superadas antes que possamos alcançar o fogo purificador da Iniciação e, através dele, o chão sólido do conhecimento espiritual.

Uma Visão do Quadrado “n” do Ângulo Aéreo Menor da Tabela do Fogo

pelo M.H. Fra. A.P.S. (Dr. Pullen-Berry)

Pirâmide formada sobre mim. (Lembre-se que a pirâmide é apenas a Fórmula simbólica do plano, e não uma pirâmide material sólida.) Passei através dela, procurei pela pirâmide do plano e a vi imediatamente com a sua face amarela voltada para mim, e um grande brilho branco no topo. Me aproximei e vi Aheiphi no centro do brilho, e ele mesmo claro e branco. Ao chamá-lo, ele virou sua cabeça e em resposta aos Sinais de 5=6, ele a inclinou. Eu disse que queria entrevistar a Esfinge da pirâmide, ele consentiu e eu desci para ali.

Vi-o facilmente e imediatamente, mas suas cores não eram brilhantes. Pedi-lhe para me explicar as forças a que ele correspondia, começando com a força universal que ele representava. Resposta (Pela expressão, eu sou surdo às palavras) "Eu represento as forças ativas atuando entre as águas acima e as águas abaixo do firmamento, dividindo as águas e energizado pelo fogo. Duas forças ativas que operam no meio de uma força passiva polarizada. Você, pessoalmente, não pode ver uma aplicação universal desta correspondência, mas você pode vê-la na natureza no clima, onde o Fogo e o Ar mantém as Águas superiores e inferiores separadas. Ela representa uma atmosfera nublada com um mar abaixo, mas o ar é seco e em em movimento ativo: não há chance de chuva, nem há muita evaporação da superfície. É um clima muito estável com muitas nuvens altas circulando na atmosfera". Mais tarde, afirmou: "Na criação eu represento a separação das Águas; a expressão da forma física fora do Astral que tudo contém; e também o contrário, a restauração do físico daquilo que o mantém nessa condição; portanto, o retorno do físico para o Astral. Eu sou apenas uma das forças por meio do qual atuaria o Fogo". (Isto parece-me ser uma força da qual fala a Alquimia, como aquela que "fixa o volátil" e "volatiliza o fixo", de acordo com a forma que é dirigida). Na figura do Homem você tem um tipo de rosto redondo e de partes inferiores e pernas cheias, com ativos e fortes, mas talvez menos desajeitados, costas e braços; o tipo de mente, no entanto, é muito boa, é meditativa, e sua meditação será acompanhado por raciocínio sutil e perspicaz e pensamento energético. Isso o levará a comparar o inferior com o superior, e o superior com o inferior. Apenas o tipo de mente para descobrir por si mesma que "assim em cima como embaixo" é uma grande verdade na natureza. Porque se ele dirige sua atenção para a parte superior e inferior igualmente, ele é um filósofo, combinar a religião e a ciência em uma união sublime".

Entre os animais, não peguei nada senão o Elefante, e da natureza da mente do Elefante, que pode ser considerada meditativa de um ponto de vista animal, a sua inteligência, força física, volumosa forma aquosa, e sangue quente. Estou inclinado a pensar que esta atribuição é correta, embora primeiramente parecia incongruente. Além disso, o uso do Tau não alterou a visão.

Entre os vegetais, recebi a impressão da banana. Entre os minerais, vi uma coluna de cristal laranja com extremidades piramidais (acho que hexagonais).

Perguntei-lhe (à Esfinge) para mostrar-me a Anja e me acompanhar para fora para vê-la. Ela apareceu como segue: rosto arredondado, cabelo curto encaracolado, auréola brilhante de luz marrom, e uma pequena coroa dourada. Manto azul no pescoço e na parte inferior, cingida com um cinto branco e dourado, com o nome em ouro, o manto branco no centro. Asas pequenas e branco-azulado. Em sua mão direita ela segurava uma varinha pequena de madeira como o cedro, com a ponta superior de ouro de uma forma quase cúbica, e em sua mão esquerda uma forma peculiar, de base marrom escuro.

Então, do cume da pirâmide, eu examinei a terra que circundava o local. No lado amarelo há alguma distância havia um mar, passando para a direita havia um bosque escuro e denso, a terra se elevava gradualmente até o oposto, o lado vermelho da mesma (da pirâmide) erguia-se aparentemente, como uma ladeira de areia do deserto até que encontrava um nevoeiro que escondia tudo atrás dele; passando para o quarto lado, a região era muito plana. Havia lagos e pântanos e além deles um terreno um pouco arborizado. Os lagos e pântanos pareciam como se fossem em parte de sal e em parte de água fresca. Como se a pirâmide ficasse em um local onde as águas da terra entrassem em contato com as águas do mar, embora eu não pudesse ver onde e como que qualquer um deles, o sal ou a corrente, surgiram ali. Não havia entrada do mar, nem havia um rio da terra.

Uma Visão do Quadrado “c” do Ângulo Terreno Menor da Tabela do Ar

pelo M.H. Fra. Resurgam (Dr. Berridge)

Tendo recitado a 8ª Chamada Angélica e fechado a mim mesmo dentro de uma pirâmide como a acima, vibrando os Nomes, eu segui o raio e me encontrei em uma atmosfera quente, muito seca; portanto invoquei o Deus Kabexnuf pelo poder c.n.m.o., em cuja aparição eu usei todos os testes que eu sabia, pelo qual ele foi fortalecido. A meu pedido ele então manifestou a Esfinge de seu poder, que se tornou visível para mim. Ele repousava sobre um cubo preto. Tendo mais uma vez usado os Sinais e aplicado os testes, eu pedi informação a respeito do Quadrado, quando minhas repetidas invocações trouxeram diante de mim o Anjo, uma poderosa figura viril de proporção e força requintados. Ele então me mostrou a ação no Macrocosmo, que parecia ser a solidificação de Nebulosas em Mundos por atração mútua das partículas. Então, sobre este planeta, estávamos na boca de um vulcão ativo em erupção, tanto que estávamos cercados por lava voando. Era extremamente quente, e quase mecanicamente eu formulei em mim mesmo a ideia de envolver-me em um Apas, mas uma voz firme disse: "Você não deve, se você quiser aprender você precisa suportar o desconforto". Nos lados do vulcão estavam cravadas gotas de jatos de fogo cristalizadas que, segundo me disseram, era ouro vivo;

eu pedi por outra cena e fui levado para um plano superior, onde havia uma floresta luxuriante de plantas tropicais de lindo escarlate e laranja balançando para lá e para cá em uma brisa imperceptível. A terra em que eles cresciam era de uma rica cor preta, mas ali derramava sobre eles esses raios ferozes do Sol que eu olhei para vê-los definhar, mas me foi dito que eles estavam em um plano mais elevado do que as nossas flores, e desafiavam os escaldantes raios em virtude de seu próprio calor interno que sustentava sua vida. Este Quadrado sendo semelhante a nossos trópicos, nós fomos lá, e vimos uma cena bonita sorrindo no calor do Sol; de repente um vento quente levantou-se, levando consigo pedras e poeira com os quais devastou toda a paisagem. Aqui me foi mostrado muitos tigres, e para a flora lírios tigrados e lírios japoneses vermelhos em abundância. O tipo de ser humano que me mostraram era um homem como Chopin tocando loucamente em um piano em uma grande sala vazia. O elemental é um pássaro como a criatura que salta rapidamente sobre o solo; a sua influência sobre a natureza humana dá o desejo de sensação violenta.

Uma Visão do Quadrado “I” do Ângulo Terreno Menor da Tabela do Ar

pela M.H Sor. Shemeber (Sra. Percy Bullock)

Esta atmosfera era úmida e fria. Eu estava no cume de uma montanha, envolta em nuvem, e lá, tendo recitado as Chamadas Angélicas, e vibrado os nomes, contemplei a forma colossal de Anúbis, que, depois de um tempo, me mostrou a Esfinge de seu poder. Isso me mostrou novamente um poderoso Anjo que respondeu meus sinais, e quando no de Theoricus eu vi que um raio brilhante desceu para a palma da mão estendida de cada uma de suas mãos. Ao pedir por orientação e informação, ela me deu um desses raios, que contemplei como um cordão de cristal cuja outra extremidade jazia no Eterno. O Anjo levou-me em primeiro lugar entre os Éteres, e depois de um espaço vi estrelas e inúmeros mundos.

Através dos Sóis brilhantes, partículas passaram saindo do outro lado como cinzas enegrecidas. Então saiu uma mão poderosa que reuniu estas cinzas e moldou-as em uma massa sem vida e vasta. Então passamos a esta Terra – a uma cena frígida, tudo era neve e enormes blocos de gelo. O frio era intenso, mas eu não o sentia. Aqui haviam ursos polares e focas, como também muitas gaivotas. Em alguns lugares, o gelo estava parado, mas novamente era violentamente movido, bloco batendo contra bloco com um rugido ensurdecedor. Os habitantes do lugar eram pequenos e sem sangue, envoltos principalmente em peles de ursos polares.

"A influência deste quadrado no homem torna-o violentamente impetuoso na ausência de dificuldade, mas imediatamente sem esperança em face a um obstáculo, abandonando imediatamente todos os projetos". Os Elementais são sérios, criaturas como pássaro com rostos semi-humanos. Os seres espirituais são belos Anjos translúcidos, luz de cor castanha, com doces e sérios rostos. Estavam todos muito ocupados quando os vi. Alguns tinham prata na mão esquerda e mercúrio na direita, que colocariam juntos em um vaso de ouro, onde surgiu imediatamente uma chama de ouro pálido que sempre aumentava de tamanho, espalhando-se através dos Mundos. Outros, com a legenda "Solve et Coagula" tecida em seus cintos, misturavam água e o princípio de frio que traziam em um par de pratos de balança, e a união era o gelo da região em que estavam. Eu queria saber se tudo isso tinha alguma contrapartida na natureza humana, e suas possibilidades de desenvolvimento, quando vi duas figuras. Uma era um ancião labutando da forma mais dolorosa e a outra uma criança saltitando com luz no coração. Conforme eles desapareceram, ergueu-se ali entre eles uma figura radiante vestida de ouro, tendo na testa o sinal de Libra em esmeralda vida. Então eu entendi que somente na e pela reconciliação dessas duas forças, o fixo e o volátil, que "o caminho do verdadeiro equilíbrio" é encontrado. Ao pedir sobre plantas me mostraram cogumelos, que pareciam ser particularmente consoantes a este quadrado.

Uma Visão do Quadrado “C” do Ângulo Aquoso Menor da Tabela do Ar

pelo M.H. Fra. Resurgam (Dr. Berridge)

Li a 3ª e 7ª Chamadas. Vibrei Oro Ibah Aozpi, Bataivah, o Anjo CPao. O Deus egípcio é Hoorpokrati.

Encontrei-me no ar no meio de nuvens que giravam. Viajei pelos nomes acima. Vi o Anjo de tamanho colossal vestido de branco. Testei com uma letra Tau e uma Beth colocadas sobre a forma, mas não houve mudança, então removi essas letras. As nuvens pareciam estar flutuando em volta do Anjo. Saudei com os Sinais de L.V.X. e pedi para ver o Deus egípcio, que apareceu igualmente colossal enquanto o Anjo flutuava acima da sua cabeça. Testei como antes.

Vibrei uma segunda vez Hoorpokrati, saudei como antes, e pedi para ver a Esfinge, tanto o Anjo quanto Harpócrates devolveram o sinal de saudação. Então a Esfinge apareceu com cabeça de Águia, a parte inferior humama, de um lado asas de Águia, do outro braços humanos. Testei e saudei como antes. A Esfinge era de tamanho colossal.

Então vibrei todos os nomes repetidamente, e pedi para ver o significado do Quadrado. Foi-me dito que era a região astral da tempestade e das nuvens de chuva com vento. Eu vi elementais em túnicas cinza ou pérola flutuando sobre as nuvens brancas e flocadas. (Nota: eu as vejo mais cinza e menos definidas. – D.D.C.F.) Em nuvens de trovão escuras haviam formas em trajes lúgrubes de cinza escuro, portando raios como as imagens atribuídas a Zeus; muitas formas com cabeça de águia entre eles. Presentemente vi uma com uma Coroa. Pedi-lhe para me mostrar, e ele me tomou pela mão e atravessamos uma enorme distância para além da Terra, que se tornou invisível. Então ascendemos ainda mais no meio do mesmo ambiente, até que eu vi o Sol dessa região, brilhando intensamente, mas nuvens frequentemente passavam por ele, enquanto as nuvens estavam agora abaixo de nós, mas apenas parcialmente. Ele me disse que a natureza deste Quadrado era de abastecer as forças no Plano Astral que geram o vento, a chuva, as nuvens e a tempestade no plano natural. Que estes ocorreram em todo o Universo, mas com efeito diferente. Que em nosso planeta vil o efeito as vezes era desastroso, sendo pervertido de sua intenção original por nossa esfera maligna. Mas, em outros planos superiores, o efeito era sempre benéfico, limpando aquilo que havia cumprido seu propósito e substituindo-o por nova influência. A região atribuída a este Quadrado parecia ser simplesmente ilimitada. Nós percorremos uma distância enorme, mas não parecíamos estar mais perto do fim. Então ele novamente me trouxe de volta. Então eu lhe agradeci e o saudei, e desci ao plano anterior. Ali eu o agradeci e saudei ao Anjo, Hoorpokrati e a Esfinge. Então voltei para casa, vendo vagamente o meu corpo natural antes de entrar novamente nele.


Traduzido por Alan Willms