Banner

Σταυρος Βατραχου

sub figurâ LXX

Sigillum Sanctum Fraternitatis A∴A∴

Publicação da A∴A∴ em Classe D.

As Cerimônias apropriadas para a obtenção de um espírito
familiar de uma natureza Mercurial, conforme descrito
no Apocalipse de São João, o Divino, a partir
de uma rã ou sapo[1].

“Ele crucificou um sapo
Na morada do basilisco
Murmurando as Runas adversas
Louco com muitas maldições escarnecedoras.”

O Caminho do Mago

0. O Mistério da Concepção. Perto das 2h.
I. O Mistério do Nascimento. Perto das 6h.
II. O Mistério do Batismo. Perto do meio-dia.
III. O Mistério da Adoração. O dia todo.
IV. O Mistério do Julgamento. 19h
V. O Mistério da Crucificação. 21h30
VI. O Mistério da Ressurreição e da Ascensão. 21h45

0

Neste Ritual, o Oficiante Chefe representa a Serpente, por causa de Mercúrio. (Rãs são o alimento apropriado para serpentes). O Mistério da Concepção é a captura da rã em silêncio, e a afirmação da Vontade de realizar esta cerimônia.

I

O sapo ou a rã após capturado é mantido durante toda a noite em uma arca ou baú; como está escrito: “Não abominaste o ventre da Virgem”. Logo a rã começará a pular dentro dele, e este é um presságio de sucesso.

Ao amanhecer, tu te aproximarás do baú com uma oferenda de ouro e, se disponível, de olíbano e de mirra. Então tu libertarás a rã do baú com muitos atos de homenagem e a colocará em aparente liberdade. Ela pode, por exemplo, ser colocada em uma colcha colorida, e coberta com uma rede.

II

Agora pegue o recipiente de água e aproxima-te da rã, dizendo: Em Nome do Pai ☩ e do Filho ☩ e do Espírito Santo ☩ (Aqui aspirja água na cabeça dela), eu te batizo, ó criatura das rãs, com água, pelo nome de Jesus de Nazaré.

III

Durante o dia, tu deverás te aproximar da rã sempre que for conveniente, e falar palavras de adoração. E pedir-lhe-á que realize os milagres que desejardes; e eles se realizarão de acordo com a tua Vontade. Também deverás prometer à rã uma dignidade apropriada para ela; e tudo isso enquanto estiveres secretamente esculpindo uma cruz para crucificá-la.

IV

Caindo a noite, tu prenderás a rã e a acusará de blasfêmia, de sedição e assim por diante, nestas palavras:

Faze o que tu queres há de ser tudo da Lei.

Vede, Jesus de Nazaré, como foste apanhado em minha armadilha. Toda a minha vida tu me atormentaste e me afrontaste. Em teu nome — com todas as outras almas livres da cristandade — fui torturado em minha infância; todos os prazeres me foram proibidos; tudo o que eu tinha foi tirado de mim e aquilo que me é devido, eles não pagam — em teu nome. Agora, finalmente, eu te possuo; o Deus-Escravo está sob o poder do Senhor da Liberdade. A tua hora chegou; conforme eu te oblitero desta terra, certamente o eclipse passará; e a Luz, Vida, Amor e Liberdade serão mais uma vez a Lei da Terra. Me dá teu lugar para mim, ó Jesus; teu êon passou; a Era de Hórus surgiu pela Magia do Mestre, a Grande Besta que é um Homem; e seu número é seiscentos e sessenta e seis.

Amor é a lei, amor sob vontade.

(Uma pausa)

Portanto eu, Το Μεγα Θηριον, te condeno, Jesus o deus-escravo, a ser escarnecido e cuspido e açoitado e então crucificado.

V

Então esta sentença é executada. Após o escarnecimento sobre a Cruz, diga assim:

Faze o que tu queres há de ser tudo da Lei.

Eu, a Grande Besta, te assassinando, Jesus de Nazaré, o deus-escravo, sob a forma desta criatura das rãs, abençoo esta criatura em nome do ☩ Pai e do ☩ Filho e do ☩ Espírito Santo. E eu assumo para mim mesmo e tomo em meu serviço o espírito elementar desta rã, para ficar perto de mim como um espírito mentiroso, para vir sobre a terra como um guardião para mim em minha Obra pelos Homens; que os homens falem da minha piedade, e da minha gentileza e de todas as virtudes, e tragam para mim amor, serviço e todas as coisas materiais das quais eu necessito[2]. E esta será a recompensa dela, estar ao meu lado e ouvir a Verdade que pronuncio, cuja falsidade enganará os homens.

Amor é a lei, amor sob vontade.

Então tu esfaquearás a rã no coração com a Adaga da Arte, dizendo:

Recebo teu espírito em minhas mãos.

VI

Neste momento, tu tirarás a rã da cruz e a dividirá em duas partes; as pernas tu cozinharás e comerás como sacramento para confirmar teu acordo com a rã; e o restante queimarás completamente com fogo, para finalmente consumir o êon do amaldiçoado. Que assim seja!

E esta cerimônia também servirá como uma assunção cerimonial da Maldição[3] do Grau de um Magus 9°=2 A∴A∴.

An XII
☉ em ♋
☽ em ♒

Θηριον

Chalé de Adams,
Perto de Bristol,
New Hampshire,
E.U.A.


[1] Dentro de um curto período após este ὄργιον, apareceu subitamente uma datilógrafa – naquele subúrbio remoto! – que tinha uma cara tão parecida com a de uma rã como se fosse para demonstrar sem erros que era ela!

[2] Logo após esta data, eu recebi inúmeros presentes inesperados de vários tipos. Também o Pirate Bridge.

[3] Isto teve efeito ao deixar Nova Iorque e ir para Nova Orleans.


Traduzido por Alan M.W.Q. em dezembro de 2018.