Sobre o Livro dos Caminhos

  • Postado em .
  • 25 minutos de leitura.
Banner

Sobre o Livro dos Caminhos

Liber Viarum Viæ, “O Livro do Caminho dos Caminhos”, é um resumo das tarefas da A∴A∴ associadas aos 22 Caminhos da Árvore da Vida. Ele foi publicado originalmente em 1912 como um documento em Classe A, ou seja, como um Livro Sagrado de Thelema, mas posteriormente sua classificação foi alterada para Classe B no Sumário das Instruções Oficiais da A∴A∴. Viarum Viæ foi descrito por Crowley como uma “descrição gráfica dos poderes mágicos classificados sob os trunfos do Tarô” e foi atribuído ao número 868: “DCCCLXVIII. נתיבות, Caminhos ”.

Viarum Viæ deixa várias questões em aberto, devido a aparentes erros de edição e porque se refere a algumas instruções que nunca foram publicadas — ou nem mesmo escritas. O presente ensaio é uma investigação sobre as partes mais obscuras do liber, falando um pouco sobre cada tarefa no contexto dos Graus da A∴A∴ e incluindo citações de outras instruções oficiais da ordem. Com base nessas informações, é possível sugerir algumas instruções alternativas. e complementares

Aparentemente, há uma regra geral de que o trabalho de um Caminho deve ser:

  • Dominado: se conduzir da Sephirah do seu Grau até a Sephirah do próximo Grau. Por exemplo, o Neófito precisa dominar Tau para chegar a Zelator, porque Tau leva de Malkuth a Yesod, e o próximo Grau está em Yesod.
  • Experimentado: se levar da Sephirah do seu Grau para outro que não seja imediatamente o próximo. Por exemplo, o Neófito (Malkuth) deve experimentar Shin, porque ele leva de Malkuth a Hod, e o próximo Grau não está em Hod.

Depois de um caminho ter sido experimentado em um Grau anterior, parece arbitrário em qual Grau essa prática deve ser dominada. Por exemplo, o Zelator (Yesod) deve dominar Shin, que só foi experimentado no Grau de Neófito (Malkuth); no entanto, a tarefa de Qoph, que também é experimentada no Grau de Neófito, é adiada até o Grau de Practicus (Hod).

ת, Tau

SephirothGrausTarôAtribuição
Malkuth a Yesod1=10 a 2=9O UniversoSaturno e Terra

“A Formulação do Corpo de Luz. Liber O.” — Liber Viarum Viæ.

“Para alcançar Yesod, ele deve atravessar o Caminho de Tau, isto é, tornar-se mestre do plano ‘astral’. Ele será examinado nisso (Lib. O: Caps. I-IV)” — Os Ordálios.

“Controle do Plano Astral. […] Exame em Liber O, caps. I-IV, Teórico e Prático.” — Liber Graduum Montis Abiegni.

“[...] [o Neófito] estudará e praticará Liber O em todos os seus ramos […]. Ele também será examinado em seu poder de Viajar na Visão do Espírito.” — Liber Collegii Sancti.

É unânime entre as fontes que Liber O vel Manus et Sagittæ é atribuído ao caminho de Tau, um livro sobre o “[…] estudo elementar da Cabala, Assunção de Formas Deus, Vibração de Nomes Divinos, os Rituais de Pentagrama e do Hexagrama, e seu uso para banimento e invocação, um método de alcançar as assim chamadas visões astrais, e uma instrução sobre a prática chamada de Ascensão nos Planos”.

Os capítulos que tratam exclusivamente de Viajar na Visão do Espírito são os dois últimos, V e VI: Viator in Regnis Arboris, “O Viajante nos Reinos da Árvore”, aludindo à exploração da exploração dos reinos astrais da Árvore da Vida; e Sagitta trans Lunam, "A Flecha que atravessa a Lua".

Uma vez que as técnicas dos capítulos preliminares podem ser usadas para entrar no reino desejado no Plano Astral e para proteger seu Corpo de Luz das forças hostis encontradas naquele reino, o Liber O inteiro é praticado pelo Neófito. Mais tarde, haverá um trabalho mais profundo com Liber O nos caminhos de Samekh e Teth. Liber O está no currículo do Probacionista e do Neófito.

ש, Shin

SephirothGrausTarôAtribuição
Malkuth a Hod1=10 a 3=8O ÊonFogo e Espírito

“A Passagem da Câmara do Rei. Liber HHH.” — Liber Viarum Viæ.

“Para avançar para Hod [o Zelator] deve dominar Resh e Shin. […] Shin é uma prática equivalente ao Ritual do Zelator A[deptus] M[inor] (R[osæ] C[rucis])” — Os Ordálios.

“Prática de Meditação Equivalente ao Ritual CXX. […] Além disso, [ao Zelator] são dadas duas práticas de meditação correspondentes aos dois rituais DCLXXI. e CXX. (O exame é apenas sobre o conhecimento e alguma pouca familiaridade prática com estas meditações. Os resultados completos, se atingidos, confeririam um grau muito maior.)” — Liber Graduum Montis Abiegni.

“[...] [o Neófito] começará a estudar Liber H” - Liber Collegii Sancti .

“[O Zelator] demonstrará alguma familiaridade e experiência com as meditações dadas em Liber HHH. E nisto o seu Registro será a sua testemunha.” — Liber Collegii Sancti.

Liber HHH é composto por três práticas de meditação: MMM, AAA, SSS.

A prática de meditação associada ao caminho de Shin é AAA, ou a contemplação chamada Νϵκρος (cadáver), uma adaptação de Liber Cadaveris (Ritual CXX), a cerimônia adequada para a admissão de Zelatores na A∴A∴. Esta cerimônia foi adaptada a partir do Ritual do Adeptus Minor da Rosae Rubeae et Aurae Crucis, a segunda ordem da antiga Ordem Hermética da Aurora Dourada.

Não está claro se o Liber H estudado pelo Neófito é a mesma coisa que o Liber HHH estudado pelo Zelator. Este assunto será discutido adiante.

Liber HHH está no currículo do Zelator, mas não está no currículo do Neófito.

ר, Resh

SephirothGrausTarôAtribuição
Yesod a Hod2=9 a 3=8O SolSol

“A Iluminação da Esfera. Liber HHH.” — Liber Viarum Viæ.

“Para passar para Hod [o Zelator] deve dominar Resh e Shin. Resh é uma prática de meditação equivalente ao Ritual do Neófito.” — Os Ordálios.

“Prática de Meditação Equivalente ao Ritual DCLXXI. […] Além disso, [ao Zelator] são dadas duas práticas de meditação correspondentes aos dois rituais DCLXXI. e CXX. (O exame é apenas sobre o conhecimento e alguma pouca familiaridade prática com estas meditações. Os resultados completos, se atingidos, confeririam um grau muito maior.)” — Liber Graduum Montis Abiegni.

“[O Zelator] demonstrará alguma familiaridade e experiência com as meditações dadas em Liber HHH. E nisto o seu Registro será a sua testemunha. [...] ele passará por exames em Liber HHH.” — Liber Collegii Sancti.

Aqui a tarefa é a meditação MMM de Liber HHH, ou a contemplação chamada Πυραμις (pirâmide), uma adaptação de Liber Pyramidos, que é uma adaptação de Liber Throa (Ritual DCLXXI), a cerimônia adequada para a admissão de Neófitos na A∴A∴. Esta cerimônia foi adaptada a partir do Ritual do Neófito da antiga Ordem Hermética da Aurora Dourada.

ק, Qoph

SephirothGrausTarôAtribuição
Malkuth a Netzach1=10 a 4=7A LuaPeixes

“A Divinação do Destino. Liber Memoriae Viae CMXIII.” — Liber Viarum Viæ.

“Para passar a Netzach [o Practicus] deve dominar Qoph, Tzaddi e Peh. Qoph: Ele deve dominar completamente algum modo de divinação.” — Os Ordálios.

“Métodos de Divinação. […] O Practicus [...] Exame sobre algum meio de divinação: por exemplo, Geomancia, Astrologia, Tarô. Teórico. Teórico.” — Liber Graduum Montis Abiegni.

“[...] [o Neófito] começará a estudar [...] algum método geralmente aceito de divinação.” — Liber Collegii Sancti .

“[O Practicus] demonstrará alguma familiaridade e experiência com o método de divinação que escolheu. Todavia nesta matéria ele deverá ser o seu próprio juiz.” — Liber Collegii Sancti.

Liber תישארב Viæ Memoriæ está no currículo do Zelator 2=9. Ele fornece “métodos para a consecução da memória mágica ou memória de vidas passadas, e uma percepção sobre a função do aspirante na presente vida”.

Embora não estejam listadas, existem instruções básicas oficiais da A∴A∴ sobre métodos de divinação:

  • Liber LXXVIII: Sobre o Tarô (1912). “Uma descrição das Cartas do Tarô com suas atribuições, incluindo um método de divinação através de seu uso”. Pertence ao currículo do Neófito.
  • O Livro de Thoth (1944). “Um Breve Ensaio sobre o Tarô dos Egípcios”, sendo The Equinox Vol. III Nº 5. Esta é a reformulação do Tarô feita por Crowley e Frieda Harris, em conformidade com as instruções dadas em Liber Legis. Foi anunciado ainda em 1919 no The EquinoxVol. III N º 1 como “Liber LXXVIII. Um Tratado Completo sobre o Tarô, dando os desenhos corretos das cartas com suas atribuições e significados simbólicos em todos os planos”.
  • Liber Gaias (Um Manual de Geomancia). “Fornece um sistema simples e bastante satisfatório de Geomancia”. Pertence ao currículo do Neófito.
  • Yì Jīng (Clássico das Mudanças). “Uma nova tradução, com um comentário, pelo Mestre Therion. Confúcio disse que se sua vida fosse prolongada por alguns anos, ele dedicaria cinquenta deles ao estudo deste livro”. Anunciado no The Equinox Vol. III Nº 1, mas só foi publicado em 1971 por Helen Parsons Smith como Shih Yi.
  • Liber DXXXVI — A Complete Treatise on Astrology, por Frater O.M.: “Este é o único manual composto em linhas científicas; classificando os fatos observados, ao invés de deduzir a partir de teorias a priori”. Foi anunciado em 1919 no The Equinox Vol. III Nº 1, mas nunca foi publicado durante a vida de Crowley. Ou melhor, não sob o seu nome. Há duas alternativas modernas: o The Complete Astrological Writings editado por John Symonds e Kenneth Grant; ou o The General Principles of Astrology editado por Hymenaeus Beta.

צ, Tzaddi

SephirothGrausTarôAtribuição
Yesod a Netzach2=9 a 4=7O ImperadorÁries

“A Adoração sob o Céu Estrelado. Liber XI, NV (do Liber CCXX).” — Liber Viarum Viæ.

“Para passar a Netzach [o Practicus] deve dominar Qoph, Tzaddi e Peh. […] Tzaddi: Uma prática de meditação para expandir a consciência.” — Os Ordálios.

“Prática de Meditação sobre a Expansão da Consciência [...] [Ao Practicus] é dada uma prática de meditação sobre a Expansão da Consciência.” — Liber Graduum Montis Abiegni.

Depois de ser revelado no Liber AL vel Legis que “todas essas antigas letras do meu Livro estão corretas; mas צ não é a Estrela”, Crowley atribuiu a carta do Tarô “A Estrela” e o signo de Aquário à letra He; e a carta “O Imperador” e o signo de Áries à letra Tzaddi, como explicado em O Livro de Thoth.

Muitas instruções da A∴A∴ foram revisadas para refletir essa mudança, mas algumas delas podem ter ficado inalteradas. Não está claro se essa mudança foi aplicada ao Liber Viarum Viae, porque tanto Tzaddi quanto He se referem a estrelas (“A Adoração sob o Céu Estrelado” e “A Formulação da Estrela Flamejante”). Considere o seguinte:

1) Liber NV está no currículo do Dominus Liminis, assim como sua contraparte, Liber HADLiber HAD é atribuído ao caminho de Daleth, que leva a Chokmah. O caminho de He também leva a Chokmah.

2) Liber Βατραχοφρενοβοοκοσμομαχια é uma instrução sobre a “expansão do campo da mente”, o que parece se referir à prática de “Expansão da Consciência”. Liber Βατραχοφρενοβοουτομαχια está no currículo do Practicus (Hod), que é a Esfera entre Yesod e Netzach.

3) Liber V é atribuído ao caminho de He em Liber Viarum Viæ. Não está certo se este Liber V é o mesmo que Liber V vel Reguli, publicado em 1929 em Magick in Theory and Practice. No entanto, após as instruções do ritual de Liber Reguli, há uma referência a uma prática meditativa sobre a destruição do mal que é bem adequada para o juramento do Philosophus de “obter o controle das atrações e repulsões de meu próprio ser”. Como está escrito nas Tarefas do Philosophus:

“Além disso, ele se dedicará a estudar e praticar as meditações dadas em Liber V.” — Liber Collegii Sancti.

Desta forma, creio que as instruções adequadas para Tzaddi sejam Liber V vel Reguli e Liber Βατραχοφρενοβοοκοσμομαχια.

פ, Peh

SephirothGrausTarôAtribuição
Hod a Netzach3=8 a 4=7A TorreMarte

“A Destruição da Casa de Deus. Liber XVI.” — Liber Viarum Viæ.

“Para passar a Netzach [o Practicus] deve dominar Qoph, Tzaddi e Peh. […] Peh: Ele deve adquirir uma personalidade e grande influência sobre seus semelhantes. Também a consecução de Pranayama.” — Os Ordálios.

“Ritual e Prática de Meditação para Destruir Pensamentos. […] [Ao Practicus] é dada uma prática de meditação sobre a destruição de pensamentos.” — Liber Graduum Montis Abiegni.

“[...] [O Practicus] ppassará por exames sobre o Ritual e a prática de meditação dados em Liber XVI.” — Liber Collegii Sancti.

Liber Turris vel Domus Dei é “Uma instrução para a consecução pela destruição direta dos pensamentos conforme eles surgem na mente”, incluída no currículo do Philosophus. Após a prática da meditação, há uma metáfora que pode ser a base para o aspecto ritualístico desta instrução, porém sub-rosa .

ע, Ayin

SephirothGrausTarôAtribuição
Hod a Tiphereth3=8 a 5=6O DiaboCapricórnio

“O Sabá dos Adeptos. Liber CCCLXX.” — Liber Viarum Viæ.

“Para passar para Tiphereth [o Philosophus] deve dominar Ayin, Samekh e Nun. Ayin: Ele aprende a consagrar Talismãs e a evocar Espíritos.” — Os Ordálios.

“Talismãs, Evocações […] Philosophus […] Instrução e Exame sobre a Construção e Consagração de Talismãs, e sobre Evocação. Teórico e Prático.” — Liber Graduum Montis Abiegni.

“[O Philosophus] passará por exames sobre [...] a Construção e Consagração de Talismãs e a Evocação. Todavia nesta matéria ele deverá ser o seu próprio juiz.” — Liber Collegii Sancti.

Liber CCCLXX é Liber A’ash vel Capricorni Pneumatici: “Contém o verdadeiro segredo de toda a magia prática”. Liber A'ash não é atribuído a nenhum currículo.

Não há instruções oficiais sobre talismãs e evocação de espíritos. No entanto, existem instruções sobre o assunto nas fórmulas do manuscrito Z2 no The Temple of Solomon the King, Parte 3, em The Equinox Vol. I No 3. Além disso, há o relato de Uma Evocação de Bartzabel, o Espírito de Marte, publicado no The Equinox Vol. I No. 9. Um claimant group da A∴A∴ atribuiu um número e uma classe a este documento, transformando-o em uma instrução oficial para eles. Veja The Equinox Vol. IV No. 2: The Vision & the Voice With Commentary and Other Papers.

ס, Samekh

SephirothGrausTarôAtribuição
Yesod a Tiphereth2=9 a 5=6A ArteSagitário

“Vidência na Visão do Espírito: A Escada de Jacó. Liber O.” — Liber Viarum Viæ.

“Para passar para Tiphereth [o Philosophus] deve dominar Ayin, Samekh e Nun. […] Samekh: Domina a Ascensão nos Planos.” — Os Ordálios.

“Ascensão nos Planos […] Philosophus […] Exame sobre a Ascenção nos Planos (Liber O, Caps. V., VI.). Prático.” — Liber Graduum Montis Abiegni.

“[O Philosophus] deverá além disso mostrar alguma familiaridade e experiência de Liber O, Caps. V, VI. Do qual seu Registro deverá ser sua testemunha.” — Liber Collegii Sancti.

Mais uma vez, é unânime que a instrução correta é Liber O vel Manus et Sagittæ, que contém “um método para obter as assim chamadas visões astrais, e uma instrução sobre a prática chamada de Ascensão nos Planos”. Veja também a discussão sobre o Caminho do Tau acima.

נ, Nun

SephirothGrausTarôAtribuição
Netzach a Tiphereth4=7 a 5=6A MorteEscorpião

“A Preparação do Cadáver para a Tumba. Liber XXV.” — Liber Viarum Viæ.

“Para passar para Tiphereth [o Philosophus] deve dominar Ayin, Samekh e Nun. […] Nun: Prática med. em Guanendaiyama. Mahāsatipatṭhāna.” — Os Ordálios.

“Mahāsatipatṭhāna, etc. […] Philosophus […] A ele é dada uma prática de meditação sobre os Sentidos, e os Invólucros do Self, e a Prática chamada de Mahāsatipatṭhāna. (Veja The Sword of Song, ‘Ciência e Budismo’.)” — Liber Graduum Montis Abiegni.

“Esta prática pode se resolver em Mahāsatipaṭṭhāna (vide Liber XXV) ou induzir Samādhi.” — Liber RV vel Spiritus.

Liber XXV é O Rubi Estrela, “uma forma aprimorada do ritual ‘menor’ do Pentagrama”, publicado originalmente em 1913 no Livro das Mentiras. Está no currículo do Probacionista.

Considerando que Liber XXV deveria tratar de Mahāsatipaṭṭhāna, é possível que originalmente XXV seria o número de uma instrução oficial que nunca foi escrita, mas depois foi usada para designar o Rubi Estrela.

No currículo do Practicus, temos The Sword of Song. Um de seus capítulos, Ciência e Budismo, tem uma pequena seção dedicada a Mahāsatipaṭṭhāna. Assim, parece que esta é a instrução mais adequada para o caminho de Nun.

מ, Mem

SephirothGrausTarôAtribuição
Hod a Geburah3=8 a 6=5O EnforcadoÁgua

“O Sono de Siloam. Liber CDLI.” — Liber Viarum Viæ.

“Assim, para alcançar Geburah, [o Adeptus Minor] deve dominar Mem e Lamed. Mem é a consecução do Sono de Siloam e envolve uma Crucificação”. — Os Ordálios.

“[...] para atingir o Grau de Adeptus Major [...] ele deve manter silêncio enquanto prega seu corpo à árvore de sua vontade criativa, na forma daquela Vontade, deixando que sua cabeça e braços formem o símbolo da Luz, como que para jurar que todos os seus pensamentos, palavras ou ações devem expressar a Luz derivada do Deus com o qual ele identificou sua vida, seu amor e sua liberdade — simbolizados pelo seu coração, seu falo, e suas pernas.” — Uma Estrela à Vista.

Liber Siloam sub figurâ CDLI foi anunciado em 1913 no The Equinox Vol. I. No. 10, no entanto, nunca foi publicado. Seu conteúdo é descrito como: “Um método direto de induzir o transe”.

Em um dos cadernos de Crowley, há uma breve instrução sobre essa prática em uma seção chamada “Um Ritual de Invocação”. Ela inclui uma invocação a ser executada no chão, na postura do Enforcado, uma referência à letra Mem e à crucificação.

Há informações adicionais sobre o Sono de Siloam no capítulo “Da Lucidez Erotico-comatosa” no De Arte Magica; e no capítulo chamado “De Somno Lucido” em Liber Aleph: O Livro da Sabedoria ou da Tolice.

ט, Teth

SephirothGrausTarôAtribuição
Geburah a Chesed6=5 a 7=4VolúpiaLeão

“A Proteção da Esfera. Liber O.” — Liber Viarum Viæ.

“Para alcançar Chesed, [o Adeptus Major] deve dominar Kaph, Yod e Teth. […] Teth: O adepto se manifesta como um poderoso Magista. Ele governa seu mundo.” — Os Ordálios.

“[O Adeptus Major] empregará o Poder à sua disposição para apoiar a autoridade do Adepto Isento seu Superior. Ele deve adquirir absoluta Autossuficiência, trabalhando em completo isolamento, ainda assim transmitindo a palavra de seu Superior claramente, de maneira forçada e sutil; e ele exercerá toda a sua autoridade para governar os Membros de Graus inferiores com vigor e iniciativa equilibrados, de maneira a não permitir disputas ou reclamações.” — A Tarefa de um Adeptus Major.

“Para atingir o Grau de Adeptus Exemptus, [...] ele deve exercer seu poder e autoridade completos para governar os Membros dos Graus inferiores com vigor e iniciativa equilibrados de tal modo que não permita disputa ou reclamação; ele deve empregar para esse fim a fórmula chamada de “A Besta unida com a Mulher” que estabelece uma nova encarnação da deidade; como nas lendas de Leda, Sêmele, Miriã, Pasífae e outras. Ele deve estabelecer este ideal para as ordens que ele governa, de modo que elas possuam um ponto de convergência não tão abstrato para seus estados não desenvolvidos.” — Uma Estrela à Vista.

Os rituais do Pentagrama e do Hexagrama em Liber O velo Manus e Sagittæ podem ser suficientes para a “proteção da esfera”, mas o magista pode precisar mais do que isso para se tornar um “poderoso Magista”.

Em 1912, a única instrução disponível sobre magia cerimonial era Liber Ovel Manus e Sagittæ, que pertence ao currículo do Probacionista e do Neófito. Há algumas instruções da Ordem Hermética da Aurora Dourada sobre magia cerimonial espalhadas no The Equinox, mas elas não são instruções oficiais da A∴A∴ em si.

Em 1913, Crowley publicou o Livro Quatro: Parte 2, Magia: Observações Preliminares; e em 1929, o Livro Quatro, Parte 3: Magia em Teoria e Prática, que são instruções mais abrangentes e profundas sobre a Magia.

כ, Kaph

SephirothNotasTarôAtribuição
Netzach a Chesed4=7 a 7=4FortunaJúpiter

“A Evocação dos Poderosos. Liber …” — Liber Viarum Viæ.

“Para alcançar Chesed, [o Adeptus Major] deve dominar Kaph, Yod e Teth. Kaph é a conquista dos Gunas e a consecução do Ruach.” — Os Ordálios.

“Além de tudo isso, [o Adeptus Major] alcançará o domínio da Roda dos Gunas.” — A Tarefa de um Adeptus Major .

“Para atingir o Grau de Adeptus Exemptus ele deve realizar [...] a compreensão e uso da Revolução da roda da força, sob suas três formas sucessivas de Radiação, Condução e Convecção (Mercúrio, Enxofre, Sal; ou Sattvas, Rajas, Tamas), com suas naturezas correspondentes em outros planos.” — Uma Estrela à Vista.

Não sabemos se o título do liber foi um erro de impressão ou se foi uma omissão intencional.

A evocação pertence às tarefas relacionadas ao Caminho de Ayin, discutido acima.

Não há instruções sobre o “domínio dos Gunas”, no entanto:

  • há uma breve referência a eles em Liber LXXI — A Voz do Silêncio.
  • há uma breve descrição deles, e uma associação entre eles e o Flagelo, a Adaga e a Corrente, no Liber ABA — Livro Quatro, Parte 2, Capítulo IV.

י, Yod

SephirothGrausTarôAtribuição
Tiphereth a Chesed5=6 a 7=4O EremitaVirgem

“A Absorção das Emanações. Liber DCCCXI.” — Liber Viarum Viæ.

“Para alcançar Chesed, [o Adeptus Major] deve dominar Kaph, Yod e Teth. [...] Yod: Uma grande Retiro M∴ deve ser feito.” — Os Ordálios.

“[O Adeptus Maior] deve adquirir absoluta Autossuficiência, trabalhando em completo isolamento, ainda assim transmitindo a palavra de seu Superior de maneira clara, forçada e sutil [...]” — A Tarefa de um Adeptus Major .

“Para atingir o Grau de Adeptus Exemptus ele deve realizar […] a aquisição de Autoconfiança absoluta, trabalhando em completo isolamento, contudo transmitindo a palavra de seu superior claramente, forçosamente e sutilmente; […]” — Uma Estrela à Vista.

Liber DCCCXI é o Entusiasmo Energizado. De acordo com James Eshelman, iss foi um erro de edição, e o número correto deveria ser DCCCXXXI, ou seja, Liber Yod. Isso faz sentido, não só porque o liber tem o mesmo nome desse caminho (Yod), mas porque suas práticas lidam com a absorção de todas as emanações de volta à unidade.

Além disso, o Entusiasmo Energizado está no currículo do Neófito e do Zelator, enquanto Liber Yod está no currículo do Dominus Liminis.

O isolamento parece ser uma referência à carta do Eremita, mas não pudemos encontrar mais instruções sobre isso, exceto o Ritual VIII, atribuído ao Caminho de Vau.

ל, Lamed

SephirothGrausTarôAtribuição
Tiphereth a Geburah5=6 a 6=5AjustamentoLibra

“A Passagem pelo Salão das Balanças. Liber XXX.” — Liber Viarum Viæ.

“Assim, para alcançar Geburah, [o Adeptus Minor] deve dominar Mem e Lamed. […] Lamed é uma compleição do Equilíbrio na Ética e na Magia.” — Os Ordálios.

“Ele deve realizar [...] para atingir o Grau de Adeptus Major; o equilíbrio de si mesmo, especialmente quanto às suas paixões, de modo que ele não tenha preferência por qualquer curso de conduta sobre outro; e o cumprimento de toda ação por seu complemento, de modo que o quer que ele faça o deixe sem tentação de desviar-se do caminho de sua Verdadeira Vontade.” — Uma Estrela à Vista.

Liber XXX é Liber Libræ, “Um curso básico de moralidade adequado para o homem comum”. Pertence ao currículo do Probacionista.

Outras instruções concernentes à ética são Thien Tao, “Um estudo avançado da Consecução pelo método de equilíbrio no plano ético” (no currículo do Adeptus Major) e De Thaumaturgia , “Uma declaração de certas considerações éticas concernentes à Magia”.

ח, Cheth

SephirothGrausTarôAtribuição
Geburah a Binah6=5 a 8=3A CarruagemCâncer

“O Ritual do Santo Graal. Liber CLVI.” — Liber Viarum Viæ.

Liber CLVI é Liber Cheth vel Vallum Abiegni, “um relato perfeito da tarefa do Adepto Isento, considerada sob os símbolos de um plano específico, não o intelectual”. Pertence ao currículo do Adeptus Major.

ז, Zayin

SephirothGrausTarôAtribuição
Tiphereth a Binah5=6 a 8=3Os AmantesGêmeos

“O Enunciado da Pitonisa. Liber MCXXXIX.” — Liber Viarum Viæ.

“[O Adeptus Exemptus] preparará e publicará sua tese estabelecendo seu Conhecimento do Universo, e suas propostas para o bem-estar e progresso dele; e isto será como um Epítome geral de sua própria Consecução, conforme refletido na esfera da Mente. Ele praticará até a conclusão os métodos de Liber Os Abysmi Vel Daath; […]” — A Tarefa de um Adeptus Exemptus .

O Enunciado da Pitonisa está perdido ou nunca escrito. Talvez os enunciados se refiram à tarefa de escrever uma tese, fundar uma escola etc., designada para o Adeptus Exemptus.

De acordo com James Eshelman, o possível substituto aqui é Liber Os Abysmi vel Daath, que foi escrito para o Adeptus Exemptus: “Uma instrução sobre um método puramente intelectual de entrar no Abismo”.

ו, Vau

SephirothGrausTarôAtribuição
Chesed a Chokmah7=4 a 9=2O HierofanteTouro

“A Chegada do Hierofante. Liber VIII (8º Aethyr em Liber 418).” — Liber Viarum Viæ.

Liber VIII é o 8º Æthyr de Liber 418 – A Visão e a Voz. O livro completo é descrito como “Sendo a Visão e a Voz dos Anjos dos 30 Æthyrs. Além de ser a descrição clássica dos trinta Æthyrs e um modelo para todas as visões, os chamados dos Anjos devem ser considerados como sendo precisos, e a doutrina da função da Grande Fraternidade Branca compreendida como a fundação da Aspiração do Adepto. O relato do Mestre do Templo deve ser considerado em particular como autêntico”.

Liber VIII pertence ao currículo do Dominus Liminis, e é uma instrução que lida com o trabalho principal de um Adeptus Minor. É estranho essa tarefa estar atribuída a um caminho acima de Tiphereth na Árvore da Vida.

ה, He

SephirothGrausTarôAtribuição
Tiphereth a Chokmah5=6 a 9=2A EstrelaAquário

“A Formulação da Estrela Flamejante. Liber V.” — Liber Viarum Viæ.

“Além disso, [o Philosophus] se dedicará a estudar e praticar as meditações dadas em Liber V.” — Liber Collegii Sancti.

Veja a discussão sobre o Caminho de Tzaddi acima. Conforme a discussão, a instrução aqui poderia ser Liber NV, “Uma instrução para a consecução de Nuit”, e não Liber V vel Reguli.

ד, Daleth

SephirothGrausTarôAtribuição
Binah a Chokmah8=3 a 9=2A ImperatrizVênus

“A Encarnação da Luz Mais Interna. Liber DLV Had (do Liber CCXX).” — Liber Viarum Viæ.

Liber HAD, “Uma instrução para a consecução de Hadit”, pertence ao currículo do Dominus Liminis. Veja também a discussão sobre o Caminho de Tzaddi acima.

ג, Gimel

SephirothNotasTarôAtribuição
Tiphereth a Kether5=6 a 10=1A SacerdotisaLua

“O Êxtase Supremo de Pureza. Liber LXXIII.” — Liber Viarum Viæ.

“[...] [O Adeptus Exemptus] consagrará a si mesmo como um veículo puro para a influência da Ordem a qual ele aspira. Além disso, ele deve dedicar-se totalmente a ajudar seus semelhantes. ” — A Tarefa de um Adeptus Exemptus.

Liber LXXIII — A Urna. Anunciado no The Equinox Vol. III n º 1, mas nunca publicado como tal. “Esta é a continuação de The Temple of Solomon the King, e é o Diário de um Magus. Este livro contém um relato detalhado de todas as experiências vividas pelo Mestre Therion em sua consecução deste grau de Iniciação, o mais alto possível para qualquer homem manifestado”.

Este diário mágico foi publicado em 1972 juntamente com o registro dos experimentos com o segredo do IX° da O.T.O., Rex de Arte Regia, em The Magical Record of the Beast 666, editado por John Symonds e Kenneth Grant.

ב, Beth

SephirothGrausTarôAtribuição
Binah a Kether8=3 a 10=1O MagoMercúrio

“As Afirmações e Negações Universais. Liber B (I).” — Liber Viarum Viæ.

Liber B vel Magi, “Esta é uma descrição do Grau de Magus, o grau mais alto que é possível manifestar de qualquer modo sobre este plano. Ou assim é dito pelos Mestres do Templo”. Pertence ao currículo do Adeptus Major.

א, Aleph

SephirothGrausTarôAtribuição
Chokmah a Kether9=2 a 10=1O ToloAr

“A transcendência de todos estes; sim, a transcendência de todos estes.” — Liber Viarum Viæ.

Uma Nova Proposta para Viarum Viæ

CaminhoOriginalRevisado
תLiber OLiber O vel Manus et Sagittæ
שLiber HHHLiber HHH, Meditação AAA
רLiber HHHLiber HHH, Meditação MMM
קLiber Memoriae Viae CMXIIILiber תישארב Viæ Memoriæ;
Liber LXXVIII: Sobre o Tarô;
Liber Gaias (Um Manual de Geomancia);
Yì Jīng (Clássico das Mudanças);
O Livro de Thot de Crowley;
The General Principles of Astrology de Crowley;
צLiber NVLiber V vel Reguli;
Liber Βατραχοφρενοβοοκοσμομαχια
פLiber XVI (Liber Turris vel Domus Dei)Liber Turris vel Domus Dei
עLiber CCCLXX (Liber A’ash vel Capricorni Pneumatici)Liber A’ash vel Capricorni Pneumatici;
The Temple of Solomon the King, Parte 3;
Uma Evocação de Bartzabel, o Espírito de Marte
סLiber OLiber O vel Manus et Sagittæ, Capítulo VI
נLiber XXVThe Sword of Song, Ciência e Budismo;
Oito Palestras Sobre Yoga, 7ª Palestra
מLiber CDLI (Siloam)Liber Siloam;
De Arte Magica: Da Lucidez Erotico-comatosa;
Liber Aleph: De Somno Lucido
טLiber OLiber O vel Manus et Sagittæ;
Livro Quatro: Parte 2, Magia: Observações Preliminares;
Livro Quatro, Parte 3: Magia em Teoria e Prática
כLiberLivro Quatro, Parte 2, Capítulo IV
יLiber DCCCXI (Entusiasmo Energizado)Liber Yod
לLiber XXX (Liber Libræ)Liber Libræ;
Thien Tao;
De Thaumaturgia
חLiber CLVI (Liber Cheth vel Vallum Abiegni)Liber Cheth vel Vallum Abiegni
זLiber MCXXXIX (O Enunciado da Pitonisa)Liber Os Abysmi vel Daath
וLiber VIIILiber VIII, o 8º Æthyr de A Visão e a Voz
הLiber VLiber NV
דLiber HADLiber HAD
גLiber LXXIII (A Urna)The Magical Record of the Beast 666
בLiber B (I)Liber B vel Magi
א--

Referências

CROWLEY, Aleister. Curriculum of A∴A∴The Equinox Vol. III No. 1, 1919.

CROWLEY, Aleister. Liber Collegii Sancti.

CROWLEY, Aleister. Liber Graduum Montis AbiegniThe Equinox Vol. I No. 3, 1910.

CROWLEY, Aleister. Liber Viarum ViæThe Equinox Vol. I No. 7, 1912.

CROWLEY, Aleister. The Task of an Adeptus Exemptus.

CROWLEY, Aleister. The Task of an Adeptus Major.

CROWLEY, Aleister. The Ordeals.

ESHELMAN, James. Liber Viarum ViæTemple of Thelema. Acesso em 6 de novembro de 2018: <http://www.heruraha.net/viewtopic.php?f=5&t=2480>

SNUFFIN, Michael Osiris. Liber Viarum Viæ : Written by Aleister Crowley, Analysis by Michael Osiris Snuffin. Acessado em 4 de dezembro de 2018: <https://hermetic.com/osiris/libervv>


Traduzido pelo autor.