Uma Carta a um Irmão Sobre Algumas Coisas no Reino (Para o Neófito)

Um capítulo de Liber Zelotes

Liber “Zelotes” faz parte da trilogia com Liber “Adeptus” e Liber “Magistri”. “Zelotes” no geral descreve o significado e as práticas da A∴A∴, “Adeptus” trata da “Ordo Thelema”, e “Magistri” é uma coletânea dos Livros Sagrados de Thelema com comentários.

.
Leia em 6 min.

Uma Carta a um Irmão Sobre Algumas Coisas no Reino (Para o Neófito)

Faze o que tu queres há de ser tudo da Lei.

93! Primeiramente, eu gostaria apenas de lembrar que quase tudo que você precisa é dado nos textos “UMA ESTRELA À VISTA” e “LIBER COLEGII SANCTI” e que você pode basear seu trabalho neles com facilidade e simplicidade. Além disso, gostaria de dirigir-vos aqui algumas considerações mais detalhadas sobre as posições dos irmãos em relação a “algumas coisas”.

Está claro que a nossa Ordem tem como objetivo desvelar os mistérios e, assim, ajudando a si própria, está ajudando o mundo. “A palavra do Pecado é Restrição” – o nosso objetivo é a revelação, não a ocultação, entretanto, pela natureza do mundo, você pode ter a sua experiência da Verdade, mas você não pode transmitir isso aos outros, por isso é o suficiente que o seu serviço para os outros esteja nos domínios da orientação e conversa, e de modo algum no convencimento, conversão ou disputa. Mas, sobre isso cada um tem sua própria opinião e cuida disso por si mesmo.

Vamos começar a partir do “ESTUDANTE”.

Uma vez o acesso era permitido a todos, diretamente ao Grau de Probacionista. Depois de muitos problemas e obscuridades acontecerem, surgiu a ideia de que os interessados deveriam primeiro ser estudantes, pelo menos por três meses.

“Seu trabalho é adquirir um conhecimento intelectual generalizado de todos os sistemas de consecução, conforme declarado nos livros prescritos”. Veja a lista no livro Magick in Theory and Practice. No entanto, a quantidade também não garante a qualidade. Eu acho que é importante se familiarizar com todos esses sistemas diferentes – a partir de quaisquer livros que falem sobre estes sistemas em particular.

Considerando que a nossa Ordem dissemina a Lei de Thelema, que considero essencial estudar os materiais de Mestre Therion, mas também de outros irmãos dedicados à Grande Obra. O material é obviamente abrangente demais e não há possibilidade de se assimilar aquele conhecimento completamente, mas pode ser reconhecido a partir de conversas se o aluno está “maduro o suficiente” para se tornar “PROBACIONISTA”.

Mas eu gostaria de avisá-lo sobre alguns detalhes apontados nos nossos livros sagrados:

“Assim, sabe-se se alguém está pronto, se ele for prendado com certos dons, se ele for apto por nascimento, ou por riqueza, ou por inteligência, ou por algum outro sinal manifesto. E os servidores do mestre, por sua intuição, os julgarão”.

“O fraco, o tímido, o imperfeito, o covarde, o pobre, o choroso — estes são meus inimigos, e vim para os destruir”.

“Nós não temos nada com o proscrito e o incapaz”...

Mas para não cometer erros, saiba que você não é aquele que escolhe, mas cada um por si só abre o caminho.

“Você deve ajudar, auxiliar a todos os honestos aspirantes do caminho. E você é obrigado a vê-lo mais do que uma vez, mesmo que ele seja terrível – o que muitas vezes é o caso – você tem que dar o seu melhor em dar conselhos e apontá-lo em boa direção”.

“Sempre fale abertamente e encoraje os outros a fazê-lo.”

“A necessidade de sigilo é engraçada, mas deve haver discrição. Use o bom senso. Tome cuidado com o que você está falando e a quem”.

“Não force a sua ‘viagem’ para os outros, nem os deixe fazer isso com você”.

“Sempre faça o melhor que puder para ajudar os estudantes e probacionistas. Aceite que, algumas vezes, tal como crianças, eles podem ser muito chatos, e que muitos não vão ficar no caminho. Você também descobrirá que apenas alguns dos probacionistas são capazes de fazê-lo; tome cuidado para não ser ‘vampirizado’”!

“Estou feliz em saber que você tem Probacionista(s). Você está certo em dizer que pode trabalhar com eles como se fosse com colegas. Mas esteja preparado para decepções. A ‘jornada’ é difícil para alguns”.

“Eu nunca rejeitei nenhuma pessoa que pediu para se juntar à A∴A∴, embora o meu juramento obrigou-me a conhecer muitos sacanas e idiotas inúteis, sem mencionar os vampiros psíquicos. Quanto a esses juramentos, você é obrigado a ajudar, mas não a encontrá-los novamente também, a menos que possam dar uma prova de terem feito o trabalho durante um ano de probação. Eu, obviamente, tenho que encontrar qualquer um que cumpra isso. Eu não sou obrigado por juramento a trabalhar com ninguém: mas eu tenho que dar o meu melhor para responder as perguntas”.

“O Probacionista simplesmente tem que executar todas as práticas que ele preferir e anotá-las. O Neófito supervisor tem todo o direito de dar ao Probacionista um teste no final desse ano. O Probacionista tem direito de comunicar com documentos a qualquer um que sirva como Zelator, se seu Neófito o trair. Para mim, todos os probacionistas que dão provas de trabalho sincero durante um ano devem ser permitidos passar, mas todos aqueles que zombarem ou desviarem-se devem ser descartados”.

“Uma pessoa não pode ser expulsa da A∴A∴. Você só pode ‘expulsar’ a si mesmo. Mas, no entanto, o Supervisor tem toda a razão em dizer que ele não deseja mais a relação. O recusado pode contatar outra pessoa: isso é possível, mas é possível que ninguém mais queira essa pessoa. Se essa pessoa é ‘correta’, é possível que alguém adequado entre em contato ele”.

“Deve ficar claro que os ‘graus/níveis’ existem para a orientação/mensuração pessoal. Em algum outro sistema, graus diferentes podem ser apropriados. Como um jogo de egos, eles são totalmente inúteis. Trate qualquer um que venha a você como igual, a menos que prove diferente. Os homens e mulheres mais sábios que já encontrei, e que me ensinaram muito, sempre agiram assim”.

“Assim que você concluir o trabalho da A∴A∴ e a Grande Obra, você pode contatar qualquer um que você precisa conhecer (isso diz respeito a outros membros da Ordem, sejam de graus maiores ou menores)”.

Eu acho que estas palavras do meu Superior são o bastante para lhe dar as respostas para algumas possíveis perguntas. Como você pode ver, eu não me esforcei muito em pregar sobre o que você deve fazer – você tem que fazê-lo sozinho – eu apenas tentei tornar mais fácil entender a questão de servir os que estão “abaixo” de você. Você mesmo já passou por essas fases e sabe como elas podem parecer; fique claro que todo mundo está em uma fase “original” de si mesmo.

Apenas o seu trabalho e estudo pessoal pode ajudá-lo, você só deve confiar em si mesmo. Há muitas “citações” convenientes que eu poderia estender, mas acho que isso não é necessário agora. Entregue-se à Thelema, e a Lux do seu ser deve guiá-lo sem erros.


Traduzido por Alan Willms