Banner

XXIV
Sobre a Astrologia Horária

pelo M.H. Frater Resurgam (Dr. Berridge)

Figura Horária Verificada por Nemo.

Pergunta: O sujeito falecerá da atual doença?

Sabendo por carta que meu tio materno, um octogenário, estava gravemente doente de pneumonia, eu tracei uma figura para o momento da intuição de fazê-lo, que era ao ler a comunicação. Sua doença começou por volta de 7 de fevereiro e agora ele estava confinado à cama.

O estudante pode facilmente lançar a figura para 11h45, 26 de fevereiro de 1887, Londres W. A.R. de M. de 22h 25m 6s e 332º21’24” em arco. Peixes 0,17 culminando em Áries. Ascendente em 4º45' de Câncer; Sol em 7º32'47" de Peixes; Lua em 16º23' de Áries; Mercúrio em 23º19' de Peixes; Vênus em 27º54' de Peixes; Marte em 20º32' de Peixes;  Júpiter em 5º48' de Virgem, retrógrado; Saturno em 15º54' de Câncer, retrógrada; Urano em 11º46' de Libra, retrógrado; Netuno em 25º10' de Touro. Declinação do Sol em 8º43' S; da Lua em 2º47'19" N; de Mercúrio 2º29' S; de Vênus em 1º56' S; de Marte em 4º31' S; de Júpiter em 1º29' S; de Saturno em 22º25'; de Urano em 3º59' S; de Netuno em 17º25' N. O nodo do norte da Lua estava em 27º35' de Leão; a Parte da Fortuna estava em 13º32' de Leão. O movimento da Lua em longitude foi de 11º49’56” nas 24 horas.

Como o sujeito era o quarto dos meus tios e tias maternas, a minha mãe sendo a mais nova da família, tomei a 10ª Casa da figura para ela e a 12ª (ou a 3ª a partir da 10ª) para o irmão ou irmã mais velho dela, a 2ª para o segundo, a quarta para o terceiro e a 6ª para o quarto, o sujeito, e correspondentemente a 1ª (ou 8ª a partir da 6ª) para sua oitava Casa ou Casa da Morte.

Ali Marte governa a 1ª Casa do sujeito, e Lua sua 8ª, o aspecto sendo Lua em 25º51. Touro separando-se do quindicil (24º) e aplicando ao seu semi-sextil. Os aspectos anteriores sendo bons mas muito fracos, demonstram seu estado de saúde passado, que foi bastante razoável para sua idade, mas não robusto – o aspecto aplicado sendo bom e mais forte do que o seu predecessor, Marte além disso sendo dignificado pela triplicidade, termo e decanato e também recebendo Lua pela Casa, uma recuperação certa da doença foi mostrada, mas ao mesmo tempo não uma restauração absoluta da saúde. Se o significante tivesse sido aplicado a um Trigono ou até mesmo a um Sextil, eu teria previsto não só a recuperação completa de seu ataque agudo, mas também uma continuidade de uma idade avançada vigorosa. Se o caso fosse crônico, eu teria previsto uma restauração parcial da saúde no momento indicado. No entanto, neste caso, sendo a pneumonia aguda uma doença autolimitada, eu previ uma recuperação completa do próprio ataque pulmonar e a fuga da morte, mas não a restauração à saúde vigorosa. No entanto, a gravidade e o perigo da doença foram mostrados pela Cauda na 4ª Casa do sujeito, por Saturno, senhor de sua 4ª posto em próxima quadratura com a Lua, regente de sua 8ª posta em sua 6ª e de movimento lento. Sendo Lua o significador aplicado, estando em um signo mutável e uma casa sucedente, cada grau significava uma semana; portanto, estando próxima 4º9' de um semi-sextil completo, julguei que o sujeito seria convalescente em 4 semanas e 1 dia, ou 27 de março. Em 29 de março ele saiu para caminhar em seu jardim pela primeira vez e estava totalmente recuperado da pneumonia.

Observações

(1) Isso mostra a necessidade de selecionar a casa exata correspondente ao sujeito e não generalizar. Se eu tivesse levado a sua 12ª casa da figura como significando os tios e tias maternos em geral, sendo a sua 3ª da 10ª, e 7ª (ou 8ª da 12ª) para a morte do sujeito, os aspectos dos Senhores dos mesmos teriam sido Vênus em 105º com Saturno exatamente, e aplicando a Quadratura, mostrando atual saúde razoável e perigo de vida em 8 semanas, o que não era o caso (Futuro 1,106).

(2) Não fez diferença para a seleção da 6ª casa da figura como a 1ª do sujeito que os dois irmãos mais velhos (o primeiro e terceiro da família) estivessem falecidos. Eles devem ser levados em consideração no cálculo de sua casa adequada, da mesma forma como se estivessem vivos.

(3) Se eu tivesse tomado a 8ª casa da figura como significando a morte do sujeito, o aspecto teria sido Marte em 115,22 com Saturno, aplicando a 108º, significando recuperação em 7 1/3 semanas, o que também não foi o caso (Futuro 1,107).

(4) A Lua estava em latitude 3º58' S e Marte em 0º50' S, adicionando a soma destes aos graus e minutos necessários para formar a semi-sextil perfeita, e convertendo em tempo a quantidade total assim obtida, teria prolongado o tempo do evento em 4º48' ou quase cinco semanas; no entanto a recuperação ocorreu apenas dois dias depois do tempo exato previsto (Futuro 1,60).

(5) A Lua estava 13º distante da cúspide da casa em que estava situada, mas isto não fez diferença alguma no cálculo de tempo (Futuro 1,60).

(6) Lua aplicada a decl. par. Marte estando 1º43'"4 distante; mesmo assim nenhum perigo à vida ocorreu no tempo correspondente (Futuro 1,109).

(7) Como a pergunta foi somente sobre o sujeito, Escorpião, o signo de sua primeira hora o descreveu, um corpo corpulento, forte, capaz, rosto um pouco largo e quadrado, de pescoço curto, um companheiro bem-reforçado e atarracado (Lilly p. 63). Mas o ascendente da figura não descreve a mim, pois apesar do consulente, a pergunta não foi sobre mim (Futuro, 1,171).

(8) Urano está fortemente dignificado em Escorpião; mas o signo não é a sua casa diurna. Se fosse assim, o aspecto seria Lua 175º23' com Urano separando da Oposição, implicando perigo à vida superado e se aplicando-se ao quadri-sextil (150º), significando uma doença em aproximadamente 25 1/3 semanas, sendo que nenhuma destas significações estão de acordo com os fatos (Futuro 1,29,30).

(9) Como Marte regia a 1ª e 6ª Casas do sujeito, nenhum julgamento pôde ser formado a partir do Senhor da 6ª, caso contrário teria entrado no cálculo, embora em uma questão quanto à duração da vida, considero a 8ª Casa coeteri paribus, a mais importante (Futuro 1,108).

(10) Nesta figura, Marte estava na 10ª, sub-rádio e aplicando à combustão, também Saturno o Senhor da 7ª estava em seu detrimento e retrógrado, ambos sendo, portanto, “desafortunados”. No entanto eu não “acabei no discrédito do artista”, mas o oposto, nem fui incapaz de “dar um escasso julgamento sólido” (Futuro 1,109-1).