O Templo do Rei Salomão

“Então defender a causa orgânica de um estado de espírito religioso em refutação de sua alegação de possuir valor espiritual superior é bastante ilógico e arbitrário, a menos que já se tenha elaborado com antecedência alguma teoria psicofísica conectando valores espirituais em geral com tipos determinados de mudança fisiológica. Caso contrário, nenhum de nossos pensamentos e sentimentos, nem mesmo nossas doutrinas científicas, nem mesmo nossas _des_crenças, poderiam reter qualquer valor como revelações da verdade, pois cada um deles, sem exceção, flui do estado do corpo de seu detentor no momento.

É desnecessário dizer que o materialismo médico não chega, de fato, a tal conclusão cética abrangente. Ela está certa, assim como todo homem simples tem certeza, de que alguns estados mentais são interiormente superiores a outros, e nos revelam mais verdades, e nisso simplesmente faz uso de um julgamento espiritual comum. Não tem nenhuma teoria fisiológica da produção desses seus estados favoritos, pela qual possa acreditá-los; e sua tentativa de desacreditar os estados de que não gosta, associando-os vagamente aos nervos e ao fígado, e conectando-os com nomes que denotam aflição corporal, é totalmente ilógico e inconsistente.” – Prof. William James1.

“Deram-me um caniço semelhante a uma vara de medir e me disseram: ‘Vá e meça o templo de Deus e o altar, e conte os adoradores que lá estiverem’.” – Apocalipse 11:1.


  1. «“As Variedades da Experiência Religiosa: um estudo sobre a natureza humana. Consulte uma tradução completa deste livro lançada pela editora Cultrix, São Paulo. 2017. As notas a seguir tiveram o número da página adaptado para esta edição em português. Estes dois parágrafos estão na página 26.”» 


Índice


Tradutores diversos

Você está lendo
O Templo do Rei Salomão
Próximo Capítulo
Prefácio
Gostou deste artigo?
Contribua com a nossa biblioteca
Doe via